Deu zebra: Aparecidense vira no fim e elimina Botafogo da Copa do Brasil

Gol de Gustavo Ramos nos minutos finais da partida decretam eliminação precoce do Alvinegro na competição

Deu zebra: Aparecidense vira no fim e elimina Botafogo da Copa do Brasil
Foto: Divulgação/AA Aparecidense
Aparecidense
2 1
Botafogo
Aparecidense: Busatto; Everton Costa, Filipe Costa, Mirita, Helder; Wagner, Thiago Ulisses; Uederson (Cristian), Alex Henrique (Gustavo Ramos), Aleilson (Kaio Wilker); Nonato
Botafogo: Jefferson; Marcelo, Joel Carli, Igor Rabello; Arnaldo, João Paulo, Dudu Cearense (Rodrigo Lindoso), Gilson; Luiz Fernando (Renatinho), Rodrigo Pimpão; Brenner (Kieza)
Placar: 0-1, Pimpão; 1-1, Nonato; 2-1, Gustavo Ramos

A primeira zebra da Copa do Brasil ocorreu nesta terça-feira (6) e logo na sua fase inicial. No Estádio Anibal Batista de Freire, a Aparecidense derrotou o Botafogo por 2 a 1 de uma forma heroica, com gols de Nonato e Gustavo Ramos, e avançou para o próximo estágio da competição. Rodrigo Pimpão marcou o gol do alvinegro e foi expulso no segundo tempo.

A equipe de General Severiano voltará a campo no próximo sábado (10), para enfrentar o Flamengo, pela semifinal da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca. A Aparecidense, por sua vez, enfrentará o Goiás, no Serra Dourada, pela sétima rodada do Campeonato Goiano. 

Pimpão abre o placar cedo e Botafogo desperdiça chances

Apresentando um novo esquema, com três zagueiros, o Botafogo começou bem. Logo aos sete minutos, João Paulo fez um lindo lançamento pelas costas da defesa da equipe goiana, encontrando Rodrigo Pimpão. Na saída de Busatto, o camisa 7 deu um toque de cobertura para marcar um gol de muita categoria. Foi a primeira vez que a equipe de General Severiano abriu o placar durante os primeiros minutos de uma partida no ano e o fim do jejum de 23 jogos sem marcar para o atleta.

A Aparecidense, por sua vez, tentava chegar ao ataque por meio de cruzamentos para Nonato, mas que foram cortados com perfeição pela defesa do Botafogo. Dessa maneira, a equipe da casa enxergava as alternativas de empatar o placar por meio de chutes de média/longa distância, principalmente com o atacante Aleilson. Após o gol, a equipe visitante perdeu um pouco a posse da bola, tentando se aproveitar de possíveis contra-ataques.

Aos 35 minutos, o lateral Felipe Costa se enrolou com a bola, Pimpão roubou-a e tentou cruzar para Brenner, mas a defesa afastou. Na sobra, Arnaldo voltou a recuperar a posse ao Botafogo, tocou para o camisa 9, que, com espaço, teve tempo para pensar e tocar para o lado, buscando Luiz Fernando. Bussatto conseguiu afastar e a bola sobrou para o camisa 7 que, completamente livre, acabou finalizando com força, muito para cima do gol.

Sete minutos depois, o Botafogo teve outra chance clara de aumentar o placar: João Paulo limpou dois marcadores no meio campo e achou Rodrigo Pimpão, do lado oposto, com um forte lançamento. O autor do primeiro gol driblou e achou Luiz Fernando sem marcação dentro da área, mas o atleta ex-Atlético-GO, apesar da liberdade, não finalizou da maneira que desejava e permitiu uma fácil defesa para Bussatto. 

Aparecidense é melhor e consegue classificação heroica 

Ao contrário do que havia acontecido no primeiro tempo, dessa vez foi a Aparecidense que abriu o placar cedo: aos três minutos, Rafael Cruz, livre pelo lado direito, fez um cruzamento milimétrico para o artilheiro Nonato que, contando com um vacilo dos defensores do Botafogo, cabeceou para o fundo das redes, empatando o jogo sem chances para Jefferson, que igualou o recorde como goleiro que mais vezes vestiu a camisa da equipe de General Severiano.

O Botafogo sentiu bastante o gol. Com o apoio vindo das arquibancadas, a equipe da casa cresceu na partida, o que pôde ser visto no time visitante, que passou a errar muitos passes e, consequentemente, não ir ao ataque e não criar nenhuma chance real de gol. Apesar da entrada de Kieza, que poderia oferecer mais mobilidade ao ataque alvinegro, os primeiros 15 minutos de etapa complementar da equipe de Felipe Conceição foram abaixo da média, com a Aparecidense sendo superior.  

Com o passar do tempo, a equipe do Botafogo voltou a tomar controle da partida, tentando colocar uma pequena pressão em cima da Aparecidense. A principal jogada era sempre com Rodrigo Pimpão, pela direita, e Gilson, pela esquerda, que sempre buscavam cruzamentos na direção de Kieza, mas que eram sempre afastados pelos zagueiros Mirita e Filipe Costa.

Na altura dos 35 minutos, a Aparecidense passou a pressionar demais a equipe carioca, que, tendo o resultado a seu favor, passou a se defender mais. A missão, porém, ficaria mais difícil três minutos mais tarde, quando Rodrigo Pimpão, após supostamente insultar o árbitro, foi expulso. De tanto atacar, a equipe da casa conseguiu o objetivo aos 39, quando Gustavo Ramos virou o jogo com um bonito gol de cabeça e decretar a classificação da equipe da casa.