Diego conta que não critica jogadores ao assisti-los pela TV: "Sei que ali dentro não é fácil"
Foto: Reprodução / FLA TV

Diego conta que não critica jogadores ao assisti-los pela TV: "Sei que ali dentro não é fácil"

Camisa 10 do Flamengo também falou sobre sua recuperação de lesão no tornozelo

leo_silva997
Leonardo José

Completando quase um mês fora dos gramados devido à cirurgia após fratura no tornozelo, Diego Ribas segue em recuperação e também de repouso em sua casa. O meia ainda está impossibilitado de caminhar naturalmente, por isso recebe constantemente visitas dos médicos do Flamengo.

Em entrevista à FLA TV, Diego falou sobre ser literalmente apenas um torcedor, dizendo que não critica os jogadores por saber da atmosfera que é dentro de campo.

"Ficar fora não é fácil. A gente passa a entender mais o que o torcedor vive. É um nervosismo lascado (risos). Não consigo (reclamar dos jogadores), porque sei que ali dentro não é fácil. Mas agora entendo melhor o nervosismo e a decepção quando as coisas não acontecem."

O camisa 10 rubro-negro também revelou que ‘dá vontade de sair correndo’ enquanto assiste aos jogos do Flamengo.

"Assistindo aos jogos, dá vontade de sair correndo (risos). Mas é um período novo para mim, é a lesão mais grave da minha carreira, nunca fiquei parado por tanto tempo, com repouso total, e eu sou muito ativo. Mas, felizmente, tem dado tudo certo. Tenho aproveitado para ler bastante, refletir, fazer cursos online... Tem sido positivo."

Companheiros

Ainda à FLA TV, Diego contou que recebe frequentemente visita de parceiros ligados ao Flamengo e não escondeu a emoção com a homenagem que o elenco fez após eliminar o Emelec na Libertadores.

"Tenho recebido ex-companheiros, como Juan e Júlio César, e os do atual elenco. Ontem (semana passada) mesmo eu fui a um almoço do grupo. Isso está sendo muito importante na minha recuperação. Os jogadores têm sido muito parceiros e estão me ajudando. Me emocionei com aquela homenagem após a classificação contra o Emelec. Estou com muita saudade, sou feliz com meus familiares aqui (em casa), mas sou ainda mais podendo ir ao CT, treinar e jogar. É uma motivação... Em breve estarei lá."

Novos amigos

"Tenho falado com o Filipe Luís e o Rafinha. Eles brincaram: ‘Agora que chegamos você resolveu se machucar’. São grandes amigos que eu fiz no futebol. Com o Filipe, eu vivi mais com no Atlético de Madrid. Com o Rafinha, disputei uma Olimpíada junto, foi meu rival na Alemanha e na Itália. Eu, particularmente, fico muito orgulhoso de ver jogadores assim vestindo a camisa do Flamengo. São vencedores. Alcançaram um nível e conquistaram títulos grandes. Me cobram no vestiário. Isso também faz parte da minha motivação para voltar logo."

Aprendizado pós-lesão

"Depois que eu caí, e senti o meu osso quebrando, tive o receio de ser uma fratura exposta. Ali veio a primeira boa notícia (não ter sido). Já comecei a pensar na hora como aquilo seria um aprendizado. Eu tenho vivo na mente o dia que eu voltar, ajudar a equipe e ser importante, levantar um troféu... Vivo com esse pensamento, vivendo o dia de hoje. Tenho que trabalhar a paciência. Vejo muita coisa boa pela frente. Ver o show que a torcida está dando cativa."

Agradecimentos 

"Aproveito para, mais uma vez, agradecer. Já fui muito elogiado, criticado, mas nunca abandonado pela torcida. É uma realidade, é algo que eu sinto e agradeço do fundo do meu coração. Nós, profissionais, trabalhamos duro para atender às expectativas, mesmo que às vezes não seja possível. A torcida tem dado um show com esse apoio. Infelizmente, não consigo postar e compartilhar todas as mensagens que tenho recebido, porém é muito importante se sentir querido, amado e respeitado. Ajuda a seguir em frente."

Confira a entrevista na íntegra:

VAVEL Logo