Internazionale empata com Palermo em casa e segue sem vencer na Serie A

Após perder na estreia, time de Milão frustra torcida no Giuseppe Meazza

Internazionale empata com Palermo em casa e segue sem vencer na Serie A
Foto: Tullio M. Puglia/Getty Images
Internazionale
1 1
Palermo
Internazionale: Handanovic; D’Ambrosio, Miranda, Murillo, Santon (Miangue, min. 67); Medel, Banega, Kondogbia; Éder, Icardi, Perisic (Candreva, min. 67) Técnico: Frank de Boer.
Palermo: Posavec; Vitiello, Goldaniga, Andelkovic (Cionek, min. 85); Rispoli, Hijemark, Gazzi, Chochev, Aleesami; Nestorovski (Balogh, min. 75), Quaison (Sallai, min. 55). Técnico: Davide Ballardini.
Placar: 0-1, min. 3, Rispoli. 1-1, min. 72, Icardi.
ÁRBITRO: Carmine Russo (ITA). Cartões amarelos: Goldaniga (min. 18), Aleesami (min. 36), Gazzi (min. 69), Murillo (min. 76) Sallai (min. 80), Rispolli (min. 84).
INCIDENCIAS: Partida válida pela segunda rodada da Serie A, realizada no estádio Giuseppe Meazza, em Milão, na Itália.

A Internazionale não consegue afastar a má fase que paira sobre o time. Depois de sofrer goleadas na pré-temporada e trocar de técnico, os nerazzurri seguem sem vencer na Serie A 2016/17. Após perder para o Chievo na rodada de abertura, a Inter empatou neste domingo (28) com o enfraquecido Palermo, por 1 a 1, no Giuseppe Meazza, em Milão, pela segunda rodada da liga. Andrea Rispoli abriu o placar para a agremiação rosanera, mas Mauro Icardi empatou.

O resultado deu à equipe milanesa seu primeiro ponto na Serie A, mas pode terminar a rodada próxima à zona de rebaixamento dependo dos resultados dos outros jogos. Já o Palermo segue na mesma toada da Inter: apenas um ponto em duas rodadas.

Por conta da data Fifa, período para a realização de amistosos entre seleções, a Serie A retorna apenas na segunda semana de setembro. No dia 10 (sábado), os nerazzurri enfrentam o Pescara, fora de casa, enquanto o Palermo, um dia depois, recebe o Napoli, no Renzo Barbera.

Palermo suporta pressão de irregular Inter

Ainda se acertando após a mudança no comandado técnico – saiu Roberto Mancini para a entrada de Frank de Boer –, a Inter demorou a impor seu jogo diante do Palermo. O time da casa imprimia um ritmo lento à partida sobre uma equipe com proposta totalmente defensiva e que apostaria em contragolpes.

Apesar de estar recheado de qualidade, sobretudo pela presença de Banega e Kondogbia, o meio-campo não dava liga e a ligação da defesa ao ataque ficava comprometida. Não à toa, a primeira grande chance da partida saiu somente aos 31 minutos. A defesa do Palermo tentou afastar cruzamento e a bola parou nos pés de Medel, que bateu forte e Andelkovic tirou em cima da linha.

O panorama da partida mudou, porém, nos últimos dez minutos do primeiro tempo. A marcação do Palermo deu liberdade para Banega e o meio-campista argentino descolou um excelente lançamento para Perisic, que tirou o marcador e bateu rasteio para a linha de fundo, mas Posavec defendeu. Antes do intervalo, os zagueiros Miranda e Murillo assustaram em cabeçada.

Inter reage a gol relâmpago, mas não consegue os três pontos

Acuado no primeiro tempo, o Palermo retornou do intervalo e acabou surpreendendo a Inter. Aos três minutos, Rispoli arriscou de fora da área, a bola desviou em Santon e matou Handanovic. Com o sofrido, a Inter teve de mudar sua posta e ficar mais ofensiva. Porém, não era incisiva.

D’Ambrosio exigiu boa defesa do goleiro Posavec em chute da entrada da área, mas ainda assim a Inter sofria para chegar com perigo à meta do Palermo. Aos 70 minutos, Banega cobrou falta na cabeça de Icardi – apagado no jogo – e o capitão nerazzurro cabeceou com muito perigo.

Visando dar mais movimentação no setor ofensivo, De Boer trocou Perisic por Candreva. E minutos depois de ter entrado no jogo, o meia-atacante italiano contribuiu para o empate da Inter. Ele cruzou da direita e achou Icardi, livre, na área para empatar o duelo. A entrada de Candreva deu outro gás à equipe interista. Trabalhando pelo lado direito do ataque – como de praxe –, o camisa 87 descolou outro cruzamento, mas dessa vez para Éder, que por pouco não virou o jogo.

O final de chego se aproximava e as vaias começava a tomar conta das arquibancadas. A Inter, imponente, apenas rondava a área a Palermo. A última tentativa do time azul e preto de Milão saiu do pé canhoto de Candreva, que pegou sobra da defesa rosanera e mandou por cima da meta.