Insatisfeito, Jorge Jesus critica convocação: "Quem paga os jogadores são os clubes"
Foto: Alexandre Vidal/ Flamengo

Nesse sábado (21), o Flamengo foi até Belo Horizonte e venceu o Cruzeiro por 2 a 1, conquistando o sétimo triunfo consecutivo, um recorde do clube na história do Campeonato Brasileiro, e se isolando ainda mais na liderança, com 45 pontos. Após a partida, o técnico Jorge Jesus valorizou a dificuldade que a equipe celeste impôs e criticou a marcação do pênalti de Rodrigo Caio em Pedro Rocha, que originou o gol mineiro na partida:

"Foi uma vitória difícil pois o time do Cruzeiro tem bons jogadores. Ainda não se encontrou como equipe, mas quando esses jogadores enfrentam times grande, como é o Flamengo, atuam bem. Além disso, o gramado estava ruim, alto, então, tirou qualidade dos dois times. O Flamengo está muito motivado e confiante e hoje fez mais um jogo muito correto."

"Esta vitória não deixa dúvidas. Poderia ser mais fácil se o pênalti não tivesse sido marcado. É difícil marcar contra o Flamengo. Tivemos duas contra Bruno Henrique, não hoje. Rodrigo Caio não tocou no Pedro. Na dúvida, sempre é contra o Flamengo. Não quero favorecimento, mas não quero ser prejudicado."

Na última sexta-feira (20), o técnico Tite fez mais uma convocação para amistosos contra Senegal e Nigéria em Singapura, e chamou Rodrigo Caio e Gabriel Barbosa, desfalcando a equipe da Gávea em pelo menos duas partidas, contra Atlético-MG e Athletico-PR. O técnico português reclamou da perda de dois atletas nessa Data Fifa, apontando a mudança de discurso do treinador da Seleção, comparando com a situação da Argentina, e pediu uma atitude dos clubes:

"Vamos perder os convocados pelo Brasil e o Arrascaeta. Em um momento muito complicado, decisivo para o campeonato. Não entendo muito bem, porque a seleção do Brasil disse que era convocado um jogador por equipe para não ter uma interferência direta. Se olharmos para a Argentina, teve o cuidado de não convocar nenhum jogador nem do Boca e nem do River, que estão em competições importantes para o futebol argentino."

"Mas aqui é mais importante jogar contra Senegal e Nigéria. É muito mais importante, mas financeiramente, pelos cachês que se pagam às seleções. Mas quem paga aos jogadores são os clubes, e não a seleção. Acho que os clubes precisam ter um pouco mais força sob o que é o seu produto, e o seu produto é o jogador."

Ao ser questionado sobre a evolução da equipe, Jesus elogiou a inteligência dos jogadores, e destacou as mudanças táticas que realizou durante a partida no Mineirão:

"Mudo o time com muita facilidade, parece que estamos juntos há três anos. Temos jogadores inteligentes. Fácil passar alterações de posição. Acho que foi um dos bons momentos do time do Flamengo ao longo desta caminhada no Brasileiro."

Na quarta-feira (25), às 21h30, no Maracanã, o Rubro-Negro enfrentará o Internacional, pela 21ª rodada. Em caso de vitória, a equipe carioca estabelecerá um novo recorde de triunfos consecutivos como mandante no Brasileirão, mantendo os 100% e a liderança.

VAVEL Logo