Clubes italianos se solidarizam com a Chapecoense nas redes sociais

Equipes lamentaram e desejaram força ao clube catarinense e às famílias das vítimas

Clubes italianos se solidarizam com a Chapecoense nas redes sociais
Tragédia chocou o mundo do futebol (Foto: Reprodução/Twitter)

O futebol está em luto. A queda do avião da LaMia, matrícula CP2933, que matou 71 pessoas na madrugada desta terça-feira (29), entre elas jogadores e membros da diretoria e comissão técnica da Chapecoense, além de tripulantes e jornalistas, fez com que clubes de todas as partes do mundo se pronunciassem em respeito às vítimas.

O Milan, através de seu perfil oficial no Twitter, lamentou o episódio: "Nossos corações e pensamentos estarão com a Chapecoense hoje". Arquirrival dos rossoneri, a Internazionale também se manifestou por meio da rede social. "Nunca deveríamos acordar com uma notícia como essa. Todos nossos pensamentos estão com a Chapecoense".

Da mesma forma, a Roma se pronunciou: "O pensamento da AS Roma visa a Chapecoense e a todas as pessoas envolvidas no acidente de avião na Colômbia". A Juventus, atual campeã italiana, também lamentou. "A Juventus apresenta as suas condolências pelo acidente de avião na Colômbia e se agarra às famílias das vítimas".

Leia mais: Para sempre Chapecoense

A Lazio 'retuitou' mensagens de alguns jogadores e prestou seus sentimentos. "Não se pode acreditar no que aconteceu. O futebol chora com a Chapecoense. Com tristeza em nosso coração, oramos por vocês".

Atalanta, Genoa, Sassuolo, Fiorentina e outros tantos clubes do país também se solidarizaram com a equipe brasileira. Outros jogadores e ex-jogadores que atuam ou atuaram na Itália lastimaram o triste ocorrido. O perfil da Serie A no Twitter também se pronunciou e desejou força ao time de Chapecó.

A equipe catarinense viajava a Medellín para disputar a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional. Seria a primeira decisão da associação em uma competição internacional. Entre as perdas, estão o treinador Caio Júnior, o goleiro Danilo, o meia Cléber Santana e o atacante Bruno Rangel, maior artilheiro da história do clube.

Na aeronave, estavam 77 pessoas. Seis sobreviveram, entre eles três jogadores, o zagueiro Neto, o lateral Alan Ruschel e o goleiro Follmann, que teve uma perna amputada além do jornalista Rafael Henzel.

A VAVEL Brasil lamenta, profundamente, por todas as vítimas.