Eduardo Baptista avalia positivamente sua equipe, mas lamenta eliminação nos pênaltis: "É loteria"
Foto: Divulgação/Fluminense FC

Quem vê o Fluminense hoje, jogando com vontade de ganhar, indo pra cima, buscando o resultado, sabe para quem olhar e chamar de responsável por isso. Eduardo Baptista assumiu um time que, até então, parecia desmotivado e vinha de uma goleada sofrida, para o mesmo Palmeiras, no Maracanã pelo Campeonato Brasileiro. O treinador que chegou há 2 meses já consegue implantar sua forma de jogar, e mesmo com a derrota sai de cabeça erguida com seu elenco, que para ele foi superior nas duas partidas, tanto no Rio de Janeiro, quanto em São Paulo. 

A entrevista ocorreu na zona mista da Allianz Arena, e Eduardo mostrou-se orgulhoso com seus jogadores.

"É um pedido meu: não rifar a bola. A equipe veio para jogar futebol. Entrou desligada no começo, pagou preço por isso. Depois, jogamos. Foi o time que mandou no jogo. Os meninos foram bem. As substituições surtiram efeito. Pênalti é loteria. O Jean é um grande batedor. O Scarpa também. O Fred bateria o último pois gosto de ter o melhor no final. O Gum treina todo o dia..".

Para completar, ele disse: "Uma das primeiras coisas quando cheguei aqui era arrumar o sistema de marcação. Jogamos, fomos bem, enfrentamos a torcida, o estádio e colocamos o Palmeiras quase dentro da sua área no segundo tempo. É uma coisa boa, mas temos que evoluir. Estou chateado pela eliminação, mas contente pelo desempenho nos dois jogos. O Fluminense foi superior nos dois jogos. A nossa proposta foi de time grande, tocamos a bola e buscamos o gol. Fico feliz. É o começo de um trabalho. Infelizmente, no Brasil, só se vê o resultado. Para quem olha criticamente vê o Fluminense superior ao Palmeiras."

O fato de não ter treinado pênaltis na terça-feira (27) não foi determinante para a eliminação, segundo Eduardo Baptista, que agora mira os jogos restantes do Campeonato Brasileiro.

"Quero acabar bem o Brasileiro. Havia a expectativa de chegar à final, mas não aconteceu. Vamos ver como estão os jogadores. Fisicamente, acabamos bem."

O Fluminense retorna ao Rio nesta quinta-feira (29), e já se prepara para o clássico contra o desesperado Vasco, no Domingo (01).

Confira a entrevista na íntegra:

Pênaltis

Jean bate muito bem. Eu gosto de deixar o último para o Fred bater. O Scarpa e o Gum treinam.

Brasileirão

É conseguir ter a atuação que nós tivemos hoje. Ter um jogo equilibrado contra o Vasco para voltar a pontuar.

Fred no clássico com o Vasco?

Não sei. Vamos avaliar. Amanhã (quinta) ou na sexta. Foi importante o trabalho do DM e a entrega dele. A gente vai avaliar. Até sexta, teremos uma posição.

Frustração

Temos de fazer seis grandes jogos para acabar de forma honrosa. Repetir a atuação de hoje, especialmente a do segundo tempo. É isso que temos de fazer. A semente que está sendo plantada aqui é muito importante. Vamos fazer um 2016 bem melhor.

Desatenção

Marcamos a bola alta deles, um ponto forte. Os 20 minutos iniciais... ficamos desatentos na segunda bola. Temos que ficar ligados, atentos. Não pode se repetir. Pagamos caro.

Arbitragem

Não gosto de jogar de arbitragem. Nas duas partidas, a gente foi superior. A gente poderia ter tido um placar mais elástico no Rio e poderíamos ter feito mais gols aqui.

Reforços

A gente tem falado. Começamos a desenhar 2016. É muito cedo para adiantar algo. Em sigilo, junto com a direção, vamos traçar o ano que vem. 

VAVEL Logo