Evando lamenta chances perdidas do Avaí após empate com Concórdia: "Faltou o gol"
Foto: André Palma Ribeiro / Avaí FC

O Avaí ficou no empate contra o Concórdia por 1 a 1, o que fez a equipe se afastar dos primeiros colocados e ficar em risco de não chegar à próxima fase do Campeonato Catarinense. Após o duelo, o comandante interino, que substitui o suspenso Claudinei Oliveira, Evando, avaliou a partida.

A gente teve um gol no início, depois erramos e sofremos um gol pelo lado do campo. A equipe deles cresceu depois do gol. Organizamos e voltamos melhor. Adiantamos o Menezes e criamos chances, eles saíram no desespero, através da bola longa. Foi um jogo aberto e perdemos as oportunidades”, disse Evando.

Nós temos feito um trabalho brilhante com a garotada. Jogamos dois jogos com um a menos e infelizmente hoje sentimos o cansaço. Um campo pesado e que não está na metragem correta, mas gostei da postura dos garotos. Estamos em evolução”, completou.

O comandante da noite analisou o que faltou para o Avaí na partida. Apesar da situação difícil ele cita o desejo de vencer a competição.

Faltou o gol. O último passe aconteceu. Ganhamos a segunda bola. Eles fizeram isso apenas na reposição do Zé Carlos. Quando mudamos para o esquema ganhamos a maioria das bolas. Sabíamos que na bola parada eles são perigosos, pois o Concórdia tem jogadores altos. Mas assim, gostei. Estreamos o Marcinho que vem treinando bem. Temos o objetivo de voltar à Série A, estamos na Copa do Brasil e ainda sonhamos com a classificação, mesmo que seja difícil. Viemos para vencer, mas sempre respeitamos o Concórdia. Demoramos para nos organizar depois do gol.”

Evando falou sobre a estreia do meio-campista Marcinho, de 18 anos. Para ele o jovem jogador tende a crescer. “Minha avaliação foi boa, ele vai crescer. Pensamos no Marcinho, pois o Menezes se aproxima bem ao ataque, faz o que o Judson tem aprendido a fazer. O Marcinho é mais de contenção, tipo o que o Luan faz. A gente normalmente ataca com seis e defende com quatro. A gente acredita no Lucas de Sá, ele até iria entrar, mas o Maurinho sentiu. Que ele continue trabalhando, temos 35 atletas e vamos escolher àqueles que podem ser úteis para o Avaí em determinados jogos. É preciso ter sequência, pois as oportunidades vão aparecer”, avaliou.

O treinador substituo comentou ainda a ausência de Luan e Judson. Ele explica como o time funciona com a presença dos dois. “Quando jogam Judson e Luan, dentro do sistema, as oportunidades das equipes são sempre de longe. A gente disse para o Aranha que aqui é assim, os caras vão chegar de longe e não vão chegar perto, entrar nas nossas linhas. Ele vai fazer muitas defesas, pois os chutes serão longos. Os mais experientes estão entendendo a questão e os garotos também. Sai satisfeito com isso. Em certos momentos você vê o time desorganizado, mas o jogo se resolve de forma organizada”, disse. 

O Avaí volta a campo na quarta-feira (21), contra o Criciúma, na Ressacada, às 21h45. O Leão está seis pontos atrás do Figueirense, vice-líder, a quatro rodadas do fim da fase classificatória.

VAVEL Logo