Em ano ascensão ao principal do Cruzeiro, Murilo agrega equilíbrio e tranquilidade à zaga da equipe
Foto: Hugo Alves/Editoria de Arte/VAVEL Brasil

Que ano vem tendo o garoto Murilo! Com apenas 20 anos de idade, o baiano pode conquistar, na quarta-feira (27), seu primeiro título nacional com a camisa profissional do Cruzeiro. Apontado como uma das revelações da base, o zagueiro ganhou a confiança do técnico Mano Menezes e de toda a torcida celeste ao provar maturidade e 'cabeça firme' com a oportunidade que bateu em sua porta.

Natural de São Gonçalo dos Campos - BA, o camisa 35 chegou às categorias de base do Cruzeiro em outubro de 2010, com 13 anos. Como a maioria das histórias dos garotos que saem de suas terras natais em busca dos seus sonhos, Murilo deixou a família para trás e foi para Belo Horizonte em busca da construção de sua carreira como um jogador de futebol.

“Vim sozinho da Bahia, foi difícil, mas não demorei a me adaptar e caminhei certo. A família ficou lá em São Gonçalo torcendo e está dando tudo certo. Meu pai, minha mãe e meus irmãos sempre me incentivaram. Sempre me deram apoio, força. Sempre estiveram comigo nos momentos bons e nos momentos difíceis” , falou em entrevista ao site oficial do Cruzeiro. Após sete anos esperando, a oportunidade de ouro apareceu, e todo o esforço do garoto da Bahia foi recompensado.

O jovem zagueiro na primeira partida da final da Copa do Brasil (Foto: Rafael Ribeiro/ Light Press)
Jovem zagueiro, na primeira partida da final da Copa do Brasil (Foto: Rafael Ribeiro/Light Press/Cruzeiro)

Da base ao profissional

Após a precoce eliminação do Cruzeiro na Copa do Brasil sub-20, Murilo foi promovido aos profissionais no início de 2017. Ele fez sua estreia com a camisa do clube estrelado em um amistoso vencido pelo Cruzeiro por 8 a 2, contra o Brasília-DF, no dia 25 de janeiro. Naquela ocasião, o jogador substituiu Léo, seu companheiro de zaga.

Dois meses se passaram, e o jogador voltou a atuar como titular no dia 21 de março, no empate por 0 a 0 com o Joinville, pela fase de grupos da Copa da Primeira Liga - ao lado de Déde. Na partida, Mano Menezes optou por entrar em campo com uma equipe formada pelos jogadores que não vinham sendo titulares durante a temporada.

Após 7 anos na base do Cruzeiro, Murilo fez sua estreia como profissional em um jogo oficial (Foto: Geraldo Bubniak/Light Press)
Após sete anos na base do Cruzeiro, Murilo fez sua estreia como profissional em um jogo oficial (Foto: Geraldo Bubniak/Light Press)

A titularidade

Se fosse perguntado ao torcedor cruzeirense, no início do ano, qual seria a dupla de zaga ideal para a temporada, a resposta seria, em sua maioria, Dedé e Manoel. Porém, a realidade celeste não foi essa, porque ambos os jogadores não conseguiram se apresentar 100%  fisicamente para atuarem juntos.

Déde, que estava há 13 meses parado, voltou a campo em 2017 no dia 21 de março, no mesmo empate contra o Joinville pela Copa da Primeira Liga em que Murilo estreou. Com três jogos seguidos de titularidade, Dedé sofreu um edema ósseo no joelho esquerdo no dia 28 de maio, na partida contra o Santos, na Vila Belmiro.

Manoel, que iniciou 2017 na titularidade, assim como Dedé, sofreu uma fratura no quinto metatarso do pé esquerdo no dia 19 de abril, na partida válida pela quarta fase da Copa do Brasil, contra o São Paulo, no Mineirão. Com os dois nomes principais incapazes de jogar, Léo e Caicedo passaram a formar a primeira linha defensiva e, junto com a mudança, veio a fase mais difícil para a defesa celeste.

Foram seis gols sofridos em dois jogos consecutivos: o empate em 3 a 3 com o Palmeiras pela Copa do Brasil fora de casa, e a derrota de virada por 3 a 1 para o rival Atlético-MG, com uma atuação ruim de Caicedo. O impacto desses dois jogos foi tão grande, que a torcida foi até a porta da Toca da Raposa II para protestar contra o péssimo momento vivido pela parte defensiva do time. Isso, inclusive, fez com que o técnico Mano Menezes desse a 'polêmica' entrevista coletiva prometendo que o time não iria tomar três gols na partida seguinte.

A oportunidade de Murilo, enfim, apareceu, quando Kunty Caicedo, que passava por problemas particulares com a doença de sua mãe, foi emprestado ao Barcelona de Guayaquill. E então, no dia 9 de julho, contra o Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro, o camisa 35 fez sua primeira partida como titular no Brasileirão como profissional do Cruzeiro. A partir disso, deixou de ser a quinta opção de Mano para se tornar titular e ajudar o técnico a manter a promessa: o Cruzeiro venceu o Porco por 3 a 1.

Cruzeiro x Atlético - PR marcou o segundo jogo seguido como titular do baiano de 20 anos (Foto: Geraldo Bubanik\ Ligh Press)
Cruzeiro x Atlético-PR marcou o segundo jogo seguido como titular do baiano de 20 anos (Foto: Geraldo Bubanik\ Ligh Press)

Regular e consciente

Ao lado de Léo, Murilo atingiu a marca de 22 jogos na titularidade - dez vitórias, oito empates e seis derrotas. Já são 2038 minutos em campo e apenas dois cartões amarelos até hoje, dado que mostra a maturidade do garoto de 20 anos. Murilo apresentou personalidade ao assumir uma posição complicada perante a dificuldade enfrentada pela zaga celeste.

O bom rendimento do jovem zagueiro não só coroou a 'jogada' de mestre de Mano Menezes por apostar em uma 'solução caseira' para os problemas defensivos. Isso também ajudou o companheiro de posição de Murilo, Léo, a melhorar suas performances nas partidas, já que o experiente defensor vinha sendo muito criticado por parte da imprensa e da torcida.

São 16 jogos pelo Brasileirão, quatro pela Copa do Brasil e dois na Primeira Liga. Um fato curioso é que o zagueiro ainda não marcou nenhum gol atuando como titular, mas não faltaram oportunidades. Contra o Grêmio, na semifinal da Copa do Brasil, o jogador foi um dos que perdeu o pênalti cobrado após a vitória por 1 a 0 no tempo normal.

A chegada à grande final contra o Flamengo coroa o trabalho do zagueiro, que vive, sem dúvidas o ponto alto da sua carreira, até então. "Estou muito feliz pelo momento que estou vivendo. Nunca imaginei passar por isso. Deus vem colocando tudo do jeito certo, da maneira certa, na hora certa. Minha primeira final como profissional, a felicidade é enorme", disse em entrevista antes da primeira partida da final da Copa do Brasil.

A última partida da Copa do Brasil de 2017, jogo que decide quem fica com o título, será na quarta-feira (27), às 21h45, no Mineirão. Esse duelo pode fechar com chave de ouro o início promissor da carreira do prata da casa Murilo Cerqueira.

VAVEL Logo