Levir Culpi exige atenção do Atlético-MG no jogo de volta ante Internacional
(Foto: Bruno Cantini / Atlético-MG)

Parece rotina, mas na adversidade o Galo se mostra cada vez mais surpreendente. Prova disso foi o empate aos 49 minutos do segundo tempo contra o Internacional, pelo jogo de ida das oitavas-de-final da Copa Libertadores da América. Leonardo Silva novamente de cabeça, relembrando a campanha de 2013, faz com que o Atlético tenha que vencer o Colorado por um gol. O time prega a cautela para a próxima partida, que será no Beira-Rio, na próxima quarta (13).

Apesar disso, para os torcedores a equipe atleticana não teve uma boa atuação, principalmente por Marcos Rocha. A peça principal do time teve diversas falhas, como no primeiro gol do Inter logo no início de partida, de Lisandro López, em bola que sobrou para o centro-avante. Outro jogador com atuação regular foi Dátolo. Bastante questionado pela torcida, foi vaiado em algumas oportunidades pela torcida. Na coletiva, o técnico Levir Culpi, questionado veementemente, defendeu o jogador: 

"Ele é um dos ídolos da torcida. Hoje, a torcida começou a vaiar o Dátolo e eu senti por ele. É um dos melhores em assistências, fez gols decisivos e estava jogando igual aos outros e não estava fora do padrão. Mas a torcida escolhe alguns para irritar... Eu posso reconhecer que as coisas não estavam correndo dentro das características dele, mas estava igual para todos. Vamos vaiar o Léo, o Marcos, é isso que é a solução? Não vejo desta maneira", afirmou o treinador.

Ainda, Levir analisou o resultado como se fosse esperado. O treinador analisou que, apesar da equipe colorada ter finalizado pouco e ter conseguido fazer dois gols, a equipe atleticana foi mais constante, e que o empate foi “injusto” pelo o que os jogadores fizeram em campo. 

“Dificilmente teríamos uma definição o primeiro jogo. As equipes se igualam, é um clássico. Teremos momentos emociantes no Beira Rio. O jogo foi com os melhores momentos pertencendo ao Atlético. Nas duas que eles tiveram, conseguiram marcar, de uma maneira meio esquisita, falhamos. Pelo volume, pela intensidade, o mínimo seria o empate. O empate foi injusto com relação ao que fizemos no campo, mas seria muito ruim perder essa partida da maneira como foi”, analisou o treinador alvinegro. Levir Culpi cobra concentração à equipe contra o Internacional:"Precisamos entrar e afirma:"Teremos oportunidades para fazer lá"

Para seguir na Libertadores, o Atlético terá de vencer o Inter ou empatar por três ou mais gols. O técnico pede mais concentração à equipe. “Teremos oportunidades para fazer lá. Teremos que entrar mais concentrados no jogo. Houve uma intensidade muito grande na parte física, não dá para cobrar isso de ninguém. Mas na parte técnica e tática dá para evoluir muito até o jogo", finalizou ou treinador. 

Para o jogo de volta, no Beira-Rio, Leonardo Silva prega a cautela. O zagueiro sabe que o time tem que ir para cima do Colorado, ser consistente no ataque e cauteloso na parte defesa: “Precisamos da vitória, mas sem nos desorganizar, porque senão tomamos gols”, disse.

Além disso, Léo Silva usa o mantra alvinegro para que a equipe consiga o resultado: “A gente tem que acreditar sempre, dependendo do local que estamos”

VAVEL Logo