Com elenco experiente, Internacional busca o quarto título nacional
Colorado chega com força ao Brasileiro (Arte: Walter Paneque/VAVELcom)

Nome: Sport Club Internacional

Ano de fundação: 1909

Mascote: Saci

Títulos:

Campeonato Gaúcho: 42

(1927, 1934, 1940, 1941, 1942, 1943, 1944, 1945, 1947, 1948, 1950, 1951, 1952, 1953, 1955, 1961, 1969, 1970, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975, 1976, 1978, 1981, 1982, 1983, 1984, 1991, 1992, 1994, 1997, 2002, 2003, 2004, 2005, 2008, 2009, 2011, 2012, 2013);

Campeonato Brasileiro: 3 (1975, 1976, 1979);

Copa do Brasil: 1 (1992);

Copa Libertadores da América: 2 (2006, 2010);

Mundial de Clubes da FIFA: 1(2006);

Copa Sul-Americana: 1 (2008);

Recopa Sul-Americana: 2 (2007, 2011).

Campanha em 2012: Campeão Gaúcho sobre o Grêmio; Eliminado nas oitavas de final da Libertadores da América pelo Fluminense; 10º colocado no Campeonato Brasileiro.

Expectativa: Conquistar o seu 4º título nacional e garantir vaga na Libertadores 2014.

Campanha abaixo do esperado

O Internacional começou o ano de 2012 mantendo favoritismo ao título brasileiro e ao título da Libertadores da América. Com um elenco forte que contava com jogadores promessas como Leandro Damião e Oscar, e velhos conhecidos da torcida como D’Alessandro e Guiñazu, o Colorado iniciou sua campanha sendo campeão estadual em cima do rival Grêmio, em pleno Olímpico. Mas o que parecia ser sonho virou pesadelo. Após se classificar com muita dificuldade para a fase do mata-mata da competição sul-americana, em um grupo que contava com Santos – atual campeão -, Juan Aurich e The Strongest, o time gaúcho foi eliminado, ainda nas oitavas de final, para o Fluminense, um dos fortes candidatos ao título.

Após a eliminação, todo o foco se voltou ao Brasileirão. Para isso novos reforços precisavam ser trazidos à Porto Alegre, principalmente para suprir a falta de Oscar, que já estava de saída ao Chelsea, da Inglaterra e Leandro Damião, sondado por times europeus. Sendo assim, os dirigentes colorados fizeram três contratações de efeito: Rafael Moura, vindo do Fluminense, Juan, zagueiro vindo do Roma e com experiência de seleção e Diego Forlán, ídolo uruguaio e melhor jogador da Copa do Mundo FIFA de 2010, vindo da Inter de Milão. Para o comando do time, a diretoria recorreu a um grande ídolo da torcida colorada, o capitão da conquista da Libertadores e do Mundial de Clubes FIFA 2006: Fernandão. O ex-capitão chegou com o objetivo de colocar o Colorado na disputa pelo título, mas os resultados obtidos foram abaixo do esperado e o Clube do Povo amargou uma décima posição no campeonato nacional, resultando na dispensa do treinador duas partidas antes do final da competição.

Pré-temporada longa e jogos longe de casa

Antes da temporada de 2013 se iniciar, a diretoria tinha dois grandes desafios. O primeiro era escolher uma nova casa para o Internacional, já que o Beira-Rio precisaria ficar fechado para a conclusão das reformas para a Copa do Mundo de 2014. A segunda, preencher o cargo de treinador. A direção colorada então alugou o Estádio Centenário, em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha. Escolhido o estádio, o próximo passo seria o treinador. A ideia era trazer alguém que já tivesse experiência para tal e que retomasse os títulos para o time gaúcho. Sendo assim, outro ídolo da torcida foi trazido, tratava-se do ex-técnico da Seleção Brasileira, Dunga. Ao chegar, o ex-capitão da Seleção afirmou que, apesar da estrutura que o clube mantinha, novos reforços seriam trazidos.

E foi exatamente isso que a direção colorada fez. Após perder muitos de seus jogadores, dentre eles o ídolo Guiñazu, que voltou ao Libertad, do Paraguai e Dagoberto, que rumou ao Cruzeiro, o Internacional foi atrás de reforços que pudessem suprir a necessidade. E mesmo com um orçamento apertado, a diretoria trouxe nomes de peso para o elenco como Caio, atacante do Figueirense, o volante Willians, vindo da Udinese, da Itália, Vitor Júnior, vindo do Botafogo e o lateral direito Gabriel, ex-Grêmio.

Após as contratações, o objetivo era se resguardar e se preparar para o campeonato estadual. Para isso, para a pré-temporada, Dunga e seus jogadores contaram com uma infraestrutura completa em Gramado. E para que tudo corresse bem, o elenco principal fez sua estreia pelo gauchão 2013, apenas na terceira rodada, deixando os dois jogos anteriores por conta do time sub-23, comandado por Osmar Loss.

E a receita de Dunga deu resultado - com uma campanha com aproveitamento de 68.9%, o clube de Porto Alegre conquistou o seu tri campeonato, 42º título da história, de forma direta, ou seja, vencendo nos dois turnos da competição.

(FOTO: Reprodução/Site Oficial Internacional)

Elenco com experiência internacional

Mantendo um dos melhores elencos do Brasil, o Colorado pode passar por algumas mudanças. Leandro Damião, um dos goleadores do time gaúcho e vice artilheiro do time, está cogitado em sair na próxima janela européia. Diante disso, a diretoria colorada está à procura de novos reforços. O nome mais cotado é do atacante Robinho, atualmente no Milan, candidato forte para substituir o camisa 9 colorado. Recentemente, o lateral direito Ednei foi apresentado para ser reserva de Gabriel, titular absoluto do time de Dunga. Mesmo assim, podemos esperar por novos reforços ao longo do ano.

Por outro lado, o time conta com o uruguaio Diego Forlán, ídolo mundial que conquistou a artilharia do campeonato gaúcho com nove gols e D'Alessandro, ídolo da torcida colorada. Conhecido por sua autoridade e dedicação dentro de campo, o capitão está há cinco anos no clube e mostra que faz a diferença dentro do campo. O argentino já declarou que não pensa em sair do Inter e que espera levar o clube a muitos títulos.

No setor defensivo, o destaque fica para o lateral Gabriel, que tem característica veloz e poder jogar em ambos os lados dos campos. Na zaga, Rodrigo Moledo e Juan fazem a dupla defensiva. Enquanto o primeiro tem qualidade técnica e habilidade com os pés, o camisa 4, com toda sua experiência européia, marca fortemente seus adversários, tornando assim a defesa colorada a menos vazada da competição, levando apenas nove gols. O mérito fica por conta do goleiro Muriel, que ganhou destaque após defender o pênalti que garantiu a vitória colorada sobre o Juventude, que consequentemente deu o título estadual ao Internacional.

(FOTO: Reprodução/Site Oficial do Internacional)

VAVEL Logo
//