Spartak rebate Uefa após exclusão: "Esporte deve construir e não queimar pontes"
Imagem: Divulgação / Spartak Moscou

Único representante russo em competições da Uefa, o Spartak Moscou foi excluído da Europa League nesta segunda-feira. A medida tomada pela entidade europeia não foi muito bem aceita pelo clube da Rússia, porém será obedecida. Em nota, a equipe se disse injustiçada por ser banida através de um assunto totalmente distinto do futebol.

No trecho mais contundente, o clube que a decisão foi "extremamente perturbadora". Em seguida, lamenta que os esforços em campo foram anulados por motivos "fora do âmbito do esporte". 

O adversário dos russos nas oitavas de final da Europa League era o RB Leipzig, da Alemanha. Agora, a franquia da marca de energético está classificada às quartas da competição.

Confira a nota russa na íntegra

A UEFA e a FIFA decidiram excluir da atual iteração da Liga Europa. Isto significa que as nossas oitavas de final contra o RB Leipzig não irão prosseguir como planeado. 

Este veredito está ligado à posição das organizações sobre os recentes acontecimentos que tiveram lugar na Ucrânia.

A recente decisão tomada pela UEFA e pela FIFA, embora esperada, é extremamente perturbadora. Infelizmente, os esforços que o nosso clube fez na Liga Europa foram anulados por razões que estão muito fora do âmbito do esporte. 

Spartak tem milhões de adeptos não só na Rússia, mas em todo o mundo. Os nossos sucessos e fracassos reúnem pessoas de dezenas de países diferentes. Acreditamos que o esporte, mesmo nos tempos mais difíceis, deve ter como objetivo a construção de pontes, e não queimá-las. Somos forçados a obedecer a uma decisão com a qual não concordamos. 

Por agora, vamos concentrar-nos nas competições domésticas, e estamos ansiosos por uma rápida conquista da paz que todos precisam.

VAVEL Logo