Leipzig vence, mas gol do Zenit no fim garante confronto aberto por vaga nas quartas da UEL

Equipe alemã tem grande atuação no segundo tempo, mas gol russo nos minutos finais garante esperança para equipe de Roberto Mancini para confronto na próxima semana

Leipzig vence, mas gol do Zenit no fim garante confronto aberto por vaga nas quartas da UEL
Foto: Robert Michael/AFP
RB Leipzig
2 1
Zenit
RB Leipzig: Gulácsi; Laimer (Bernardo), Orban, Upamecano, Klostermann; Forsberg, Demme, Keita, Bruma (Sabitzer); Werner, Augustin (Poulsen)
Zenit: Lunov; Ivanovic, Mammana, Mevlja, Criscito; Kranevitter, Erokhin, Kuzyaev; Rigoni (Poloz), Zabolotnyi (Driussi), Kokorin
Placar: 1-0, Bruma; 2-0, Werner; 2-1, Criscito
INCIDENCIAS: Partida entre RB Leipzig e Zenit, válida pelas oitavas de final da Uefa Europa League, na Red Bull Arena

A torcida fez questão de encher a Red Bull Arena, não parar de cantar um segundo sequer, e estava saindo do estádio muito feliz até o final do segundo tempo, quando o Zenit conseguiu diminuir a vantagem do RB Leipzig para 2 a 1, placar final da partida, válida pelas oitavas de final da Uefa Europa League. Os tentos saíram apenas na etapa complementar: Bruma e Timo Werner para os alemães, e Domenico Criscito para a equipe russa.

Apesar de uma boa vitória, o resultado pode ser perigoso para o Leipzig, já que o Zenit se classifica se ganhar a partida da volta, que será disputada na próxima quinta-feira (15), no Krestovsky Stadium, por 1 a 0, por conta da regra do gol fora de casa, que é um dos critérios de desempate adotados na competição. Por outro lado, qualquer empate, obviamente, garante a classificação do time da Alemanha.

Antes do decisivo confronto, porém, as equipes terão compromissos pelos seus respectivos campeonatos nacionais: no próximo sábado (10), pela 26ª rodada da Bundesliga, o RB Leipzig irá à Mercedes-Benz Arena, para enfrentar o Stuttgart, enquanto que, no domingo (11), o Zenit, pela Premier League Russa, vai bater de frente com o Rostov, na Arena Rostov. 

Primeira etapa é marcada por poucas jogadas perigosas

Apesar da partida ser disputada na Alemanha, o Zenit foi a equipe que começou a partida da melhor forma. Mais ativo no ataques, os russos sempre assustavam os donos da casa, principalmente com jogadas nascidas pelos lados do campo, sejam em alta velocidade ou por meio de cruzamentos. Esse cenário, por sua vez, também era garantido por fracos primeiros minutos da equipe de Ralph Hassenhütl, que pouco criava no terço final do campo.

Com o passar do tempo, o Leipzig, apesar de continuar com uma atuação abaixo do esperado, conseguiu equilibrar as ações da partida. Aos 24 minutos, Bruma conseguiu encontrar Werner em um buraco diante de uma bagunçada defesa do Zenit. O alemão, porém, dominou a bola com a parte errada de seu pé, e ela acabou escapando do mesmo, mesmo assim, o alemão conseguiu achar uma maneira de ajeitar seu corpo e finalizar, mas o chute passou por cima do gol de Lunev.

A melhor chance do primeiro tempo veio por meio da bola parada. Aos 34 minutos, em cobrança de falta com certa distância, Emil Forsberg bateu colocado, por cima da barreira e viu sua finalização bater na trave e por pouco não entrar no gol. Alguns momentos depois, os mandantes voltaram a assustar por meio de uma falta: em jogada ensaiada, Forsberg tocou curto para Demme, que passou de primeira para Werner, que se esticou, mas finalizou pela direita da meta russa. Em um primeiro tempo de poucas chances, tudo terminou empatado sem gols. 

Leipzig acorda no segundo tempo, vence, mas gol de Zenit no fim muda panorama

O começo do segundo tempo foi amplamente dominado pelo Leipzig, que, tentando aproveitar o ambiente vindo das arquibancadas, passou a atacar mais. Logo aos 10 minutos, a equipe mandante conseguiu – finalmente – tirar o zero do placar: pelo lado esquerdo, Bruma tocou para Werner, que, com um lindo toque de calcanhar, conseguiu tirar dois defensores da equipe russa da jogada e voltou a acionar o português, que, de frente para o gol, apenas teve o trabalho de finalizar de forma colocada.

Curtindo o bom momento criado após o gol, o Leipzig por pouco não aumentou sua vantagem: três minutos após o tento de Bruma, Naby Keita conseguiu roubar a bola de Kranevitter no meio-campo e, aproveitando um buraco gigante na defesa do Zenit, tocou para Werner, que avançou sozinho, com tempo para decidir qualquer tipo de decisão, mas acabou chutando em cima do goleiro Lunov. Em menos de cinco minutos, os alemães conseguiram criar duas grandes chances: uma entrou e a outra fora desperdiçada de forma inacreditável.

Após tanto atacar, o artilheiro conseguiu aparecer: aos 34 minutos, Naby Keita partiu da faixa central do campo, saiu driblando muitos atletas do Zenit, conseguiu chegar perto da área e, vendo que a defesa russa ficou bagunçada, rolou para Timo Werner, no lado esquerdo. Com calma, o alemão, completamente livre, não teve que fazer muito esforço para dominar, ajeitar o seu corpo e dobrar a vantagem do Leipzig na partida. 

O Zenit, que pouco havia assustado nos 45 minutos finais, conseguiu diminuir em um lance atípico na partida: Upamecano cometeu falta em cima de Kokorin da entrada da área. Na cobrança, o italiano Domenico Criscito bateu a cobrança com perfeição e viu a bola parar sua trajetória apenas dentro de rede, sem nenhuma chance para o experiente goleiro Peter Gulácsi. Apesar da derrota, esse gol marcado aos 41 minutos pode fazer toda a diferença no confronto, por conta do critério do gol fora de casa.