Como o Atlético-MG poderá faturar o bicampeonato mineiro?
Campeão em 2015, o Atlético-MG vai em busca do bicampeonato (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Neste domingo (1º), às 16h, na Arena Independência, em Belo Horizonte/MG, América-MG e Atlético-MG começam a decidir o Campeonato Mineiro 2016. Detentor de 43 conquistas - o maior vencedor do torneio - e finalista pela décima edição seguida, o Galo entende bem da competição e conhece os caminhos para levantar novamente a taça.

Mesmo enfrentando a desconfiança de uma parte da torcida, o técnico Diego Aguirre vem, passo a passo, implantando sua filosofia tática junto à equipe. Atualmente, o sistema de jogo tem três volantes (Júnior Urso, Rafael Carioca e Leandro Donizete), algo que não aconteceu nos últimos anos, onde os esquemas eram ofensivos demais. Com solidez defensiva e qualidade ofensiva, foram 11 gols sofridos durante a edição deste ano e, ao mesmo tempo, o melhor ataque, balançando as redes adversárias 25 vezes.

As armas do alvinegro estão em seu elenco, recheado de bons nomes, alguns contratados nesta temporada e outros já pertencentes ao plantel há alguns anos. Três podem ser destacados como peças fundamentais:

Robinho: o artilheiro

Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG

Vindo em meio a uma polêmica com o Santos, sendo até mesmo acusado de "mercenário" por torcedores daquele clube, o camisa 7 do Galo chegou e mostrou para o que veio: fazer gols. Artilheiro isolado do Mineiro com nove gols, tendo feito hat-trick em duas partidas, Robinho não vem se destacando apenas por eles, mas também pelo modo que se entrega em campo, auxiliando na marcação.

Lucas Pratto:  o 9 que não joga apenas como 9

Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG

"Centroavante tem que ficar na área", "Só faz gol de pênalti". Essas são algumas "análises" que rondam a vida de Pratto no Atlético. Com um estilo característico, ele não é apenas um homem de área. Sai dela, busca jogadas perto do meio-campo e também alimenta os companheiros de ataque. É o terceiro colocado na tabela da artilharia do Mineiro, com cinco gols.

Júnior Urso: enfim, a China importou coisa boa

Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG

Durante as últimas temporadas, o torcedor atleticano se acostumou a ver o time em campo com apenas dois volantes, um esquema mais ofensivo. Quando apareceu um terceiro, surgiu o receio, se era realmente necessário colocar em campo mais um. Pois Júnior Urso chegou contratado junto ao Shandong Luneng no começo deste ano e, no esquema de três volantes de Aguirre, é imprescindível. Deu ao meio-campo a consolidação defensiva necessária, sendo o meio termo entre o habilidoso Rafael Carioca e o viril Leandro Donizete.

VAVEL Logo