Bolívar domina, mas empata com Colo-Colo e equipes seguem sem vencer na Libertadores

Apesar de contar com "ajuda" da altitude, equipe boliviana empata com Cacique dentro de seus domínios

Bolívar domina, mas empata com Colo-Colo e equipes seguem sem vencer na Libertadores
Foto: Aizar Raldes/AFP

Bolívar e Colo-Colo continuam sem vencer na Copa Libertadores da América. Na noite desta quarta-feira (14), as duas equipes se enfrentaram no estádio Hernando Siles, em La Paz, e não passaram de um empate em 1 a 1. Os gols foram marcados por Arce, de pênalti, para os donos da casa, e depois por Rivieiro, ambos ainda na primeira etapa.

O primeiro tempo foi um verdadeiro bombardeio. Jogando em casa e tendo uma pequena vantagem com a altitude, cerca de 3600 metros acima do mar, o Bolívar foi, praticamente, a única equipe que tentou alguma coisa nos 45 minutos iniciais. Sentindo a velocidade de jogo por conta dessas questões, a equipe chilena, que é marcada por gostar da posse da bola, ficou com a mesma em apenas 28% do tempo nesse período.

Dessa maneira, a partida se tornou um ataque contra defesa. Apesar do Bolívar possuir a bola, pouco conseguia criar para assustar o goleiro Orión e, quando conseguia passar da defesa chilena, parava em alguma intervenção do arqueiro do Cacique. Como a construção de jogadas pelo chão estava difícil, os mandantes tiraram o zero do placar atráves da bola parada: aos 38 minutos, Juan Arce cobrou pênalti com perfeição e abriu o placar.

Como o futebol é uma ciência inexata, o Cacique ia chegar ao gol ainda no primeiro tempo. Apesar de uma atuação em tom melancólico, com uma criação escassa, o Colo-Colo igualaria as ações da partida também com a bola parada: aos 43 minutos, Jorge Valdívia cobrou escanteio e, após um bate-rebate dentro da área, sobrou para Octavio Rivero empatar o jogo.

A etapa complementar mostrou um ambiente bem mais violento do duelo, já que os jogadores das duas equipes passaram a apostar muito em carrinhos e entradas fortes. Com a bola rolando, o panorama do Bolívar controlando a posse da bola permanecia, mas, dessa vez, os bolivianos não conseguiram dominar o jogo, já que a equipe de Pablo Guede conseguiu criar mais chances por meio dos contra-ataques, o que representou um perigo para os donos da casa.

Aos 28 minutos, a principal chance do segundo tempo, quando, após um cruzamento vindo do lado esquerdo, a defesa do Colo-Colo não conseguiu se entender e o atacante Riquelme conseguiu superar o zagueiro Insaurralde e, contando com uma saída errada de Orión, cabeceou, mas viu a bola explodir, perdendo força durante o tempo, no travessão. No rebote, os marcadores do Cacique se recuperaram e conseguiram afastar a bola. No fim, o empate de 1 a 1 prevaleceu entre Bolívar e Colo-Colo. 

Com o resultado, a dupla ainda busca os primeiros três pontos no torneio continental: o Bolívar chegou ao segundo empate e os visitantes marcaram seu primeiro ponto. A liderança do grupo é do Atlético Nacional, que ainda nesta quarta enfrenta o Delfín.

Na rodada que vem, os dois times jogam em seus domínios, em busca do sonhado triunfo: o Colo-Colo recebe o Delfín no Santigado, enquanto o Hernando Siles será palco de Bolívar e Atlético Nacional, ambos os jogos no dia 5 de abril.