Retomada do Brasileiro e sobrevivência na Copa do Brasil: os desafios de Ceni no Cruzeiro
Foto: Pedro Chaves/Fortaleza

Retomada do Brasileiro e sobrevivência na Copa do Brasil: os desafios de Ceni no Cruzeiro

Treinador tem a missão de tirar a equipe cinco estrelas da zona vermelha e possui uma decisão contra o Internacional

izabellefranca
Izabelle França

Somando uma vitória em 20 partidas, Rogério Ceni chega em terras mineiras para tirar o Cruzeiro da turbulência. Com contrato até dezembro de 2020, o novo técnico celeste tem a missão de tirar o time da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro

Na 17ª posição, a Raposa empatou em 2 a 2 contra o Avaí, no último domingo (11). O primeiro gol marcou o reencontro com as redes após oito duelos, equivalente a 893 minutos. Ao todo, são 11 rodadas sem conquistar os três pontos na principal competição do país - iguala a sua pior marca desde 2011.

Campeão da Série B (2018), Cearense (2019) e Copa do Nordeste (2019), Ceni vai encontrar um clube com grande estrutura e jogadores de boas qualidades técnicas como Fábio, Dedé, Thiago Neves, Robinho e Pedro Rocha. O novo desafio em sua carreira será melhorar o aproveitamento de 26%, e a escassez do ataque. 

Sua experiência dentro das quatros linhas poderá ajudar a equipe cinco estrelas a encontrar o equilíbrio necessário. Diante de um cenário conturbado, os erros de passes acabam prejudicando. Segundo o FootStats, o Cruzeiro ocupa o quinto lugar entre os 20 clubes que mais comete esse tipo de falha.

Durante o percurso, ainda existe uma pausa para a decisão da Copa do Brasil. Pelo primeiro confronto da semifinal, o Internacional ganhou por 1 a 0. Com a volta marcada para 4 de setembro, a sonhada vaga para a final não é impossível, mas sim difícil. Para evitar os pênaltis, será necessário vencer por dois gols de diferenças dentro do Beira-Rio.

O comandante da nova geração possui o estilo ofensivo. Na competição de pontos corridos, Rogério Ceni terá 24 rodadas para estabilizar a Raposa, enquanto na mata-mata, pode contar com o tempo de preparação e chegar na disputa por um troféu.

Ex-jogador, Ceni sabe como é viver esse tipo de situação e acredita que o time possui potencial para sair desta situação.

“Torço para que o grupo tenha desejos, tenha vontade, ímpeto. Porque no final das contas somos coadjuvantes. Os atletas é que decidem. Eu já estive do outro lado, como atleta, bem pouco tempo atrás. Se eles acreditarem no trabalho e tiverem desejo de sair dessa situação, sem dúvida alguma o Cruzeiro consegue, tem força para isso. É um time  fora de série”, pontuou.

MEDIA: 5VOTES: 1
VAVEL Logo