Lutando para avançar na Copa do Brasil, Coritiba e Goiás fazem partida de volta no Couto Pereira

Esmeraldino venceu a primeira partida e portanto, luta pelo empate; Coritiba precisa vencer de qualquer forma para ter chances de classificação

Lutando para avançar na Copa do Brasil, Coritiba e Goiás fazem partida de volta no Couto Pereira
(Foto: Comunicação / Coritiba Foot Ball Club)
Coritiba
Goiás
Coritiba: Wilson; Marcos Moser, Thalisson Kelven, Romércio e Léo Andrade; João Paulo; Julio Rusch, Thiago Lopes, Iago Dias e Guilherme Parede; Alecsandro. Técnico: Sandro Forner.
Goiás: Marcelo Rangel; Caíque Sá, David Duarte, Eduardo Brock e Jefferson; Léo Sena, Madison e Giovanni; Tiago Luís, Carlos Eduardo e Lucão. Técnico: Hélio dos Anjos.
ÁRBITRO: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP)
INCIDENCIAS: Partida válida pela terceira fase da Copa do Brasil. Será disputada no Couto Pereira, nesta quarta-feira (14), às 19h30.

A Copa do Brasil envolve muitos fatores para as equipes para a disputam. Não é diferente no caso de Coritiba e Goiás, que disputam nesta quarta-feira (14), às 19h30, no Couto Pereira, uma vaga na quarta fase da competição nacional. Para se classificar, o Coxa precisa vencer por dois gols de diferença para não disputar a vaga nos pênaltis. Já o Esmeraldino joga pelo empate para avançar de fase.

As duas equipes vêm em momento distinto nos seus respectivos estaduais. Enquanto o Coritiba amarga a lanterna do seu grupo no segundo turno, o Goiás é líder com folga do seu, mesmo tendo perdido o clássico contra o Atlético-GO na última rodada.

Coxa sem surpresas

Nesta terça-feira (13), véspera da partida decisiva contra o Goiás, o Coritiba encerrou sua preparação com um treinamento realizado no gramado do Couto Pereira. Como a equipe do técnico Sandro Forner vem atuando bem quando usa os titulares, o técnico não deve fazer mudanças na escalação. Por isso, o trabalho foi focado apenas na parte tática, além de bolas paradas.

Julio Rusch, um dos principais jogadores no início de temporada do Coxa, foi poupado contra o Foz do Iguaçu, como tem acontecido com frequência no segundo turno do Campeonato Paranaense. De volta ao time para o jogo desta quarta (14), ele falou da atitude que o time deve tomar após ter sofrido quatro derrotas seguidas, além da importância da classificação para o clube em si. 

"A gente sabe da importância do jogo de amanhã, para o clube então, nem se fala. Como jogador, a gente tem que pensar que a gente tem que ganhar. Independente do contexto do jogo, a gente tem que agredir o Goiás. Lá a gente fez muito pouco isso, tivemos oportunidades de empatar o jogo, não empatamos, mas independente do que eles vierem propor para o jogo, nós temos que propor o jogo e pensar na vitória", afirmou o meia.

A maior novidade para este jogo é a presença do atacante Kléber, que depois de um mês, se recuperou de lesão na coxa. Como está sem ritmo de jogo e precisa aprimorar a parte física, deve ficar apenas como opção para ser usado por Forner durante o jogo. Alex Alves, zagueiro reserva, sofreu uma lesão muscular e está fora de combate.

Provável Coritiba: Wilson; Marcos Moser, Thalisson Kelven, Romércio e Léo Andrade; João Paulo; Julio Rusch, Thiago Lopes, Iago Dias e Guilherme Parede; Alecsandro. 

Hélio esconde escalação

Por se tratar de uma decisão, o técnico Hélio dos Anjos decidiu fazer um treino de portões fechados nesta terça-feira (13). O trabalho serviu para o comandante esmeraldino fazer alterações táticas na equipe, apesar de não ter definido quem serão os 11 titulares. A principal dúvida dele está em quem será o centroavante titular, contando com Lucão e Júnior Viçosa como opções.

Apesar de ter jogado pelo Paraná, Eduardo Brock não teve a oportunidade de enfrentar o Coxa na temporada passada. Isso porque o zagueiro chegou para o Campeonato Brasileiro, onde as equipes disputavam divisões diferentes. Agora no Goiás, ele logo se tornou líder, principalmente por ser um dos mais experientes do elenco do esmeraldino. Em coletiva concedida por ele na última segunda-feira (12), Brock falou sobre a partida.

“A chave muda, é um jogo de mata. Tem que ser um jogo de erro zero, de excelência, perfeito, assim como foi na primeira partida, em casa, quando tivemos uma grande atuação. Essa pequena vantagem pode ser utilizada no final no jogo, mas não vamos entrar pensando nisso. Temos que fazer um grande jogo, impor nosso modo de jogar. Vamos entrar com a mesma estrutura e característica”, destacou.

Provável Goiás: Marcelo Rangel; Caíque Sá, David Duarte, Eduardo Brock e Jefferson; Léo Sena, Madison e Giovanni; Tiago Luís, Carlos Eduardo e Lucão.