Ouro Olímpico: relembre a conquista de Marcos Soares e Eduardo Penido em Moscou 1980

Confira a trajetória até o ouro de Marcos Soares e Eduardo Penido na Olimpíada de Moscou, em 1980

Ouro Olímpico: relembre a conquista de Marcos Soares e Eduardo Penido em Moscou 1980
Ouro Olímpico: relembre a conquista de Marcos Soares e Eduardo Penido em Moscou 1980

Na Olimpíada de Moscou, na Rússia, em 1980, o Brasil alcançou um feito inédito: duas medalhas de ouro na Vela. A primeira dupla que subiu no lugar mais alto do pódio foi Lars Björkström e Alexandre Welter, pela classe tornado. Mas logo no outro dia, pela classe 470, os velejadores mais jovens daqueles Jogos Olímpicos conquistaram o segundo ouro do Iatismo na história.

Marcos Soares com apenas 19 anos e Eduardo Penido com 20 formavam a dupla de velejadores cariocas se uniu por uma paixão em comum: o Iatismo. Como era a primeira Olimpíada de Soares e Penido, eles foram sem nenhuma responsabilidade de vencer. Foi exatamente essa despretensão que os fez ir mais longe.

Nas duas primeiras regatas a dupla carioca obteve sucesso e as venceu. Na terceira regata eles conquistaram o segundo lugar, e a quarta corrida os reservou um sexto lugar. Com esses resultados favoráveis, a dupla de jovens iatistas começou a sonhar com uma possível medalha, porém sempre mantiveram os pés no chão. A partir da quinta regata o rendimento foi caindo e eles terminaram na quinta colocação e na sexta e penúltima regata, os cariocas ficaram apenas em décimo sexto lugar, o que diminuía a chance de medalha.

Apesar da sede dos Jogos Olímpicos serem Moscou, na Rússia, a Vela era disputada em Tallín, a capital da Estônia Era 30 de junho de 1980, nas águas do Mar Báltico, que a última regata da classe 470 seria disputada. Mesmo com o boicote dos Estados Unidos ao evento, os brasileiros não eram nem de longe os favoritos, mas, ao ouvirem o tiro de canhão anunciando que os campeões haviam cruzado a linha de chegada da última regata, Soares e Penido souberam que haviam alcançado o extraordinário. Não, eles não venceram a regata. Terminaram na sétima colocação, mas a combinação de resultados foi suficiente para que os jovens velejadores cariocas alcançassem o mais alto lugar no pódio e trouxessem o ouro olímpico para casa.

“Éramos muito novos. E a vela, naquele tempo, não era coisa para gente nova. A média de idade dos medalhistas olímpicos era de 30 ou até 40 anos. Então, um cara de 19 anos e outro de 20 ganharem uma medalha de ouro na classe 470 foi uma coisa inesperada. Na verdade, fui o cara mais novo a ganhar uma medalha de ouro olímpica na vela até aquela data”, afirmou Marcos, o medalhista olímpico de 1980.