Chapecoense segura pressão do Botafogo, vence fora de casa e engata segundo triunfo seguido

Verdão do Oeste marca um gol em cada tempo e quebra sequência invicta do Glorioso, que permanece firme no G-6 do Campeonato Brasileiro

Chapecoense segura pressão do Botafogo, vence fora de casa e engata segundo triunfo seguido
Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo
Botafogo
0 2
Chapecoense
Botafogo: Sidão; Alemão, Joel Carli, Emerson e Victor Luís; Rodrigo Lindoso, Airton, Diogo Barbosa (Gervásio Nuñez, 2ºT) e Camilo; Neilton e Rodrigo Pimpão (Min. 37, Vinícius Tanque, 2ºT). Técnico: Jair Ventura
Chapecoense: Danilo; Matheus Caramelo, Neto, Thiego e Dener; Matheus Biteco, Sérgio Manoel e Cléber Santana (Min. 37, Arthur Maia, 2ºT); Tiaguinho (Min. 39, Ailton Canela, 2ºT), Kempes (Min. 31, Bruno Rangel, 2ºT) e Lucas Gomes. Técnico: Caio Júnior
Placar: 0-1, Min. 32, Kempes, 1ºT; 0-2, Min. 19, Sérgio Manoel, 2ºT
ÁRBITRO: Dewson da Silva, auxiliado por Márcio Dias e Helcio Neves. Cartões amarelos: Victor Luís e Airton (Botafogo); Neto (Chapecoense)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro, disputada na Arena Botafogo, no Rio de Janeiro

A Arena Botafogo recebeu um bom público na noite desta quarta-feira (16), para o duelo entre Botafogo e Chapecoense, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. No entanto, a torcida viu a equipe da casa sair derrotada por 2 a 0, com um gol em cada tempo. Os tentos foram marcados por Kempes e Sérgio Manoel.

A derrota quebrou uma sequência invicta do Botafogo de sete partidas, além de adiar a confirmação da participação do Glorioso na próxima Copa Libertadores da América. A equipe do técnico Jair Ventura permanece em 5º lugar, com 55 pontos. Agora, o alvinegro enfrenta o líder Palmeiras, no domingo (20), às 17h, no Allianz Arena, em São Paulo.

A Chapecoense, que, pensa na semifinal da Copa Sul-Americana, permanece na 10ª posição, com 49 pontos, três a menos que o Atlético-PR, última equipe a figurar o G-6. Neste domingo, a equipe do técnico Caio Júnior recebe o São Paulo, na Arena Condá, às 19h30. 

Botafogo para na trave e Chapecoense surpreende na primeira etapa

As duas equipes começaram a partida estudando uma a outra. Os erros de passes e a marcação bem encaixada da Chapecoense, dificultavam a vida do Botafogo. Rodrigo Pimpão tentava jogadas no ataque, mas logo era desarmado. Mas a primeira chance clara de gol ocorreu aos 15 minutos, quando Thiego recuou mal para Danilo, que quase se complicou, se Neilton não tivesse perdido o tempo de bola.

Aí a Chapecoense resolveu aparecer. Aos 25 minutos, em cobrança fechada de escanteio, Kempes surgiu com perigo e desviou à esquerda da meta do goleiro Sidão. Mas, aos 32, o atacante marcou o primeiro da partida. Cléber Santana cobrou falta na área e o centroavante cabeceou firme para o fundo da rede. Quatro minutos depois, Camilo tentou o empate para o Bota em cobrança de falta, mas acabou parando na trave.

Jair Ventura tentava acalmar seus jogadores naquele momento. Valia tudo naquele momento. Prova disso é que Carli se aventurou como atacante e passou por dois marcadores na área, mas, no cruzamento, acabou sendo bloqueado.

Alvinegro pressiona, mas Verdão liquida partida em belo contra-ataque

O Botafogo mudou a postura na segunda etapa. Começou pressionando a Chapecoense. Logo no primeiro minuto, Camilo fez jogada com Rodrigo Pimpão, que tentou devolver para o camisa 10 com um cruzamento. Thiego, na tentativa de cortar o perigo, acabou desviando e quase complicou a vida de Danilo, que deu um tapa para escanteio.

Danilo trabalhou novamente aos 12 minutos, quando Neilton arriscou chute forte de fora da área. Rasteiro. Assim, o goleiro da Chape teve que se esticar para espalmar pela linha de fundo. Na cobrança de escanteio, Camilo apareceu com perigo para cabecear, mas o arqueiro do Verdão estava inspirado e impediu o gol de empate.

Mas, aos 19, a esperança de reação alvinegra foi embora com o excelente contra-ataque armado pela Chapecoense. Thiaguinho serviu Sérgio Manoel muito bem com um toque de trivela. Restou ao volante ganhar na corrida e tocar na saída do goleiro Sidão. Dois minutos depois, Neilton arriscou de fora da área e Danilo soltou, quase cedendo rebote para Pimpão, impedido pela zaga catarinense.

O Botafogo quase diminuiu com Camilo, que aproveitou bola desviada de Joel Carli e mandou de primeira, dentro da área. A bola, no entanto, explodiu no travessão de Danilo. Aos 38, foi a vez de Gervasio Nuñez assustar a defesa adversária, quando arriscou de canhota. A bola passou à direita da meta catarinense. Assim, a Chape quebrou uma sequência invicta do Glorioso de sete partidas.