Antonio Conte é anunciado como o novo técnico da Seleção Italiana

É oficial: Antonio Conte é o novo treinador da seleção italiana. Segundo a Sky Sport italiana, o treinador atual tricampeão italiano pela Juventus, e que estava sem clube após pedir demissão do clube bianconero no mês passado por divergências com a diretoria, foi confirmado para ser o substituto do cargo que era de Cesare Prandelli desde 2010. O acordo terá duração de dois anos, até 30 de junho de 2016, em meio a disputa da Eurocopa, na França.

O problema para a assinatura de Conte inicialmente seria econômico, mas segundo a Sky Sport, foi resolvido da seguinte forma: a FIGC (Federação Italiana de Futebol), pagaria dois milhões de euros, enquanto a Puma, fornecedora de material esportivo da seleção, pagaria três milhões de euros, do total de cinco milhões que seriam pagos até 2016. Um salário maior poderia ser pago através dos outros patrocinadores da federação. Dentre os treinadores de seleções, seu salário seria menor apenas que os de Fabio Capello (Rússia) e Roy Hodgson (Inglaterra).

Quanto a comissão técnica, Conte terá a disposição exatamente a comissão técnica que tinha na Juventus. Desta comissão técnica que ajudou Conte a ser tricampeão italiano com a Vecchia Signora, apenas o treinador de goleiros resolveu permanecer em Turim com Massimiliano Allegri.

Antonio Conte nasceu em Lecce, no dia 31 de julho de 1969. Começou a carreira de jogador na sua cidade natal, no Lecce, em 1985, e estreou em abril de 1986, num empate contra o Pisa, quando tinha apenas 16 anos. Fez seu primeiro e único gol pelos giallorossi em novembro de 1989, contra o Napoli. Deixou o Lecce em 1991, quando foi para a Juventus, a pedido de Giovanni Trapattoni. Estreou em novembro de 1991, num clássico contra o Torino e, anos depois, foi promovido a capitão da equipe, até a ascensão de Del Piero no clube.

Na Juventus entre 1991 e 2004, quando encerrou a carreira de jogador, Conte jogou 419 partidas e marcou 44 gols. Nestes 13 anos como jogador, conquistou cinco títulos italianos e chegou a quatro finais de Champions League, vencendo apenas uma: em 1996, contra o Ajax, em Roma. Sua passagem vitoriosa pela Juve rendeu uma passagem pela seleção italiana, onde jogou 20 partidas e marcou dois gols. Esteve na equipe que foi vice-campeã da Copa do Mundo de 1994 e na equipe que foi vice-campeã europeia em 2000, onde marcou um gol histórico de bicicleta contra a Turquia, ainda na primeira fase.

Em 2006, iniciou a carreira de treinador no Arezzo, então na segunda divisão italiana. No começo, teve uma série de maus resultados e foi demitido em outubro, mas em março de 2007, na tentativa de escapar do rebaixamento, o Arezzo recontratou Conte, que embalou uma sequência de bons resultados, mas ainda assim, insuficientes para manter o clube na segunda divisão. Em dezembro, quando ainda treinava o Arezzo, Conte foi contratado pelo Bari para liderar a difícil missão de escapar do rebaixamento para a terceira divisão. E conseguiu, terminando em uma confortável posição de meio de tabela.

Em 2008/2009, a consagração de Conte veio com o Bari de volta a primeira divisão como campeão da Serie B. Os bons resultados no Bari o credenciaram para especulações de que treinaria a sua amada Juventus, com a demissão de Claudio Ranieri. Mas Ciro Ferrara foi escolhido para o cargo. Conte foi para a Atalanta em setembro de 2009, onde tentava tirar os nerazzurri de Bérgamo da posição que os colocava na segunda divisão. Após uma derrota para o Napoli e uma briga com os torcedores da Atalanta, Conte pediu demissão. Logo em seguida, Conte assumiu o Siena na Serie B, e liderou o clube toscano ao título e à volta para a primeira divisão italiana.

Com os recentes fracassos da Juventus até então, Antonio Conte foi contratado em 2011 para trazer as glórias de volta à Vecchia Signora. Conseguiu na primeira temporada, com o título da Serie A de 2011/2012, conquistando-o de forma invicta, feito que não era alcançado desde a conquista do rival Milan, em 1991/1992. Na segunda temporada, o bicampeonato veio de forma absoluta, terminando nove pontos a frente do vice-campeão Napoli.

Já na terceira, o tricampeonato, que não vinha para Turim desde a década de 30, veio de forma ainda mais dominante, com a melhor campanha da história da Serie A, com 102 pontos e uma vantagem de 17 pontos para a Roma. Mas faltava a glória europeia, que era motivo de discussões entre Conte e a diretoria da Juventus. Por essas e outras divergências, Conte, em meio a pré-temporada, pediu demissão em 15 de julho da Juventus. Um mês depois, é confirmado como o novo técnico da seleção italiana e espera repetir o sucesso da Velha Senhora na Azzurra. 

VAVEL Logo