Ídolo do Flamengo, maestro Júnior completa 66 anos
Foto: Reprodução/Flamengo

Um dos ídolos revelados no Flamengo que participou do período mais vitorioso da história rubro-negra é o ex-jogador Junior, que nesta segunda-feira (29) comemora mais um ano de vida. Batizado de Leovegildo Lins Gama Junior, o atual comentarista do Grupo Globo nasceu em João Pessoa-PB em 29 de junho de 1954 e hoje é mais conhecido como Maestro Junior.

Ainda na infância, Junior mudou-se para o Rio de Janeiro. Ele foi descoberto por Modesto Bria, ídolo rubro-negro, nas praias de Copacabana. Além disso, também praticou futsal. A carreira dentro dos gramados começou em 1974, quando foi campeão carioca, mas foi na nos anos 80 que ele viveu o auge no futebol - foi campeão mundial ao lado de Zico e cia, atuou na Itália e disputou duas vezes a Copa do Mundo.

Também conhecido como Capacete pela cabeleira black power que ostentava na época, o lateral esquerdo pendurou as chuteiras em 1993. Outro apelido que Junior ganhou na Gávea foi Vovô Garoto, em alusão ao fato de que encerrou a carreira aos 39 anos. Então o paraibano trocou os campos pelas areias e durante oito anos competiu em partidas de beach soccer. A aposentadoria aconteceu em 2001, aos 47 anos.

A carreira fora das quatro linhas continuou como treinador e dirigente de futebol no próprio Flamengo, além de uma passagem relâmpago pelo Corinthians - três jogos em 2003. 

Na seleção brasileira, Maestro Junior integrou a comissão técnica de Carlos Alberto Parreira como observador técnico na conquista do tetracampeonato na Copa do Mundo dos EUA, em 1994.

Junior também deixou um legado na cultura brasileira. Sambista e amante do carnaval, tendo a Estação Primeira de Mangueira como escola de samba do coração, ele gravou algumas músicas e lançou em 2010 o livro "Minha Paixão pelo Futebol".

https://www.instagram.com/p/BsRoQIWFsvA/

Ambidestro, é o jogador que mais vestiu a camisa do Flamengo: 872 jogos, sendo 504 vitórias, e 77 gols. Ele começou no clube como lateral direito, depois em 1975 mudou de lado com a chegada de Toninho das Laranjeiras à Gávea. Em 1989 chegou a atuar como zagueiro e, por fim, virou meio-campista quando defendeu o rubro-negro entre 1990 e 1993. A estreia foi no Campeonato Carioca de 1972, mas apenas dois anos depois se firmou como titular. 

No total foram 42 títulos pelo Flamengo, dentre eles Campeonato Carioca (74, 78, 79, 81 e 91), Campeonato Brasileiro (1980, 82, 83 e 92), Copa do Brasil (1990), Libertadores (1981) e Mundial Interclubes (1981).

A história dele no estádio mais famoso do mundo também é do tamanho da importância do Maracanã para o futebol brasileiro. Foram 424 jogos no estádio, sendo 410 pelo Flamengo e 12 pela seleção brasileira, contando olímpica e a seleção carioca.

Entre 1979 e 1992 Júnior disputou 82 jogos e marcou oito gols pela seleção brasileira. A despedida como capitão. Na época ele jogou com Márcio Santos, Mauro Silva, Bebeto e Zinho, nomes que em 1994 levariam o Brasil ao tetracampeonato.

O grupo convocado por Telê Santana para o Mundial de 1982, na Espanha, é considerado um dos melhores da história do futebol brasileiro. O camisa 6 tinha como companheiros o lateral Leandro e o meio-campista Zico, companheiros dele no Flamengo, além de craques como Falcão, Oscar, Roberto Dinamite, Serginho Chulapa, Sócrates, Waldir Peres, dentre outros. A geração avançou até a segunda fase, quando foi eliminada para a Itália por 3 a 2 no dia em que Paolo Rossi marcou os três gols do jogo.

O futebol em alto nível o levou para a segunda Copa do Mundo consecutiva. Desta vez, o destino foi o México e Júnior era um dos remanescentes da edição anterior, assim como Falcão, Sócrates e o técnico Telê Santana. A campanha terminou nas quartas de final, com derrota nos pênaltis para a França por 4 a 3 após empate em 1 a 1 no Estádio Jalisco, em Guadalajara. Aquele elenco tinha nomes como Careca, Casagrande, Mauro Galvão e Muller. O destaque daquele Mundial foi Maradona, que consagrou a Argentina como campeã pela segunda vez na história após o título de 1978.

Houve também a participação de Junior nos Jogos Olímpicos de Montreal-1976, quando integrou o elenco que perdeu a medalha de bronze para a União Soviética. Cláudio Coutinho era o comandante na ocasião. A geração tinha nomes como o goleiro Carlos, o volante Batista e o atacante Júlio César Uri Geller.

A projeção internacional o levou ao futebol italiano. Lá ele é conhecido como Leo Junior. Aos 30 anos, em 1984, o então lateral do Flamengo foi negociado com o Torino e foi eleito o melhor jogador da temporada no ano seguinte. A experiência no Velho Continente aumentou quando se transferiu para o recém-promovido Pescara, em 1987.

A passagem pela Europa poderia ter durado ainda mais caso ele tivesse aceitado um convite do Real Madrid após a conquista do Mundial Interclubes em 1981.

Desde 1998 Junior é comentarista no Grupo Globo. Ao lado de nomes como Cleber Machado, Galvão Bueno, Luis Roberto, ele trabalhou em transmissões de Copa América, Copa do Mundo, dentre outros eventos como Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Sairam nossos adversários na Copa da Rússia. Suíça,Costa Rica e Sérvia. Bom grupo para engrenar !

Uma publicação compartilhada por Leovegildo Lins Gama Junior (@junior_maestro_5) em

Atualmente, o ex-jogador também compartilha sua experiência com jovens da Escola de Futebol Maestro Junior. O negócio tem quatro unidades, sendo três no Rio de Janeiro e uma em Fortaleza. O projeto reúne alunos de 4 a 16 anos, de ambos os sexos.

VAVEL Logo