Colônia marca no fim, supera Borussia M'Gladbach e busca reação na Bundesliga

Bodes aproveitaram suas chances e venceram os Potros no Rhinederby

Colônia marca no fim, supera Borussia M'Gladbach e busca reação na Bundesliga
Foto: Divulgação/Bundesliga
Colônia
2 1
Borussia Mönchengladbach
Colônia: Horn – Sörensen, Mere, Heintz, Hector (c) (Rausch 72’) – Klünter, Höger, Özcan, Jojic (Guirassy 78’) – Zoller (Clemens 63’), Terodde
Borussia Mönchengladbach: Sommer – Elvedi, Ginter, Vestergaard, Wendt – Herrmann (Hofmann 80’), Zakaria, Kramer (Cuisance 68’), Grifo (Raffael 46’) – Hazard, Stindl (c)
Placar: 1-0 (Sörensen 34’), 1-1 (Raffael 69'), 2-1 (Terrode 90+5')
ÁRBITRO: Felix Swayer. Cartões Amarelos: Kramer (min. 40), Klünter (min. 53), Zakaria (min. 63), Terodde (min. 68), Ginter (min. 72).
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 18ª rodada da Bundesliga, disputado na RheinEnergieStadion

Em um dos clássicos mais quentes da Bundesliga, o lanterna Colônia superou o Borussia Mönchengladbach por 2 a 1 em confronto válido pela 18ª rodada da Bundesliga, disputado neste domingo (14), no RheinEnergieStadion. Sörensen e Terodde marcaram para os Bodes, enquanto Raffael descontou para os visitantes.

O resultado manteve o Borussia na sexta colocação com 28 pontos, enquanto o Colônia, mesmo com o triunfo, permanece na lanterna da competição, com apenas nove pontos conquistados após 18 rodadas.

Tentando afastar o momento ruim, os Potros voltam a campo no sábado (20), diante do Augsburg, no Borussia-Park. Já o Colônia, que busca um milagre, visita o também desesperado Hamburgo, em confronto direto contra o descenso, fora de casa, no mesmo dia.

Com atuação apática, Gladbach sai em desvantagem na etapa inicial

Mesmo atuando dentro de seus domínios, o Colônia, devido a sua fragilidade na temporada, iniciou o confronto com uma postura mais reativa, com o Borussia Mönchengladbach controlando as ações no meio-campo, mas sem qualquer efetividade. Os Potros trocavam inúmeros passes, mas geralmente entre sua linha defensiva, sem qualquer infiltração.

Os Foals chegaram ao ataque em lances esporádicos, graças a falta de criatividade da equipe – essencialmente pela ausência de Raffael, que iniciou o confronto no banco de reservas, por estar voltando de lesão. Atuando mais avançado, Thorgan Hazard, destaque na temporada, produziu pouco. Mesmo assim, o belga foi responsável por incomodar a defesa dos Bodes, em finalização para fora depois de um contra-ataque comandado por Wendt.

Dominando as ações, mas de forma estérea, o castigo para o Gladbach acabou chegando: em cobrança de falta, Jojic levantou e Sörensen venceu disputa com Jannik Vestergaard para completar para o fundo das redes, na primeira chance criada pelo time da casa. Ineficiente, os visitantes só conseguiram chegar com perigo no último lance da etapa inicial, através de Patrick Herrmann, que por centímetros não igualou o marcador.

Raffael entra, muda partida, mas Terodde decide no último lance

Consciente da péssima atuação coletiva, Dieter Hecking promoveu a entrada do brasileiro Raffael na vaga de Grifo no intervalo, mudando a configuração tática da equipe – com Thorgan Hazard sendo deslocado para o lado esquerdo, e com o cearense comandando ataque em conjunto com Lars Stindl. Participativo e procurando jogo, Raffael mudou a cara do jogo, dando mais dinâmica a equipe do Gladbach, que começara a atacar com mais perigo.

Em um lance inacreditável, Hazard cabeceou e quase empatou a partida, mas a zaga afastou. No rebote, Wendt, de frente pro gol, preferiu cruzar para Stindl, no entanto o sueco executou muito mal a jogada e tocou atrás do meia-atacante da Die Mannschaft, que não conseguiu concluir pra gol. Logo em sequência, Raffael, destaque da etapa complementar, apareceu para empatar o jogo, depois de ter sua finalização bloqueada pela zaga, o brasileiro aproveitou o rebote e fuzilou para as redes.

Melhor desde o primeiro minuto de partida, os Foals continuaram criando oportunidades, mas desperdiçando todas elas. Pouco antes de sair, Patrick Herrmann bateu cruzado e, por pouco, não virou a partida. Jonas Hofmann, que entrou na vaga do Flaco, perdeu outra chance incrível, de frente para o gol. E o castigo voltaria a assombrar o Borussia Mönchengladbach: aos 90+6’, no último lance da partida, o centroavante Terodde aproveitou cruzamento da esquerda – em mais uma falha de Vestergaard – e recolocou o Colônia na liderança do placar, pra delírio da torcida do RheinEnergieStadion