No Maracanã, Atlético-MG de Sampaoli sufoca Flamengo de Domènec
Foto: Pedro Souza / Atlético-MG

Flamengo perdeu! Sim, essa frase não é comum dentro do Campeonato Brasileiro. E logo na primeira rodada da edição 2020 o atual campeão foi derrotado pelo Atlético-MG por 1 a 0, justamente na estreia do técnico espanhol Domènec Torrent à frente do Rubro-Negro. Assim, quem se saiu vitorioso foi o argentino Jorge Sampaoli.

Tática, vontade e entrosamento do Galo mostraram que o Flamengo não é imbatível. Estar sempre atrás da bola e marcando alto a saída de bola flamenguista vai gerar desconforto num time que é acostumado a ditar o ritmo como no ano passado. Para isso, a equipe precisa ser bem treinada e equilibrada.

Ao fim do confronto entre dois times que brigarão pelo título, ficou clara a falta do ritmo de jogo do Flamengo, que não jogava uma partida valendo desde 15 de julho, quando conquistou o Cariocão sobre o Fluminense. Já o Atlético-MG segue na disputa pelo troféu estadual, onde ainda tem a decisão a ser jogada.

Atlético-MG não deixou o Flamengo respirar

Bruno Henrique conseguiu driblar o goleiro, mas, inacreditavelmente, acertou a trave em seguida (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)
Bruno Henrique conseguiu driblar o goleiro, mas, inacreditavelmente, acertou a trave em seguida (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

Primeiro tempo foi agitado. Atlético-MG roubou a cena ao pressionar a saída de bola rubro-negra durante todos os 45 minutos. Flamengo ficou visivelmente desconfortável e até impaciente para trabalhar jogadas, mas os 67% da posse resultou em dez chutes e três boas chances. E esse ímpeto ofensivo do Galo resultou numa falha de Filipe Luís, que empurrou para as próprias redes aos 23'.

Confiante e ousado, Jorge Sampaoli não deixou seu time se acomodar ou ficar estático, tanto que o Atlético teve duas chances bacanas além do gol.

Depois do intervalo, o cenário seguiu o mesmo, mas aí o Flamengo já não tinha a mesma quantidade de tempo. Domènec mexeu mal ao colocar os atacantes Pedro, Michael e Vitinho nos lugares dos meias Arrascaeta, Everton Ribeiro e Gerson. Como ficou o setor de criação? Muito fraco e vazio, a cargo apenas de Vitinho que voltava um pouco. Gabigol e Bruno Henrique erravam lances teoricamente fáceis para eles. Foi um verdadeiro desespero sem estrutura atrás do empate. Aí fica difícil. Enquanto isso, Sampaoli passou do 3-5-2 para 4-4-2, fechando as portas para o time carioca.

Números do confronto

Ao todo, foram 17 chutes do Flamengo contra dez do Atlético. A posse de bola também esteve em maior parte com os donos da casa: 63% contra 47%. Outro ponto que ficou claro foi a falta de pontaria, pois a dupla Bruno Henrique e Gabigol perdeu um gol cada. Mas atrás, Diego Alves salvou com duas grandes defesas. Ou seja, o Fla em reformação foi inferior ao confiante e entrosado Galo de Sampaoli.

Próxima rodada

Ambos os times voltam a campo na quarta-feira (12), pela segunda rodada do Brasileirão. O Atlético-MG joga em casa contra o Corinthians, às 19h15, e o Flamengo visita o Atlético-GO às 20h30.

VAVEL Logo