Luverdense e CRB empatam sem gols e permanecem com mesmo panorama na Série B
(Foto: Luís Felipe Nischor/Luverdense)

A vitória era o desejo principal de Luverdense e CRB. As duas equipes entraram em campo na noite desta terça-feira (02), pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. No encerramento do turno, os clubes realizaram uma partida movimentada, mas faltou o gol. Os times empataram sem gols no Estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde/MT.

Com o resultado, o jejum de vitórias continua. Os mato-grossenses estão há sete rodadas sem vencer e caem para o 14º lugar, com 24 pontos. Por outro lado, os alagoanos acumulam o terceiro jogo sem vitória, mas comemoram o empate conquistado longe de seus domínios e a permanência no terceiro lugar, com 33 pontos somados.

A competição dá uma pausa por causa dos Jogos Olímpicos e volta daqui a duas semanas. A próxima rodada marca o começo do returno. O Luverdense enfrenta o Joinville na Arena Joinville, em Santa Catarina, às 20h30 do próximo dia 19. O CRB reencontra o torcedor às 16 horas do sábado (20), quando encara o Londrina no Estádio Rei Pelé, em Maceió/AL.

Luverdense mais ofensivo no primeiro tempo

O Luverdense tentava fazer valer o mando de campo e a postura ofensiva do esquema tático foi colocada em prática nas quatro linhas. A primeira boa oportunidade veio aos seis minutos de jogo. Raul Prata deu belo corte em Welinton Júnior e chutou forte. A bola acertou a defesa alvirrubra. O CRB tentava responder por meio da ligação direta. Mas o goleiro Diogo Silva conseguia defender tranquilamente e evitava o perigo adversário.

O Luverdense voltou a levar perigo aos 17 minutos, quando Sérgio Mota arriscou da entrada da área e a finalização passou muito perto da trave. O CRB deu a resposta aos 23 minutos. Gérson Magrão tocou a bola para Roger Gaúcho. O meia dominou, driblou o marcador e bateu rasteiro. O goleiro Diogo Silva espalmou para escanteio. A partida continuou movimentada. No minuto seguinte, Jean Patrick aproveitou contra-ataque e ficou frente a frente com o goleiro Júlio César. O arqueiro do Galo conseguiu levar a melhor e a zaga afastou em seguida.

O confronto continuou movimentado e com as duas equipes próximas de balançar as redes. Dentro de casa, o Luverdense foi mais ofensivo e, na reta final da primeira etapa, ficou mais próximo de abrir o marcador. Aos 38 minutos, Jean Patrick mais uma vez avançou com perigo e chutou forte da intermediária. A bola passou muito perto e o goleiro Júlio César se esticou para evitar o gol da equipe mato-grossense.

Segundo tempo segue movimentado e clubes não saem do zero

O CRB apresentou uma postura mais ofensiva no começo da segunda etapa. Logo aos dois minutos, Roger Gaúcho toca para Gérson Magrão e o meia bateu forte na diagonal. Por muito pouco o gol do Galo não saiu. O Luverdense respondeu do mesmo jeito e também assutou. Aos 10, foi a vez de Ricardo arriscar de muito longe e passou perto.

Melhor em campo, mas sem conseguir marcar, o técnico Júnior Rocha trocou as peças ofensivas e deixou o time ainda mais presente no ataque. Os três atacantes foram substituídos por outros três jogadores da posição. Mas as alterações promovidas pelo comandante não surtiram o efeito inesperado, principalmente nos primeiros minutos. Pelo contrário, quase o CRB conseguia marcar. Aos 24 minutos, Welinton Júnior foi lançado, avançou e finalizou na saída do goleiro Diogo Silva. A bola bateu na trave e por muito pouco não foi marcado o gol.

O Luverdense tinha considerável posse de bola, trocava passes, mas faltava a efetividade na hora de finalizar. Na reta final do jogo, a equipe da casa começou a pressionar um pouco mais e voltou a levar perigo ao gol defendido por Júlio César. Aos 37 minutos, Erik avançou até a linha de fundo e bateu recuado para o meio. Jean Patrick arriscou como veio e mandou por cima da meta. Aos 40, Sérgio Mota cobrou falta com força, o goleiro Júlio César deu rebote e Diego Jussani afastou de vez as possibilidades dos mandantes marcarem no lance. O CRB também teve oportunidade aos 41. Matheus Galdezani recebeu na entrada da pequena área e isolou. O zero prevaleceu.

VAVEL Logo