Diogo marca no fim e Portuguesa vence o Fluminense

A gelada noite de dia dos namorados terminou com valsa para o lado paulista. Apesar da pouca posse de bola, a Portuguesa foi decisiva e venceu o Fluminense por 2 a 1 nesta quarta-feira. Souza e Sóbis marcaram no primeiro tempo, mas a ineficiência tricolor foi castigada no fim com Diogo decidindo a partida. Com o resultado, a equipe do técnico Edson Pimenta deixou a zona de rebaixamento e, de quebra, impediu que seu adversário carioca assumisse a liderança isolada da competição.

A Portuguesa agora aparece na 12ª colocação com 6 pontos em 5 jogos. Já o Fluminense vai para a pausa da Copa das Confederações na 4ª colocação, detendo 9 pontos em 5 jogos. Entretanto, o clima pós jogo não foi de euforia por permanecer na zona da Libertadores, mas sim, de lamentação por não conquistar a liderança do campeonato. Ambas as equipes só retornam a campo em julho. No dia 6, a Lusa enfrenta o Cruzeiro em casa enquanto o Fluminense faz o clássico contra o Botafogo em local ainda não definido.

Berna falha e Sóbis marca

Enquanto o frio paulista assoprava no estádio do Canindé, Fluminense e Portuguesa subiam ao gramado buscando garantir seus objetivos distintos. A equipe carioca detinha de muita posse de bola mas era pouco incisivo, enquanto a Lusa apostava nos contra-ataques e chegava com perigo. Depois de muitas divididas, faltas, e até mesmo um toque de violêncio, o primeiro gol saiu. Souza aproveitou o vacilo de Diguinho, avançou e chutou forte da intermediária. Berna, mal posicionado, aceitou.

Precisando do empate, o Flu se lançava ao ataque mas enfrentava uma defesa bem postada. Gum desperdiçaria uma cabeçada, sozinho, na pequena área que faria Abel Braga arrancar seus cabelos brancos. Porém, antes do apito final, o empate saiu. Sóbis, o único jogador que ainda estaria disposto a participar efetivamente do jogo, acertou uma canhão de perna direita e correu para o abraço. A curva da bola ainda enganaria Gledson antes do empate ser assinalado no marcador.

Diogo decide no fim

O segundo tempo seguiu o mesmo panorâma do primeiro, Fluminense detinha maior posse de bola enquanto a Lusa apostava nos contra-ataques. Sofrendo com os desfalques, seja por contusão ou pro convocação, Abel Braga via seu time desordenada em campo clamando por um gol salvador. A garotada de Xerém não era páreo para a forte e dura marcação adversária e sequer chegava a assustar no segundo tempo.

Ineficiente, o Fluminense sofreu o castigo no final. Bruno, em mais uma falha de marcação, deixou Rogério entra livre para esquerda antes de cruza na cabeça de Diogo que ainda veria a bola tocar na trave antes de morrer no fundo das redes. Era o gol da vitória na raça e na tática da Portuguesa que espera a pausa da Copa das Confederações fora da zona de rebaixamento.

VAVEL Logo