Bruno Henrique brilha, Fluminense reage, mas Flamengo vence clássico agitado
(Foto: Alexandre Vidal/ Flamengo)

Bruno Henrique brilha, Fluminense reage, mas Flamengo vence clássico agitado

Duelo de cinco gols no Maracanã, mesmo com reservas do Tricolor, foi marcado por bons lances, muita entrega e várias discussões entre os jogadores; equipes voltarão a se enfrentar na semifinal da Taça Rio

rafalisboa
Rafael Lisboa

No Maracanã, Flamengo Fluminense encerraram a Taça Rio em grande estilo. Mesmo com o Tricolor levando reservas, o jogo foi agitado e o Rubro-Negro venceu por 3 a 2. No meio da semana, as duas equipes voltarão a se enfrentar na disputa pela vaga na final do segundo turno.

A partida começou com o Flu tendo a bola, mas a primeira chegada foi do Flamengo: aos 4, Éverton Ribeiro achou um lindo passe para Pará, que cruzou bem mas Gabigol não alcançou e perdeu uma grande chance. Melhor no jogo, o Rubro-Negro tentava furar a boa marcação.

Ate que, aos 13, Diego enfriou uma linda bola para Éverton Ribeiro, que quebrou a defesa tricolor e achou Pará. O lateral cruzou bem e Bruno Henrique completou para o gol, Fla 1 a 0. O time de Abel Braga seguiu melhor no jogo e quase ampliou aos 19: Renê recebeu de Diego e cruzou na medida para Pará, que cabeceou como manda o figurino, mas Agenor fez excelente defesa.

Depois da parada técnica, aos 20, Diego cobrou escanteio e Léo Duarte tocou firme, para outra grande defesa do goleiro do Fluminense. O jogo ficou ainda mais eletrizante. Aos 24, Rodrigo Caio vacilou na saída de bola, Caio Henrique roubou e chutou no travessão e, no rebote, Arão salvou em cima da linha após chute de Mateus Gonçalves. A equipe de Fernando Diniz seguiu superior, dificultou a saída de bola rubro-negra, mas não conseguiu criar mais chances.

Na reta final da primeira etapa, o Flamengo voltou a se impor e quase ampliou em duas oportunidades: aos 40, Éverton Ribeiro cruzou e Willian Arão cabeceou forte, no travessão. Dois minutos depois, após desvio de Bruno Henrique na primeira trave, Diego emendou uma linda bicicleta e Agenor fez outra boa defesa.

Na volta do intervalo, o Tricolor começou no campo de ataque e assustou com Allan, mas o chute subiu demais. Aos poucos, o Rubro-Negro foi se encontrando novamente em campo e não demorou muito para ampliar: aos 5, Diego achou um passe magistral para Bruno Henrique sair na cara de Agenor e ampliar, 2 a 0.

Seguindo na pressão, o time da Gávea logo ampliou aos 12: Allan saiu jogando errado, Bruno Henrique aproveitou e tocou para Gabigol vencer Agenor, 3 a 0. Parada definida? Nada disso. Quando o Flamengo mostrava vontade para marcar mais, Calazans fez grande jogada pela esquerda, passou por Renê e cruzou para Dodi diminuir antes da parada técnica: 3 a 1.

Após a parada, Diniz mandou o Fluminense ainda mais para o ataque, botando João Pedro no lugar de Allan. E o jovem de 17 anos, já vendido para o futebol europeu, marcou de cabeça na primeira oportunidade, aos 25, dois minutos depois de entrar em campo. A partir disso, o Flamengo sentiu demais os gols sofridos, e Abel Braga tentou frear o ímpeto tricolor mudando a equipe.

Na reta final do jogo, a partida ficou quente, com discussões entre jogadores e o árbitro João Batista de Arruda, que distribuiu nove cartões amarelos no total. Nos acréscimos, Pablo Dyego entrou com a sola do pé no rosto de Léo Duarte e foi expulso de maneira direta. Com o apito final no Maracanã, fica apenas a certeza que a semifinal entre os dois rivais reservará ainda mais emoções para os torcedores.

VAVEL Logo