Diante do embalado Avaí, Criciúma tenta manter retrospecto recente contra rival

Tigre não perde para o Leão desde 2013, e, diante de sua torcida, busca recuperação após primeira derrota na Série B; Silas mantém escalação novamente para tentar primeira vitória fora de casa

Diante do embalado Avaí, Criciúma tenta manter retrospecto recente contra rival
Criciúma venceu os dois confrontos em 2016 (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Criciúma
Avaí
Criciúma: Luiz; Ezequiel, Raphael Silva, Nathan, Niltinho; Barreto, Douglas Moreira, Élvis, Juninho; Roberto, Gustavo. Técnico: Roberto Cavalo
Avaí: Renan; Renato, André Santos, Gabriel, João Paulo; Lucas de Sá, Jajá; Tatá, Tauã, Romarinho; William. Técnico: Silas
ÁRBITRO: Nielson Nogueira Dias (PE), que será auxiliado por Carlos Berkenbrock (SC) e Eli Alves (SC)
INCIDENCIAS: 5ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, no Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma, SC; a partida começa às 19h15

No segundo clássico catarinense na Série BCriciúma Avaí se enfrentam no Heriberto Hülse. Apesar de terem a mesma pontuação, sete pontos, o Leão tem vantagem nos critérios de desempate e está em 3º lugar, duas posições acima do Tigre.

O Criciúma defende dois tabus diante do Avaí. Nos últimos cinco jogos diante do rival da capital, três vitórias, dois empates e nenhum gol sofrido. Em casa, o Tigre não perde para o Leão desde 2012: foram três vitórias e um empate no período. Em 2016, duas vitórias: 1 a 0 no Heriberto Hülse e 2 a 0 na Resssacada.

No geral, o retrospecto é bem favorável para o Criciúma. Os times se enfrentaram 182 vezes na história. O retrospecto aponta 78 vitórias do Tigre, 48 empates e 56 vitórias do Leão.

Após derrota, Cavalo busca novas alternativas

Depois de um começo invicto após as três primeiras rodadas, o Criciúma perdeu pela primeira vez na Série B. Em Maceió, o time foi derrotado pelo CRB por 2 a 1 e agora, diante de seu torcedor, tenta voltar a vencer na competição.

O técnico Roberto Cavalo deve fazer apenas uma alteração em relação à última rodada, mas que mexe com dois setores. O atacante Roberto, ex-Avaí, deve entrar na vaga de Diego Giaretta, que atuou na lateral-esquerda. Assim, o atacante Niltinho será deslocado para o setor. A improvisação será necessária porque o titular da posição, Marlon, se recuperação de uma lesão na face que sofreu na partida contra o Goiás, na terceira rodada.

Por conta do desgaste da viagem e da sequência de jogos, Cavalo apostou em poucos treinamentos e bastante descanso para recuperar o jogo para o clássico no HH.

"Vou trabalhar só 30 minutos a equipe, sem soltar muito. Na Série B, se não tiver um trabalho adequado de recuperação você perde para si mesmo. Nós temos que entender que todos os clubes vão ter altos e baixos, é normal em um campeonato difícil como é a Série B. Para essa partida os jogadores estão mais recuperados, mas nem todos vão manter o futebol de 100%,um ou outro é normal ter uma decadência. Nosso time tem que repetir as atuações dentro de casa, o que nos dá uma tranquilidade dentro dos 90 minutos", afirmou.

Sem tempo para treinar, Cavalo aposta na conversa (Foto: Fernando Ribeiro/Criciúma EC)
Sem tempo para treinar, Cavalo aposta na conversa (Foto: Fernando Ribeiro/Criciúma EC)

Silas aposta na manutenção da equipe para buscar vitória fora

Depois de momentos conturbados durante a temporada, o Avaí tem um momento de maior tranquilidade: são três jogos sem derrota - o que não acontecia desde março. Na última rodada, uma convincente vitória diante do Ceará, em casa, por 4 a 2.

Agora, o técnico Silas espera vencer pela primeira vez fora de casa sob o comando do time. Em seis jogos a frente do Avaí longe da Ressacada, foram cinco derrotas e um empate - na 3ª rodada da Série B contra o Luverdense. Para isso, o treinador aposta na manutenção da equipe que entrou em campo nos dois últimos jogos, apesar do desgaste pela sequência de jogos.

"Por enquanto está tudo certo. Ainda mantemos a ideia de usar o jogo como treino para o próximo jogo, fica até estranho. Jogar, perna para o alto, na conversa, um treino básico de recuperação. Essa tem sido nossa toada até aqui. Temos as preocupações de alguns jogadores que chegaram, jogaram três jogos seguidos, mas por enquanto está tranquilo. A gente mantém os de fora bem para a necessidade", explicou.

Sobre o rival, Silas destacou a evoluão do time, a rivalidade e também a dificuldade de jogar no Heriberto Hülse. "O Criciúma é uma guerra, sempre foi difícil jogar lá, o Cavalo está fazendo um grande trabalho. Também estamos crescendo e vai ter o respeito de lá para cá. Importante é a gente crescer a cada jogo, gostei da nossa última partida, marcamos dois jogadores tops para a Série B, o Bill e o Rafael Costa, isso é importante", destacou.

Silas mantém o mesmo time pelo terceiro jogo consecutivo (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí FC)
Silas mantém o mesmo time pelo terceiro jogo consecutivo (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí FC)