Chuva prejudica pilotos da Hot Car Competições, na busca de bons resultados no VeloParl
(Foto: Divulgação)

Chuva prejudica pilotos da Hot Car Competições, na busca de bons resultados no VeloParl

Com condições de pista piores, pilotos do grupo 2 são prejudicados, dentre eles Rafael Suzuki, da Bardahl Hot Car. Apenas os pilotos do grupo 1 passam para o Q2, que sofreu atraso de duas horas para ser realizado em virtude da chuva. Guilherme Salas, com problemas no carro, ficou de fora da tomada

fernando-rhenius
Fernando Rhenius

Depois do forte calor dos treinos livres na sexta-feira (20), os pilotos da Stock Car enfrentaram uma situação completamente diferente neste sábado (21) no treino que definiu o grid de largada para a terceira etapa da temporada no autódromo do Velopark, em Nova Santa Rita (RS). Com tempo nublado, a chuva transformou-se no personagem principal da tomada de tempos.

Na disputa do Q1, os 16 pilotos do primeiro grupo enfrentaram situações melhores e não foram ultrapassados pelos pilotos do grupo 2, que já foram para a pista debaixo de bastante chuva. As condições atrapalharam a performance de Rafael Suzuki, da equipe Bardahl Hot Car, que foi o segundo mais rápido na sexta-feira. O piloto estava no grupo 2 e terminou em 21º no grid. O companheiro Guilherme Salas não teve a chance de participar da sessão, em virtude de um problema no carro e vai largar no fim do grid neste domingo (22).

Além das condições de pista piores, os pilotos do grupo 2 ainda tiveram o treino encerrado com uma bandeira vermelha, após um piloto escapar na pista. Os comissários ainda deram a chance de voltarem pra pista, mas o tempo restante não foi suficiente para ninguém abrir volta.

Com os 15 primeiros definidos, o Q2 também foi interrompido após um acidente e as atividades só retornaram após duas horas, quando a chuva diminuiu. Cacá Bueno ficou com a pole position. A primeira prova deste domingo terá sua largada às 12h25 (com a disputa de 40 minutos e mais uma volta). A segunda corrida acontecerá na sequência, com grid definido pela posição de chegada na bateria 1 e os 10 primeiros invertidos. O SporTV transmite a rodada dupla ao vivo.

Suzuki, que vem numa temporada de bons resultados, estava bastante animado para a tomada e lamentou o ocorrido. “Eu acho que o grupo 2 não poderia ter saído para a pista naquelas condições. Não é só a questão da pista estar mais rápida para um grupo do que para o outro. A pista estava longe de ter a condição mínima de segurança”, explicou o piloto do Stock #8.

“Na minha opinião, erraram ao avaliar a pista só depois que um piloto bateu. O resultado é frustrante. Claro que regulamento é regulamento e todo mundo já sabia que funciona assim. Hoje fomos prejudicados, outro dia podemos ser favorecidos, mas o que me deixa mais desanimado é colocarem os pilotos para andarem nestas condições. O carro aquaplanava em linha reta. Por competência e habilidade dos pilotos não aconteceu algo pior, porque todo mundo respeitou a condição que era muito ruim. Acho que a situação não pode ser avaliada só depois de um acidente”, continuou Suzuki.

“Hoje, estava fora do nosso controle, apesar da equipe ter feito um ótimo trabalho. Agora é trabalhar para recuperar amanhã de novo”, completou o piloto que tem três Top-10 nas três provas da temporada 2018.

Salas, que também vinha num ritmo bom nos treinos, teve menos sorte que o companheiro. Após o treino livre da manhã, o piloto sentiu um problema em seu carro e não pode participar do classificatório.

“No último treino, eu estava numa volta rápida e senti que algo havia quebrado. Não sabia se era câmbio ou algo no cardã. Tentamos ver o que era para arrumar para a classificação, mas não tivemos tempo suficiente. Vamos tentar fazer uma corrida de recuperação amanhã. Nosso carro tem um ritmo muito bom, então vamos trabalhar para sair daqui com um resultado melhor”, finalizou o piloto do Stock #117.

VAVEL Logo
CHAT