Sem inspiração, Santos empata com Olimpia na Vila Belmiro pela Libertadores
Foto: Divulgação / Conmebol

As equipes brasileiras voltaram à Copa Libertadores da América 2020 nesta terça-feira (15). Enquanto o Athletico venceu o Jorge Wilstermann fora de casa, o Santos não saiu do 0 a 0 contra o Olimpia, na Vila Belmiro, em duelo válido pela terceira rodada do Grupo G. 

Nem mesmo a expulsão de Rodrigo Rojas, ainda na metade da segunda etapa, foi capaz de trazer mais inspiração para o Santos. O Peixe pouco fez para conseguir o resultado, enquanto o Olimpia conseguiu travar bem a partida.

Onze contra onze

O Santos propunha o jogo, mas pouco conseguia fazer. Raniel, centroavante da equipe, voltava muito para buscar jogo, enquanto Marinho e Soteldo (nas pontas direita e esquerda, respectivamente), não conseguiam ser agudos. Carlos Sánchez, com atuação ruim, deixava Pará avançar na direita - o que não acontecia no lado oposto, com Diego Pituca se sobrepondo a Felipe Jonatan.

O Olimpia, por outro lado, flutuava muito e pouco apareceu na área - a dupla de ataque titular, formada por Roque Santa Cruz e Néstor Camacho, foi substituída por Isidro Pitta e Hernesto Caballero, que pouco avançavam. Coube a Alejandro Silva e William Candia tentar ganhar a linha de fundo, mas pouco conseguiram no 4-4-2 tradicional do Decano - Peixe alinhava no 4-3-3.

Aos nove minutos, a primeira finalização do jogo. Richard Ortiz arriscou de longe e João Paulo fez boa defesa. A primeira descida do Peixe veio só aos 24 minutos, com Diego Pituca finalizando bom passe de Yeferson Soteldo. Librado Azcona defendeu. Dois minutos depois, a resposta: Isidro Pitta desce pela direita e chuta, com bom trabalho de João Paulo. 

O Santos melhorou nos últimos dez minutos da primeira etapa. Soteldo recebeu livre no lado esquerdo e finalizou na trave. Aos 40, Marinho, em cobrança de falta, fez Azcona dar um soco na bola. Por fim, dois minutos, o momento tétrico da partida. Marinho cruzou para Raniel e ele tentou finalizar de bicicleta, mas furou.

De nada adiantou a maior posse de bola (54%) e nem o maior número de finalizações (oito a sete) do Peixe. O Olimpia, por sinal, chutou mais vezes no alvo: dois a um. Faltava inspiração ao Santos.

O Santos seguiu pressionando na segunda etapa. Felipe Jonatan, pegando rebote de escanteio, chutou de longe e forçou Azcona a fazer nova boa defesa. Dois minutos depois, após casquinha de Carlos Sánchez, Raniel não conseguiu finalizar a bola com o gol já aberto.

Liberdade

Com 22 minutos do segundo tempo, o lance que poderia mudar os rumos da partida. Rodrigo Rojas, que já tinha amarelo, chegou forte em Marinho e foi expulso de campo. 

Curiosamente, a primeira boa chegada após a expulsão foi do Olimpia. William Chandia cruzou e Luis De la Cruz cabeceou fraco, nas mãos de João Paulo.

O Santos tentou ir para o tudo ou não, mas não ofereceu grande perigo à meta de Azcona. Jean Mota, Diego Pituca e Madson tentaram finalizações, mas pouco conseguiram.

A partida acabou com 60% de posse de bola do Peixe (67% no segundo tempo) e vantagem santista nas finalizações (16 a nove). Nada disso, porém, deu a vitória ao Santos.

Classificação e próximos jogos

Pela Libertadores, o Santos vai até o Jocay para enfrentar o Delfín, na próxima quinta-feira (24), às 23h (Horário de Brasília). O Olimpia, um dia antes, visita o Norberto Tomaghello para encarar o Defensa y Justicia, às 19h15 (Horário de Brasília. Antes disso, no domingo (20), o Peixe encara o Botafogo, às 18h15, pelo Brasileirão. 

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore
VAVEL Logo