Prefeito de Porto Alegre diz que cidade pode ficar fora da Copa do Mundo
José Fortunati admite a possibilidade de Porto Alegre ficar fora do Mundial (Foto: Jonathan Heckler / Jornal do Comércio)

Faltam apenas 80 dias para a bola rolar na Copa do Mundo, competição a qual será disputada em território brasileiro. O clima é de expectativa e ansiedade entre os torcedores, tendo em vista a importância de uma competição de grande porte para um esporte com tantos seguidores como é o futebol.

Em contrapartida, também existem tensões as quais tomam conta dos preparativos para o Mundial no Brasil. Depois de a Rússia ter sua participação na Copa ameaçada pela crise política na Crimeia, embora tal fato esteja longe de se concretizar, veio à tona a possibilidade de Porto Alegre deixar de ser uma das cidades-sede do certame. É o que afirma José Fortunati, prefeito do município.

Segundo o político, um projeto de lei enviado à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul para conceder incentivos fiscais às empresas as quais bancarão as estruturas temporárias para a realização dos jogos da Copa no Estádio Beira-Rio está parado há um mês.

"Se não for votado, estará definido que não teremos Copa do Mundo em Porto Alegre, porque não teremos como buscar recursos. A prefeitura não vai tirar dinheiro do seu orçamento [para as obras], o Estado também não. Não tem Plano B, nem Plano C, nem Plano Z", afirmou. "Este é o ponto que representa hoje o gargalo em termos de realização da Copa do Mundo em Porto Alegre", completou.

Beira-Rio pode não receber jogos da Copa do Mundo (Foto: Divulgação / Internacional)

Preocupado com a situação, Fortunati deu a entender que uma definição deve sair já nesta semana. "Na próxima quarta-feira, o vice-prefeito Sebastião Melo e o procurador Marcelo do Canto estarão no Rio de Janeiro em reunião convocada pelo COL [Comitê Organizador Local] para discutir exatamente as estruturas temporárias de Porto Alegre. Nós estamos em um situação difícil, mas temos de reconhecer que isso nos preocupa", esclareceu.

O Ministério Público do RS informou que, mesmo que o Sport Club Internacional, dono do Beira-Rio, consiga a aprovação do projeto de isenção fiscal, o Estado da região sul do país deverá ser ressarcido após a Copa. Apesar da confirmação feita pelo órgão público,Giovanni Luigi, presidente do clube gaúcho, negou que o Inter pagará essas despesas. Luigi também admitiu a possibilidade de a cidade ficar fora da Copa do Mundo.

"As estruturas não são de competência do Inter. E, se não for definido, existe, sim, a possibilidade de não ter Copa em Porto Alegre", informou o mandatário.

O Estádio Beira-Rio está programado para receber cinco partidas do Mundial, sendo quatro da fase de grupos e uma do mata-mata, mais precisamente das oitavas-de-final.

VAVEL Logo