Victor revela que defesa de pênalti foi a maior de sua carreira
O camisa 1 fez treino de recuperação para o jogo contra o São Paulo (Foto: Rodrigo Clemente / E.M/D.A.Press)

Como em toda história de ação e que envolvem emoções a flor da pele, no final sempre aparece um herói. No jogo entre Atlético-MG 1 x 1 Tijuana-MEX, valendo pelas quartas de final da Taça Libertadores da América, existiram muitos candidatos a protagonista principal da noite. Mas, o grande diferencial da partida apareceu no segundo tempo. O goleiro atleticano Victor, além de fazer uma defesa incrível aos 24 minutos, impediu a desclassificação do Galo aos 48, defendendo um pênalti com a perna esquerda, cobrado por Riascos.

Depois do apito final e do alívio pela classificação para as semifinais da maior competição Sul-Americana, o goleiro é chamado pelos atleticanos de "São Victor". E após o jogo, o camisa 1 disse que não vai esquecer da partida na Arena Independência. "Com certeza, memorável. Você ligar a TV, abrir o jornal e ver sua foto estampada nos veículos de comunicação é gratificante, um motivo de muito orgulho, de muita felicidade. Com certeza, vai marcar minha carreira. É uma situação inédita, que eu nunca tinha passado e que, com certeza, vou levar com muito carinho para o resto da minha carreira.

O duelo entre Atlético x Tijuana, teve um desgate físico muito grande dos jogadores durante todo o tempo. Para Victor, que joga no domingo, às 18h30, diante do São Paulo, pelo Brasileirão, a noite e o dia pós-jogo não teve tanto descanso assim. "A noite foi mal dormida, muito mal dormida, graças a Deus, pela felicidade do momento, na euforia da defesa do pênalti no momento decisivo. O dia também foi bastante corrido, bastante agitado, muito gente procurando para dar os parabéns, bastante entrevista, repercutiu muito bem e isso é muito gostoso para o atleta, trabalha visando viver um momento assim. Agora que se vira a chave para o Campeonato Brasileiro, tem que buscar a concentração, se preparar, hoje fiz um trabalho de recuperação para chegar 100% no jogo e é uma pedreira no Brasileirão já que Libertadores vai ficar 32 dias parado, temos que nestes quatro jogos do Nacional que faltam pra gente encerrar essa fase pré-Copa das Confederações."

Victor teve passagens por Paulista de Jundiaí-SP e Grêmio-RS, além de convocações para a seleção brasileira. Entretanto, o goleiro afirmou que foi a grande a defesa da carreira. "Foi sim a defesa mais importante da minha carreira, devido ao momento do jogo, a importância e o que representava a partida, foi sim a defesa mais importante".

VAVEL Logo