Henrique Dourado: esperança da instabilidade ofensiva do Fluminense chegar ao fim

Com um mês de clube, Dourado é esperança de gols tricolor

Henrique Dourado: esperança da instabilidade ofensiva do Fluminense chegar ao fim
Foto: Divulgação/Fluminense

Para ter um bom aproveitamento num campeonato tão longo e disputado como o Brasileirão, é necessário que os times tenham um equilíbrio entre o setor defensivo e o ofensivo. No Fluminense, o primeiro não é problema. O tricolor carioca tem a defesa menos vazada da competição. Já no setor ofensivo, a escassez de gols não é problema novo. Desde a saída do atacante Fred, o comandante Levir Culpi sofre para encontrar um substituto. Ou sofria. Richarlison, Magno Alves, Samuel. Nenhum obteve o resultado esperado. Para isso, no início do mês de julho, a diretoria tricolor foi em busca de um novo centroavante no mercado português e trouxe Henrique Dourado, apelidado de Ceifador, ex Palmeiras e Cruzeiro.

"Henrique Dourado, o zagueiro tá bolado". Este foi o canto dos tricololores após a contratação do atacante. Diante da situação em que o Fluminense se encontrava - o clube era o pior finalizador da competição na época -, era inevitável, portanto, que a torcida tricolor não depositasse grandes expectativas na nova contratação, visto que já estava acostumada com um líder e goleador, Fred. Dourado, então, estreou depois de 15 dias após assinar contrato, diante do Ypiranga, pelo jogo de volta na terceira fase da Copa do Brasil. Realizou uma boa partida, mas sem gols, mantendo-se longe dos holofotes e manchetes, sendo coadjuvante. 

Henrique Dourado passou a chamar atenção pelos belíssimos gols feitos nos treinamentos supervisionados por Levir Culpi, nas Laranjeiras. E, quatro jogos após sua estreia, finalmente desencantou. Foi diante do América-MG que após cruzamento do lateral William Matheus, Dourado emendou um belo voleio e deu a vitória ao Flu em partida realizada em Cariacica-ES. Dando, enfim, esperanças ao torcedor tricolor de por fim no problema do seter ofensivo.

Na última rodada, já sem o peso da pressão de fazer seu primeiro gol com a camisa do Fluminense, diante do Santa Cruz, novamente deu a vitória ao tricolor carioca, por 1 a 0 após aproveitar um escanteio. 

Henrique. Dourado. Ceifador. Seja qual for o codinome, o centroavante agora se tornou a esperança de gols para a torcida, que conta com o Flu na parte de cima da tabela. O time é o oitavo colocado da competição, com 31 pontos e um jogo a menos.