Sampaio Corrêa bate Bahia e abre vantagem para jogo da volta na final da Copa do Nordeste

Confronto marcado nos extremos: equipe maranhense abre placar no primeiro lance da partida, enquanto arbitragem anula gol legal dos baianos no último minuto

Sampaio Corrêa bate Bahia e abre vantagem para jogo da volta na final da Copa do Nordeste
Foto: Elias Auê/Sampaio Corrêa
Sampaio Corrêa
1 0
Bahia
Sampaio Corrêa: Andrey; Bruno Moura, Joécio, Maracás, Alyson; William, Diego Silva, Fernando Sobral, João Paulo; Danielzinho, Uilliam. Técnico: Roberto Fonseca
Bahia: Anderson; Nino Paraíba, Tiago, Lucas Fonseca, Léo; Gregore, Edson; Zé Rafael, Régis, Mena; Junior Brumado. Técnico: Enderson Moreira
Placar: 1-0, min.1, Uilliam.
INCIDENCIAS: Confronto válido pelo jogo de ida da Final da Copa do Nordeste 2018, disputado no Estádio Castelão, no Maranhão.

Nesta quarta-feira (4), o Sampaio Corrêa bateu o Bahia por 1 a 0 e saiu na frente na decisão da Copa do Nordeste. O único gol da partida - disputada no Estádio Castelão, no Maranhão - foi marcado pelo atacante William.

As equipes chegaram à grande final cercadas de autoridade no decorrer da competição. Após se classificar em segundo lugar no Grupo D na fase de grupos, o tricolor maranhense passou por ABC e Vitória nas fases seguintes, marcando cinco vezes e sofrendo somente um tento nos confrontos diante das equipes citadas.

No tricolor baiano, foi-se depositada confiança desde a fase de grupos, quando a equipe se classificou em primeiro lugar no Grupo C. Na fase mata-mata, enfrentou Botafogo-PB e Ceará - esse último, foi considerado um dos grandes confrontos da temporada, sendo vencido pela diferença de um gol no placar agregado.

A grande final começou a todo vapor com a pressão imposta pelo time da casa, dando nem mesmo tempo ao goleiro do tricolor baiano, Anderson, se aquecer para a partida. Logo no primeiro minuto do jogo, após escanteio cobrado na área, o atacante William aproveitou o espaço no miolo da zaga adversária e abriu o placar da partida.

Dentro de casa, buscando o título inédito da competição regional, estar em vantagem no começo da partida parecia o cenário perfeito para o torcedor boliviano. Sendo assim, o Sampaio se manteve no ataque para tentativa de ampliar o placar, porém, a disposição física não permitiu e a equipe deu trégua na pressão. Mesmo assim, o Bahia demonstrou sentir o tento sofrido e apenas passou perigo ao seu adversário na metade da etapa inicial.

No entanto, a desorganização tática e a falta de predominavam e impossibilitaram a equipe de igualar o placar na primeira etapa. Com isso, o primeiro tempo foi marcado pela esperança inicial de uma partida movimentada, porém, se resultou em pouco brilho de ambas equipes, gerando poucas oportunidades e um futebol de baixo nível técnico.

Diante da necessidade de empatar o placar, a equipe visitante voltou à segunda etapa com postura diferente, se impondo no campo de ataque e causando um ganho no ritmo da partida. A grande mudança se deu pela aposta do treinador Enderson Moreira em Elber, que entrou aos 17 minutos da segunda etapa e criou as principais chances de perigo do Bahia.

Posicionado na ponta direita do campo, o ligeiro jogador levou perigo logo em seus primeiros toques na bola, dois minutos após sua entrada, quando recebeu bola em profundidade e cruzou para Régis cabecear. O gol de empate foi impedido pelo zagueiro Joécio, da equipe boliviana, que afastou o perigo em sua pequena área. Na sequência da partida, o Bahia ainda sentia falta da organização na criação das jogadas, mesmo com as presenças de Régis e Zé Rafael em campo, impossibilitando novas chances de perigo. 

Então, Enderson Moreira optou pela entrada de Vinícius no lugar de Régis para melhorar o quesito do passe da equipe e também gerar velocidade pelo lado esquerdo. A mudança causou efeito e se viu um tricolor baiano mais aguerrido em campo, pressionando o Sampaio Corrêa em seu campo de defesa e em tentativas incessantes pelo gol de empate.

Pode-se dizer que o camisa 29 mudou o andamento da partida para o lado baiano, e por pouco não alterou o placar da partida. Primeiro, aos 30 minutos, o meia cobrou falta na área na medida para Tiago cabecear. Na finalização, o goleiro Andrey não segurou a bola, que bateu na trave e voltou para o arqueiro. Agradecendo sua companheira, Andrey beijou a trave antes de dar andamento à partida.

No último lance da partida, uma polêmica que deve render debates ao longo da semana, onde, desta vez, Vinicius apareceu como finalizador da jogada. Aos 48 minutos, o Bahia apareceu novamente pela direita, com Gregore, que observou infiltração de Nino Paraíba e lançou o lateral. Após o passe, Nino entrou na área e tocou em direção a quatro jogadores do tricolor baiano, que estavam prontos para igualar o marcador. O responsável para empurrar a bola para as redes foi Vinicius, porém, o andamento da jogada já estava anulado. O auxíliar havia marcado impedimento do lateral-direito baiano na infiltração da jogada. No entanto, ao revisar a jogada, o jogador do Bahia estava em condição legal, logo, o lance foi mal anulado.

Como na Copa do Nordeste não há auxílio do árbitro de vídeo, como na Copa do Mundo, as equipes seguiram na partida, porém, não havia mais tempo para a criação de jogadas.

Com isso, o Sampaio Corrêa terminou o confronto com a vantagem de 1 a 0 no placar, necessitando apenas de um empate no próximo sábado, às 17h45, na Fonte Nova, para conquistar o inédito troféu da competição.