Recordar é viver: relembre clássicos entre Cruzeiro e Atlético pelo Campeonato Mineiro
Foto: Divulgação/Atlético

A hora mais esperada do Campeonato Mineiro chegou para os torcedores. Daqui a algumas horas, a bola vai rolar para o clássico entre Atlético e Cruzeiro, o primeiro da temporada, válido pelo Campeonato Mineiro. O jogo será no Estádio Independência, às 11hs.

Uma das palavras que simbolizam o jogo entre Atlético e Cruzeiro é a polêmica. Sempre disseram que o clássico começa uma semana antes e termina uma semana depois. Casos e acasos, os embates já começam pelo retrospecto e cada equipe tem seus números. Pelo lado alvinegro, são 501 jogos, com 202 vitórias atleticanas e 166 derrotas, além de 133 empates. A maior goleada seria o histórico 9 a 2, em 27 de novembro de 1927.

Já no "outro lado da Lagoa da Pampulha", são 483 jogos, com 165 vitórias do Cruzeiro, 190 derrotas e 128 empates. O placar mais dilatado seria o incrível 6 a 1, em 4 de dezembro de 2011. O maior público aconteceu em 1969. Os 123.351 assistiram o time celeste vencer o Galo por 1 a 0, com gol do ponta-direita Natal.

Acompanhe aqui, na VAVEL Brasil, três clássicos importantes na história de Atlético e Cruzeiro.

Cruzeiro 4 x 0 Atlético - 5 de dezembro de 1984

No Campeonato Mineiro de 1984, o Cruzeiro foi campeão da Taça Minas Gerais, que correspondia ao primeiro turno. Para evitar que o time celeste ganhasse o Estadual, o Atlético teria que ganhar o segundo turno para forçar uma decisão em dois jogos. O Galo cumpriu o seu papel e chegou à decisão do segundo turno após vencer a fase de classificação do mesmo.

No entanto, na decisão do segundo turno, apesar do grande time que tinha, o Atlético não conseguiu ser melhor que o Cruzeiro. No primeiro jogo, dia 5 de dezembro de 1984, o time celeste venceu por 4 a 0. Todos os gols foram na etapa final: Carlinhos Sabiá (duas vezes), Tostão e Carlos Alberto Seixas.

Apesar de o Galo ter vencido o segundo jogo por 1 a 0, gol de Reinaldo, e contestado o regulamento da competição na justiça, os cruzeirenses sagraram-se campeões mineiros, de fato, apenas em 26 de setembro de 1990, quando o título foi homologado em ultima instância.

Atlético 1 x 1 Cruzeiro - 16 de março de 1997

Era para ser mais um clássico entre Atlético e Cruzeiro, pelo Campeonato Mineiro. Porém, este jogo teve um algo a mais que ficou marcado na história deste jogo e do Mineirão. Neste dia, a banda de rock mineira Skank gravou o clip da canção "É uma partida de futebol" nas dependências do estádio.

Na ocasião, foram 14 horas dedicadas ao evento, com direito a preliminar com muitos convidados, entre artistas como Tony Garrido, Evandro Mesquita e Gabriel, o Pensador, e ex-craques como o lateral-direito Nelinho e o centroavante Reinaldo. Durante o jogo, os cruzeirenses Samuel Rosa e Henrique Portugal, e o atleticano Lelo Zanetti, atleticanos, torciam, cantavam e animavam a torcida durante a gravação do clipe, que seguiu até às oito horas da noite, quando os portões do Estádio Mineirão se fecharam. Haroldo Ferretti gravou a parte, já que no dia estava em lua de mel.

Dentro de campo, Cruzeiro e Atlético fizeram o primeiro clássico da temporada. O Galo, com time completo, enfrentou o "expressinho" cruzeirense, já que os titulares estavam envolvidos com a Libertadores. O alvinegro saiu na frente com cobrança de falta do lateral-esquerdo Vitor. Porém, dois minutos depois, o atacante Reinaldo empatou para os celestes.

Apesar do placar morno, quem ganhou foram os torcedores, pela gravação do clipe. Por sua vez, o Skank ganhou três troféus do Vídeo Music Brasil, da MTV, além de ter a música incluída na trilha sonora da Copa do Mundo de 1998, sediada na França.

Atlético 5 x 3 Cruzeiro - 29 de fevereiro de 2004

Até hoje, este clássico é lembrado por muitos atleticanos. Não apenas pelo resultado, mas também pelos ocorridos durante o jogo, fizeram com que este jogo ganhasse muita projeção. O Atlético, remontado e formado por jogadores de pouco conhecimento dos torcedores, encarou o Cruzeiro, recém-campeão da tríplice coroa (Mineiro, Copa do Brasil e Brasileirão) em 2003, e com o pentacampeão mundial Rivaldo no time.

No entanto, aquela semana pré-clássico foi um prenúncio do que ocorreria até a hora da partida. O Cruzeiro demitiu o técnico Vanderlei Luxemburgo após o empate com o Uberaba, no Mineirão. O meia Rivaldo tomou as dores e pediu para sair do clube celeste. Paulo César Gusmão, auxiliar de Luxa, assumiu o time em pedaços. Já o Atlético fazia boa campanha no Estadual e não tinha nada do que reclamar.

Durante o jogo, outro fato marcante: o atacante Guilherme, que fazia seu primeiro clássico contra o ex-clube que o consagrou, abriu o placar. Na comemoração, expôs uma camisa da torcida organizada Máfia Azul e fez o símbolo da torcida com os punhos cruzados. Tal atitude causou a ira dos atleticanos nas arquibancadas, e este fato é lembrado por muitos até hoje. O jogador ainda anotaria o terceiro gol celeste no segundo tempo.

No entanto, outro jogador ganharia ainda mais projeção: o meia Tucho. Ainda sem mostrar seu melhor futebol, o então camisa 10 foi o grande destaque, marcando três gols ainda no primeiro tempo. Tal façanha é raramente conquistada por algum atleta. A última vez que alguém havia marcado três vezes em um Atlético x Cruzeiro foi em 1998.

Alex Mineiro, centroavante de passagem apagada pelo Cruzeiro nos anos 1990, e contratado para ser o homem-gol do Atlético naquele ano, também deixou sua marca no primeiro tempo. O camisa 9 ainda fez o quinto gol, que fechou o marcador. O meia Alex, de pênalti, ainda anotou um dos gols celestes. Final: 5 a 3.

VAVEL Logo