Com dúvidas na escalação, Avaí recebe Paraná tentando manter embalo e permanecer no G-4

Além dos desfalques, Claudinei Oliveira tem que administrar algumas situações para acertar time catarinense, enquanto paranistas querem somar últimos pontos necessários para evitar qualquer risco de rebaixamento

Com dúvidas na escalação, Avaí recebe Paraná tentando manter embalo e permanecer no G-4
Foto: Divulgação/Paraná Clube
Avaí
Paraná
Avaí: Renan; Alemão (Luiz Gustavo), Fábio Sanches, Betão (Gabriel), Capa; Judson, João Filipe, Diego Jardel, Marquinhos; Rômulo, Tatá. Técnico: Claudinei Oliveira
Paraná: Marcos; Leandro Silva, João Paulo, Pitty, Rafael Carioca; Anderson Uchôa, Diego Tavares, Cristian, Nadson; Lúcio Flávio, Fernando Karanga. Técnico: Roberto Fernandes
ÁRBITRO: Luiz César de Oliveira Magalhães, que será auxiliado por Marcione Mardonio da Silva Ribeiro e Armando Lopes de Sousa, todos do CE
INCIDENCIAS: 34ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, no Estádio da Ressacada, em Florianópolis, SC; a partida começa às 19h30 (horário de Brasília)

Envolvido em uma luta ferrenha pelo acesso à Série A, o Avaí terá que superar os desfalques para vencer o Paraná e se manter entre os quatro primeiros na Série B. Com a melhor campanha do segundo turno do campeonato, o Leão, se vencer, garante-se mais uma rodada na terceira colocação.

No primeiro turno, na Vila Capanema, as equipes empataram em 0 a 0. Na história, foram 14 encontros entre as equipes e a vantagem é grande para o Avaí. Foram seis vitórias do Leão, seis empates e apenas duas vitórias do Paraná.

Claudinei aguarda situação de atletas para organizar time

O empate em 0 a 0 contra o Vasco, fora de casa, foi importante para cumprir a meta de quatro pontos conquistados nas duas partidas fora de casa que o Avaí fez em sequência - antes havia vencido o Vila Nova por 2 a 1. O Leão começou a rodada em 3º, mas foi ultrapassado pelo Bahia, e ocupa agora a 4ª posição, com 55 pontos. Se vencer, volta à posição do início da rodada.

Como o Avaí entrou em campo pela última vez no dia 26 de outubro, teve tempo para recuperar alguns jogadores que estavam se recuperando de lesão. Além do atacante Vitor, o lateral Alemão e o meia Renato, costumeiramente titulares, voltam a ficar à disposição de Claudinei Oliveira. O primeiro tem mais chances de ser titular, enquanto o segundo deve começar no banco, porque não foi liberado de alguns treinamentos da semana por conta do falecimento de sua irmão. O zagueiro Betão também ficou fora de alguns treinamentos por conta de dores musculares, mas também deve começar o jogo.

Por outro lado, Claudinei tem problemas para o ataque. William saiu machucado durante o jogo contra o Vasco e, seu substituto, Lucas Coelho machucou o joelho e provavelmente está fora da Série B. O treinador do Avaí confirmou boa parte do time, mas depende da situação de alguns jogadores para escalar o time neste sábado (5).

"Conversei com o Betão antes do treino. Ele é experiente e conhece seu corpo e, pelo que falou, está apto. Pode acontecer algo de hoje para amanhã, mas ele está bem. Conversei com o Alemão e, se ele não sentir condições de jogar 90 minutos ou receio, não é interessante começar. Infelizmente perdemos o William e o Lucas (Coelho). Não vamos lamentar. Temos que valorizar o grupo e dar uma sequência boa", explicou.

Por conta dos problemas no ataque, Claudinei relacionou para os jogos os jovens atacantes Devid e Santarém para a partida. Além deles, a novidade é o retorno do lateral-esquerdo João Paulo, que não atua desde o jogo contra o Atlético-GO no dia 21 de junho, ainda pelo primeiro turno.

Paraná quer afastar de vez risco de rebaixamento

A goleada por 4 a 1 sobre o Bragantino, primeiro time dentro do Z-4, aliviou a vida do Paraná em relação ao rebaixamento. Com 39 pontos, o time ocupa o 15º lugar, mas tem nove pontos de vantagem para o 17º colocado.

Apesar da situação confortável na tabela, o técnico Roberto Fernandes quer conquistar o mais rápido possível os últimos necessários para garantir matematicamente seu time na Série B do ano que vem.

"Minha obrigação é que estejamos matematicamente garantidos na Série B de 2017. Até lá o que continuamos fazer é buscar vitórias. Se vier sobre o Avaí e isso nos garantir, vamos pensar em outras coisas. Se não vir, vamos tentar contra o Paysandu e em diante. Mas enquanto não tiver (garantida a permanência), temos que seguir trabalhando. No futebol se vê cada surpresa, que não precisamos aprender como lição", alertou.

Para buscar a vitória fora de casa, o Paraná precisa quebrar uma sequência muito ruim do time como visitante. Os paranistas têm a 15ª campanha jogando longe da Vila Capanema, com apenas três vitórias em 16 jogos. A última delas na 14ª rodada: 1 a 0 contra o Bragantino.