Gregore avalia confronto contra o Palmeiras: ''Não estamos preocupados com revanche''

Tricolor busca primeira vitória contra time alviverde, responsável pela eliminação do Esquadrão na Copa do Brasil

Gregore avalia confronto contra o Palmeiras: ''Não estamos preocupados com revanche''
Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Na próxima rodada da Série A, o Bahia enfrentará um adversário bem reconhecido, mas que não traz boas recordações recentes. O Tricolor vai encarar pela quarta vez no ano o Palmeiras. Até aqui, o time ainda não conseguiu vencer a equipe paulista e acumula duas derrotas e um empate. Na Copa do Brasil, foi o Verdão o clube responsável pela eliminação do Bahia.

 O volante Gregore não enxerga clima de revanche na partida. O atleta destaca a necessidade de bom resultado do Bahia, atualmente na 13ª posição, com 28 pontos, quatro a menos que o Sport, clube que abre a zona de rebaixamento do Brasileirão. "A gente foi eliminado perante o Palmeiras, mas agora é outro campeonato. A gente não está preocupado com revanche. A gente quer vencer de qualquer forma para subir na tabela", afirma.

O Palmeiras é mais um clube que o Bahia vai ter pela frente em sequência difícil pelo campeonato. Além da equipe paulista, o Tricolor vai enfrentar Flamengo e Grêmio, equipes que ocupam o G-6, nas próximas quatro rodadas da competição.  "Nossa sequência não está sendo fácil. Cada jogo é uma decisão. Agora não vai ser diferente. Esses três times que estão no G-6 a gente vai jogar contra e ganhando encostamos neles também. Esse é nosso objetivo", declara o volante.

O atleta reconhece a força e o nível do adversário, mas acredita na vitória do Esquadrão conquistada por meio da concentração.  "A gente sabe da qualidade. É um grande investimento feito por eles. A gente tem que concentrar no trabalho do professor para chegar bem e sair com o triunfo", disse o jogador.

O ponto positivo de toda essa situação é que o time treinado por Enderson Moreira está em uma rara semana livre para treinar até a partida contra o Palmeiras. Algo que ainda não havia acontecido desde a chegada do técnico. "Uma raridade, mas a gente e tem ciência do calendário do brasileiro. Graças a deus a gente tem essa semana aberta para descansar, trabalhar potência, velocidade, que não tinha tempo para trabalhar", finaliza Gregore.