You'll never walk alone! Liverpool reverte vantagem, goleia Barcelona e está na final da UCL
Torcida do Liverpool cantou "You'll never walk alone" o jogo todo (Foto: Reprodução/Liverpool)

You'll never walk alone! Liverpool reverte vantagem, goleia Barcelona e está na final da UCL

Ingleses fazem 4 a 0 contra os catalães e agora esperam Ajax ou Tottenham para a final da Champions

leo_silva997
Leonardo José
Liverpool FCAlisson; Arnold, Van Dijk e Robertson; Fabinho, Milner e Henderson; Shaqiri, Mané e Origi. TEC: Jürgen Klopp.
FC Barcelonater Stegen; S. Roberto, Piqué, Lenglet e Alba; Busquets, Vidal e Raktic; Messi, Coutinho e Suárez. TEC: Ernesto Valverde.
INCIDENCIASJogo de volta em Anfield, a ida foi 3 a 0 para o Barcelona, na Catalunha.

Épico. Fantástico. Emocionante. Único. Esplêndido. Interplanetário. Impossível. Não há adjetivo que represente fielmente o que foi o jogo entre Liverpool e Barcelona no Anfield. Após perder por 3 a 0 no Camp Nou, uma virada na Inglaterra era rotulada por muitos como improvável. Entretanto, Jürgen Klopp mostrou novamente que é um dos melhores treinadores do mundo, chegando a sua terceira final de Champions League. Como? Com um milagre (repleto de trabalho) liderado por Origi e Wijnaldum, que entrou no intervalo. Sim, Firmino e Salah não jogaram e, mesmo assim, os Reds reverteram a goleada sofrida, fizeram 4 a 0 e estão na final da maior competição de clubes do planeta.

Esperança mantida

Pegando fogo! Assim começou a guerra entre Liverpool e Barcelona. Além do show à parte nas arquibancadas, os donos da casa já começaram atacando os catalães e encurralavam os adversários. Tanto que Origi fortificou a luz do fim do túnel ao abrir o placar logo aos sete minutos pegando rebote de ter Stegen em chute de Henderson, que fez bela infiltração à área (1 a 0).

Momento exato em que Origi arremata para o gol vazio (Foto: Reprodução/Liverpool FC)
Momento exato em que Origi arremata para o gol vazio (Foto: Reprodução/Liverpool FC)

Em seguida, Mané saiu no mano a mano com Busquets, mas ter Stegen salvou. Na resposta, Coutinho, Suárez e Messi ficaram frente a frente com a dupla de zaga vermelha. O brasileiro rolou para o argentino marcar, mas Matip se recuperou a tempo e tirou o doce da boca de Messi com o biquinho da chuteira.

O jogo seguiu frenético. Shaqiri teve chance desperdiçada em contragolpe e Messi assustou Alisson chutando firme de fora da área. Antes disso, Suárez já havia batido cruzado e rasteiro para boa defesa do arqueiro brasileiro.

Fabinho e o uruguaio Suárez protagonizavam confronto particular em lances de dividida. Aí entra a rivalidade Brasil x Uruguai. Era um primeiro tempo à flor da pele, sem tempo de respirar ou ir tomar água porque a qualquer momento o segundo gol poderia sair.

Antes do intervalo, ainda deu tempo para Robertson soltar uma bomba de fora da área para ter Stegen fazer difícil defesa e de Messi arriscar novamente à esquerda de Alisson. Jordi Alba também chegou com perigo, já nos acréscimos, à frente do goleiro dos Reds, que saiu bem evitando o empate.

No mais, a etapa inicial acabou com três chutes a gol de cada lado e com o Barça sendo superior na posse de bola: 53% contra 47%.

Uma palavra: MI-LA-GRE!

Klopp voltou do descanso com Wijnaldum no lugar de Robertson, que saiu lesionado. Com isso, Milner foi posto na lateral-esquerda. Essa substituição improvável mudou completamente o jogo. Mas, antes, nos cinco minutos iniciais, Alisson e ter Stegen voltaram a ser acionados em chutes rasteiros de Messi e Mané. Depois disso, aconteceu o momento de tesão para os apaixonados do You'll Never Walk Alone.

Aos 54', Wijnaldum, infiltrando em espaço na área, recebe passe de Arnold e, dividindo com Matip, pega de primeira. O arqueiro alemão tentou, bateu na bola, mas não evitou o segundo gol inglês (2 a 0). Não deu tempo nem da torcida fanática descansar os braços para continuar a balançar os bandeirões que veio o gol da glória. Dois minutos depois, Shaqiri cruzou e novamente ele, Wijnaldum, apareceu, desta vez de cabeça, mandando a bola no canto direito alto de ter Stegen, que só olhou a entrada da bola. Neste momento, o que parecia impossível de acontecer... aconteceu!

Com o 3 a 0 cravado no placar, o Liverpool não recuou e seguiu dominando as ações. Perto dos 70 minutos, Messi chegou à linha de fundo e, sem ângulo, bateu forte no corpo de Alisson, ao lado da trave. Só um susto.

Aos 79', o Liverpool ganha um escanteio. Arnold vai ao 1/4 de círculo para bater. O inglês sai da bola e rapidamente volta para mandar a bola à área e aproveitar a desatenção da defesa catalã, que ainda chegava para se posicionar. Astuto e ligeiro, Origi se posiciona na boca do gol e recebe, livre de marcação, para empurrar para o fundo das redes do Barcelona. Com o truque de esperteza vermelha, o Anfield poderia ser o sinônimo de céu naquele momento. Era o quarto gol dos Reds.

Faltando 15 minutos (com os acréscimos) para o fim, o Barcelona não conseguia pressionar os mandantes de nenhuma maneira. Milner, Fabinho, Arnold, Matip, van Dijk e toda a cúpula administrativa do Liverpool defendia sem deixar o Barça chegar à área com perigo. E deu certo. Aos 95', o árbitro põe o apito na boca e assopra pela última vez na tarde/noite: fim de jogo na Inglaterra. Fim de espetáculo na Inglaterra!

Agora... dois sonhos

Depois do milagre ocorrido em Anfield, o Liverpool volta a sonhar com o troféu da Champions League. Agora, é acompanhar a outra semifinal, entre Ajax e Tottenham, nesta quarta-feira (08). Lembrando que a ida, em Londres, foi 1 a 0 para os holandeses. Ressalta-se também, que os Reds ainda têm a tão esperada última rodada da Premier League, que acontece às 11h do domingo (12), onde os finalistas da UCL encaram o Wolverhampton, precisando vencer e torcer por uma derrota ou empate do Manchester City contra o Brighton Rovers.

Independentemente do que aconteça nesta reta final da temporada do Liverpool, a virada de hoje sobre o Barcelona já é uma das maiores da história do futebol internacional!

MEDIA: 5VOTES: 4
VAVEL Logo