Com vantagem de novo empate, Rio Preto recebe Santos na final do Paulistão Feminino
Florencia Soledad, do Santos, disputa bola com Letícia Albuquerque, rival do Rio Preto (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)

O futebol feminino brasileiro terá mais um competição merecedora de extremo destaque chegando ao seu final nesse domingo (28). O Campeonato Paulista de Futebol Feminino, considerado como um dos melhores e mais disputados, terá a final entre Rio Preto e Santos sendo realizada às 10h, no estádio Anísio Haddad, em São José do Rio Preto. Esse será o segundo jogo da grande decisão, depois de as duas equipes já terem se enfrentado na última quinta-feira, saindo com um empate em 0 a 0.

O resultado dá uma boa vantagem para as meninas do Rio Preto que, além de jogarem em casa, precisarão apenas de um empate para sair de campo com o título inédito. No entanto, o Santos, detentor de dois títulos da Copa Libertadores feminina, ainda possui grandes chances de se recuperar, precisando apenas de uma vitória simples para conseguir seu quarto título na competição, o que levaria o clube a alcançar a Ferroviária, dividindo a honra de maiores vencedores do Campeonato Paulista. E apesar do empate sem gols no jogo de ida, é possível esperar uma partida com grandes chances de gol. Dentre as cinco maiores artilheiras dessa edição da competição, três jogam por uma das duas equipes finalistas. Florencia Soledad lidera o ranking com 16 tentos anotados. Adriana, com 13 e Millene, com 11, integram a lista pelo Rio Preto.

A campanha das duas equipes na competição

Antes de falar sobre a campanha de Santos e Rio Preto, é importante explicar o regulamento da competição, que passou por quatro fases. A primeira delas foi uma fase de grupos onde as 14 equipes participantes foram divididas em dois grupos com sete times cada. Após as doze rodadas, em sistema de turno e returno, os quatro primeiros colocados de cada grupo avançariam rumo à próxima fase, já no sistema de mata-mata, com as quartas de final, seguidas pelas semifinais e, por fim, a final. Cada uma das fases eliminatórias foi disputada com jogos de ida e volta, tal qual a grande decisão.

O Rio Preto estava no grupo A, juntamente com Corinthians, XV de Piracicaba, Ferroviária, Francana, Guarani e Independente. As meninas fizeram uma primeira fase quase perfeita, vencendo dez jogos, empatando um e perdendo apenas uma partida, para o XV de Piracicaba, pelo placar de 4 a 3, além de marcar um total impressionante de 47 gols, tendo uma média de quase quatro gols por jogo. Passando em primeiro lugar no seu grupo, o time do interior de São Paulo passou pela Portuguesa nas quartas de final, com vitórias por 3 a 1 e 3 a 0. Na fase seguinte, confronto com o time do Centro Olímpico e mais duas vitórias: no jogo de ida, 2 a 1 e, na volta, 1 a 0, garantindo a passagem para a final do Campeonato Paulista.

A trajetória do Santos até a final foi bem semelhante a de seus adversários. Alocado no grupo B da primeira fase, tendo como adversários os times do Centro Olímpico, São José, Portuguesa, Taubaté, Juventus e União Futebol Clube, o clube teve desempenho excepcional, terminando a primeira fase com um total de nove vitórias, dois empates e apenas uma derrota, também marcando 47 gols, dividindo o título de melhor ataque da competição com o Rio Preto. Pelas quartas de final, as meninas da Vila derrotaram a Ferroviária, vencendo as duas partidas, com placares de 2 a 1 e 4 a 1.

Pelas semifinais, um grande clássico aguardava as jogadores, já que o adversário era o Corinthians. O confronto registrou dois empates: no jogo de ida, 1 a 1; na partida de volta, o 2 a 2 deu a classificação ao Santos, que detinha a vantagem de empatar duas vezes por ter feito melhor campanha na fase de grupos.

Dirigente e técnico do Rio Preto fazem apelo por apoio da torcida

Jogando em casa na grande decisão, o Rio Preto chega com a vantagem do empate e boas chances de conseguir o seu primeiro título paulista. No entanto, sem torcida, é impossível maximizar o “fator casa” e o vice-presidente jurídico do clube, José Eduardo Rodrigues, convocou os torcedores a comparecerem: “É um momento histórico na vida do clube. Somos campeões e vice do brasileiro, temos tudo para conquistar o título paulista. O jogo vai ser complicado, difícil, então peço ao torcedor que realmente torce para o Rio Preto que compareça em peso e venha apoiar as meninas que tanto merecem, porque elas vêm fazendo mais uma vez uma temporada maravilhosa com a camisa do clube”, declarou o dirigente. A final será disputada com portões abertos, sem cobrança de ingresso, trazendo uma oportunidade única para os torcedores.

Voltando ao aspecto tático e técnico da partida, o Rio Preto não poderá contar com a lateral Edilaine, suspensa por conta do terceiro cartão amarelo, e deve ter Mônica como substituta. Apesar disso, a meia Mariana, suspensa na primeira partida, poderá voltar à equipe, provavelmente na vaga de Elis. Mesmo com as alterações pontuais, o técnico Chicão Reguera deixou bem claro que não visa mudar o estilo de jogo da sua equipe: “Não adianta mexer naquilo que vem dando certo. Fizemos um grande jogo em Santos e agora vamos tentar repetir a dose mais uma vez com o apoio da nossa torcida”, declarou o treinador.

Além disso, a zagueira e capitã Ana Alice também falou a respeito da partida e trata o aspecto psicológico do confronto como extremamente importante: “Sabemos da qualidade das adversárias, soubemos neutralizá-las na primeira partida e agora não podemos nos desconcentrar em nenhum momento. Em casa a gente tem que ser protagonista, sair com mais velocidade e jogar com atitude”, afirmou a jogadora. A equipe riopretense que deve entrar em campo é a seguinte: Letícia Bussatto; Mônica, Ana Alice, SiméiaLetícia Albuquerque; Jéssica, Suzana, Mariana, Lelê; Millene, Kamila.

Santos conta com retorno da capitã Carol Arruda e busca calma para buscar o título

Pelo lado santista, a grande notícia e novidade para o jogo de volta da decisão é a volta da zagueira Carol Arruda, capitã do time. O retorno da jogadora é extremamente importante para a equipe, tendo em vista que Camila foi expulsa na partida de ida e desfalcará o Santos nessa final. Auinã, que já havia sido titular na primeira partida, deve se manter na equipe do técnico Caio Couto.

O treinador concedeu entrevista falando sobre a partida e mostrou confiança nas suas comandadas: “Vamos para o segundo tempo da decisão, prevendo um jogo equilibrado e sabendo que reunimos totais condições de vencer esse jogo. Nossa equipe está madura e preparada para enfrentar qualquer adversário, em qualquer campo. Tivemos chances na primeira partida, não se converteram em gol, mas acreditamos que conseguiremos o tão almejado título”, declarou Caio.

A lateral Dani Silva também falou e definiu o que precisa mudar na maneira de jogar do time santista para que o título seja conquistado: “Nosso time precisa ter um pouco mais de calma. Quando elas derem chutão, temos que colocar a bola no chão, envolver a equipe delas com o nosso estilo de jogo. Precisamos ter calma porque uma vitória simples garante o título para o nosso time”, declarou a camisa 20. A equipe do Santos que deve entrar em campo é a seguinte: Paty Nardi; Giovana, Auinã, Carol Arruda, Dani; Maria, Kelly, Suzane, Erikinha; Ketlen e Soledad.

VAVEL Logo