Falha defensiva e gol relâmpago: Racing e Flamengo empatam na Libertadores
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Na noite desta terça-feira (24), o Racing empatou com o Flamengo por 1 a 1, no estádio Presidente Perón, pela primeira partida das oitavas de final da Libertadores. Os gols foram marcados por Fértoli aos 13 minutos do primeiro tempo e de Bruno Henrique aos 15 minutos, tirando o peso e colocando de volta em pouco tempo para a La Academia.

O Racing de Sebastián Beccacece atuou no 4-3-3, principalmente com a bola, pois sem a pelota a equipe argentina atuou no 5-4-1, tendo a intenção de montar uma forte estrutura defensiva para sair em contra-ataque sendo armado pelos alas. A linha alta com marcação individual sufocou a defesa rubro-negra que teve muita dificuldade para sair com a bola nos pés, optando assim pelo chutão.

O Flamengo de Rogério Ceni atuou no 4-2-3-1, tendo a volta do quarteto mágico com Everton Ribeiro, De Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol. Com dificuldade para sair jogando, a equipe precisou atuar em bloco médio abrindo o jogo pela esquerda com Filipe Luís, Arrascaeta e Bruno Henrique respectivamente. E pelo mesmo lado, no caso do Racing pela direita, foi a arma crucial para a equipe argentina obter as infiltrações com o velocista Fértoli e Dominguez.

E foi dessa forma que saiu o gol da La Academia, aos 13 minutos do primeiro tempo, partindo pela direita na disputa pela bola com Fabrício Dominguez enfileirando Gerson, Filipe Luís e Léo Pereira e cruzando rasteiro para Fértoli empurrar a bola para o gol. No entanto, dois minutos depois, priorizando o jogo rápido para sair do sufoco com a linha alta do Racing, Léo Pereira lança por cima para Arrascaeta que devolve com categoria para Bruno Henrique que dispara pela esquerda e toca de trivela para Gabigol empurrar a bola para empatar a partida.

Durante a primeira etapa, o Flamengo teve mais duas oportunidades de fazer o gol, a primeira delas com uma finalização fraca de Gabigol após o porta-luz de Everton Ribeiro pela direita aos 24 minutos. Três minutos depois, o Racing chega com perigo através de uma cabeçada de Lisandro López que não consegue fazer o segundo gol e nem terminar com o jejum que perdura há um ano.

Gabigol agora tem 11 gols pelo Flamengo na Libertadores, atrás apenas de Zico, que tem 16 (Foto: Divulgação/Conmebol)
Gabigol agora tem 11 gols pelo Flamengo na Libertadores, atrás apenas de Zico, que tem 16 (Foto: Divulgação/Conmebol)

Na etapa final, a quantidade de gols anulados passou dos limites fazendo com que o empate fosse mentiroso. A maioria deles sendo feito pelo Racing que aproveitava as constantes falhas defensivas rubro-negras que deixavam buracos pelo meio do campo, apesar do adversário estar marcando pelas pontas.

A expulsão do zagueiro Thuller foi o estopim para a equipe de Rogério Ceni fechar a defesa e administrar o resultado aproveitando o gol qualificado fora de casa. Foram poucas vezes que o Flamengo chegou ao último terço do campo, mas quando o fez, levou perigo para o gol de Arias. A chuva e a confusão no final da partida foi o ápice de muita pressão para o Rubro-Negro que teve dificuldade para sair jogando e, com uma La Academia que abaixou o bloco alto após sentir cansaço e ficar satisfeito com o resultado.

Jogo de volta

O segundo jogo da volta das oitavas de final da Libertadores entre as equipes será no dia 1 de dezembro, no Maracanã, às 21h30. O placar agregado com o empate por 1 a 1 abre vantagem para o Flamengo que saiu com o gol qualificado fora de casa.

 

VAVEL Logo