Palmeiras fica só no empata com a Ponte Preta no Allianz Parque
Foto: Divulgação/Palmeiras

Nesta fria e chuvosa tarde de domingo (21), o torcedor que acompanhou ao empate por 2 a 2 entre PalmeirasPonte Preta, nesta 21ª rodada do Brasileirão, pôde acompanhar um jogo quente e pegado no Allianz Parque. No total foram distribuidos nove cartões amarelos – três para o lado Alviverde e outros assustadores, seis cartões para o lado campineiro.

Com este empate, o Palmeiras mantêm um indigesto tabu que já incomoda o torcedor palestrino há um tempo. A Macaca, é a única equipe que o Palmeira ainda não conseguiu ganhar em seu novo estádio; já são duas derrotas diante da Macaca, e agora um empate, em pleno Allianz Parque.

Apesar do empate, o verdão consegue manter a liderança com 40 pontos, dois pontos a mais que o vice-líder Atlético-MG. A Ponte Preta sobe para 7º colocado com 31 pontos, rumando para o G-4. No próximo domingo, na 22ª rodada, o Palestra vai ter jogo duro contra o Fluminense, no estádio Mané Garrincha, às 16h. Já a Ponte vai jogar em casa, no sábado (27) às 16h, contra o Corinthians, para continuar subindo na tabela.

Palmeiras no controle do primeiro tempo

Com poucos minutos do jogo os espectadores do duelo puderam observar que a Macaca tinha vindo com a proposta clara de jogar no contra ataque, eles marcavam no seu campo de defesa enquanto o Palmeiras trocava passes buscando espaço. No entanto, quem teve a primeira oportunidade clara de gol foi o time de Campinas.  Aos 7 minutos, Wendel saiu cara a cara com Jailson, chutou cruzado, mas o arqueiro do Palmeiras levou a melhor. 

Era um jogo bem movimentado, as duas equipes procuravam explorar os erros do adversário, e permaneceu assim até os 15 minutos, quando Rafael Marques abriu o placar: Numa ótima jogada de Róger Guedes pela direita, ele se livrou da marcação de Reinaldo, fez o cruzamento rasteiro, e a bola passou pelos zagueiros da Ponte e por Cleiton Xavier. Rafael Marques aparecu somente para completar para o gol. Era o Verdão a frente no marcador.

Depois do gol o time da casa pôs panos quentes no jogo. O Palmeiras trocava passes no meio-campo e a Ponte Preta adiantava a marcação para tentar surpreender. A Ponte, com essa postura cautelosa, sem ousar táticamente, não ofereceu grandes perigos à meta palestrina. O Palmeiras com maior posse de bola, administrou o jogo até o fim do primeiro tempo.

Palmeiras até se esforça, mas a Ponte consegue se segurar

O segundo tempo teve muitos lances de perigo. Logo aos 6 minutos a Ponte fez valer sua proposta de jogo. Wellington Paulista aproveitou uma trapalhada da defesa palmeirense e empatou para a Ponte Preta. O time da casa tinha começado bem o segundo tempo e pressionava, mas no contra-ataque a Macaca empatou.

O Verdão não acusou o golpe, pressionava a Ponte, mesmo após ter sofrido o empate. O time Campineiro tentava se segurar como podia. Mas aos 24 minutos, após lançamento, Rafael Marques escorou para trás e viu Thiago Martins cabecear para a rede, eram o Verdão na frente de novo, 2 a 1.

A comemoração palmeirense durou pouco tempo. Três minutos depois, a Ponte Preta voltou a igualar o placar. William Pottker recebeu lançamento da defesa, ganhou de Egídio na corrida e bateu no canto direito de Jailson.

Apesar do balde de água fria, o Palmeiras lutava. Com 36 minutos do segundo tempo o Palmeiras tinha dado 15 chutes a gol, contra 9 da Ponte Preta. O Palestra tinha muita pressa para tentar vencer a partida na arena, mas a Ponte executou com sucesso seu plano de jogo e se segurou.

VAVEL Logo