Lendas Olímpicas: Michael Johnson, o homem-raio

Mitos, lendas, histórias, medalhas e ensinamentos estão por trás deste grande velocista estadunidense para o mundo

Lendas Olímpicas: Michael Johnson, o homem-raio
Lendas olímpicas: Michael Johnson, o homem-raio

O mito de um homem-raio surgiu na Olimpíada de Barcelona em 1992, foi confirmada na edição seguinte, em Atlanta e exaltada desde os anos 2000. Aquele velocista era imbatível, o estadunidense Michael Johnson bateu recordes mundiais e se tornou tetra campeão olímpico.

Michael Duane Johnson com detinha entre os anos de 1996 e 2008 o recorde de 19,32s nos 200m rasos. Até que o jamaicano Usain Bolt surgiu como um garoto raio e colocou o seu nome na história do esporte. Para Johnson, é muito importante a presença mundial que Bolt tem, pois o atletismo precisa de novas vidas, está muito ultrapassado e se sustenta apenas nos eventos olímpicos.

Com 20 anos, o recorde na prova de 400m rasos (43,18s) foi alcançado por Michael Johnson que logo em seguida junto de sua equipe também se apoderou do recorde de revezamento 4x400m (2m54,20s). O estadunidense de Dallas é um dos maiores desportistas do mundo.

Ao longo de sua carreira conquistou nove títulos mundiais. A primeira edição dos Jogos Olímpicos que participou foi em Barcelona, porém correu apenas a prova do revezamento 4 x400m que ganhou o ouro. As outras provas que estava escrito foi impossibilitado de participar devido uma infecção intestinal.

Os Jogos Olímpicos de Atlanta, 1996, foram muito especiais para Johnson. Foi o primeiro homem a conquistar os 200m e 400m rasos na mesma Olimpíada. Assim como em seus pés brilhavam sapatilhas douradas, em seu peito reluzia a medalha conquistada em solo norte-americano enquanto ouvia seu hino nacional.

Em Sidney, 2000, novamente poderia conquistar as duas medalhas de ouro, porém o atletismo foi marcado por um caso de dopping do atleta Antonio Pettigrew que integrava o grupo do revezamento 4x400m dos Estados Unidos. Assim, Johnson levou para casa a vergonha da perda desse ouro e a alegria da conquista dos 400m rasos. Em 2001, aos 33 anos, a referência nas pistas estadunidense anunciou aposentadoria.

A história como exemplo

Para sempre será uma inspiração para velocistas mundiais. Hoje possui um Centro de Treinamento em Dallas, EUA. Este Centro de Excelência tem como foco métodos de preparação utilizados para lapidar corredores e transformá-los em campeões nas pistas.

Michael Johnson foi invencível por sete anos, foram vencidas 58 provas de 400m rasos no período de 1993 e 2000. E para 2016 ele estará presente, como colaborador das entidades brasileiras, Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). O sétimo lugar na prova dos 4x400m rasos no Mundial da Rússia de 2013 fez o centro técnico de Johnson se juntar a comissão brasileira e assim apoiá-los em pontos específicos como prevenção de lesões e trabalhos individualizados. Com uma grande experiência Michael Johnson já declarou que é preciso muito controle da pressão de estar nesta oportunidade única de participar de Jogos Olímpicos em seus país natal.