Paulistão 1954: IV Centenário da capital marcado pela classificação corinthiana no Derby da semifinal

Após um grande periodo sem conquistas expressivas na década de 40 para o time alvinegro, a diretoria do Timão resolveu inovar. Mandou a maioria de seus jogadores embora e investiu pesado na base: Luizinho, Cabeção, Roberto Belangero e Idário foram alguns nomes que subiram ao time principal do Corinthians. Além dos conhecidos Baltazar, Cláudio e Gylmar, com a experiência necessária para que o alvinegro pudesse retomar as glórias do inicio de clube. E o projeto deu mais do que certo. A equipe foi campeã do Rio-São Paulo (50, 52 e 53), Bicampeã Paulista (51-52), Campeã da Pequena Taça do Mundo (53) e Campeã da Taça Charles Miller (54).

No mesmo ano, ainda haveria a disputa de mais um titulo: O Campeonato Paulista de 1954, chamado de IV Centenário. Nome em alusão ao anivérsario de 400 anos da cidade de São Paulo. Na época, o IV Centenário foi considerado o titulo mais importante da história pelos paulistas, assim sendo cobiçado por todos os clubes que disputariam o campeonato. A imprensa assim o apelidou de: O titulo que vale por 100 anos.

A taça do IV Centenário (Foto: Getty Images)

O Campeonato Paulista de 1954 começou apenas em meados de Agosto e terminaria só em Fevereiro de 1955. O torneio foi bem disputado e equilibrado, com os quatro grandes revezando na liderança durante a competição. O Corinthians terminou o primeiro turno na liderança com apenas três empates e uma derrota, para o Santos por 2 a 0. A equipe jogava o melhor futebol da competição e assim seguiu o returno inteiro sem perder, disputando diretamente com o Palmeiras, na segunda posição.

O grande susto para o Corinthians veio na antepenúltima rodada do Campeonato. O time perdeu para o Santos, com o placar de 4 a 1. Já o rival Palmeiras, ganhou da Portuguesa e manteve as chances reais de levantar a taça. E o desfecho seria na penúltima rodada, onde ambos se enfrentariam.

Final antecipada e festa alvinegra

O dia era 06 de Fevereiro de 1955. A cidade de São Paulo estava parada para o grande clássico e o Pacaembu totalmente lotado. O empate bastaria ao alvinegro do Parque São Jorge para levantar a taça. Para o alviverde só a vitória importava. O Corinthians já estava no gramado quando o Palmeiras subiu a campo. Seria tudo normal, se não fosse o simples fato do Verdão ter virado "Azulão" no dia. O presidente do Palmeiras na época, após uma visita a um pai de santo, mandou a equipe jogar de azul por recomendação do mandingueiro porque "daria sorte".

O técnico do Timão na época, Oswaldo Brandão declarou alguns anos depois: "Deu dó ver o Palmeiras entrar em campo sem a camisa verde". O pequeno polegar Luisinho também fez uma declaração sobre o fato: "Quando nós vimos o Palmeiras entrar em campo, o Palmeiras não entrou com aquele verde que realçava. Ele entrou com uma camisa azul, uma camisa berrante azul. Aquilo parece que esfriou o ânimo de nós, jogadores de bola. O meu pelo menos esfriou. Eu não via o Palmeiras com aquela camisa verde, com aquela garra".

Depois do susto, a partida finalmente começou e parecia que o Palmeiras tinha perdido a sua essência. Aproveitando o fato, o Timão veio fulminante e aos 10 minutos com Luisinho Polegar, que com seu faro de artilheiro, subiu mais alto que o beque Fiúme e o arqueiro Laércio e de cabeça abriu o placar. O Pacaembu veio abaixo. Porém o Palmeiras acordou com o gol sofrido e atacava furiosamente, entretanto o goleiro Gylmar - que seria campeão do mundo com a camisa canarinha em 1958 - fazia milagres em baixo das traves e também a sua melhor partida com a camisa corinthiana.

O empate do "Azulão" veio com Nei aos seis minutos do segundo tempo. O jogo começou a ficar nervoso, com os dois times mais batendo do que jogando e houve muitas brigas. E o Corinthians soube aproveitar isso jogou com o regulamento debaixo do braço e administrou o empate que daria o título, até o apito final do árbitro.

Com invasão de campo e muita festa corinthiana, o time se consagraria campeão do IV Centenário da cidade de São Paulo. Na última partida, ainda teria as faixas entregues pelos jogadores do São Paulo e venceria o jogo por 3 a 1 para fechar o Campeonato com chave de ouro. Em 26 jogos, o alvinegro perdeu apenas dois, empatou seis e venceu 18 partidas. Luisinho com 14 gols, foi o artilheiro do Timão no Campeonato e carimbou seu nome na galeria de ídolos do clube para sempre. E a cidade de São Paulo, era alvinegra por 100 anos.

Campanha - Campeonato Paulista de 1954

14/08/1954 Corinthians 1 X 0 Ypiranga
22/08/1954 Linense 0 X 1 Corinthians
28/08/1954 Juventus 1 X 1 Corinthians
05/09/1954 Guarani 1 X 2 Corinthians
12/09/1954 XV de Jaú 1 X 1 Corinthians
26/09/1954 Corinthians 6 X 1 Ponte Preta
02/10/1954 Corinthians 1 X 0 Portuguesa
07/10/1954 Corinthians 4 X 0 São Bento
13/10/1954 Corinthians 5 X 0 Noroeste
17/10/1954 XV de Piracicaba 1 X 3 Corinthians
24/10/1954 Corinthians 0 X 2 Santos
31/10/1954 Corinthians 3 X 2 Palmeiras
07/11/1954 Corinthians 2 X 1 São Paulo
21/11/1954 Corinthians 2 X 1 Linense
27/11/1954 Corinthians 1 X 1 XV de Piracicaba
04/12/1954 Ypiranga 1 X 3 Corinthians
12/12/1954 Noroeste 3 X 3 Corinthians
19/12/1954 Corinthians 3 X 0 XV de Jaú
23/12/1954 Juventus 0 X 1 Corinthians
31/12/1954 São Bento 1 X 3 Corinthians
09/01/1955 Corinthians 1 X 0 Portuguesa
19/01/1955 Corinthians 2 X 1 Guarani
23/01/1955 Ponte Preta 1 X 1 Corinthians
30/01/1955 Santos 4 X 1 Corinthians
06/02/1955 Palmeiras 1 X 1 Corinthians
13/02/1955 São Paulo 1 X 3 Corinthians

Equipe campeã do IV Centenário, o Campeonato Paulista de 1954: Gylmar; Homero, Olavo; Idário, Goiano, Belangero; Luisinho, Rafael; Simão, Claúdio e Baltazar.

VAVEL Logo