Claudinei exalta entrega do Avaí no empate com Cruzeiro: "Procuramos jogar ao máximo"
Foto: Reprodução/TV Avaí

Na noite desta sexta (18), o Avaí arrancou empate por 1 a 1 com o Cruzeiro, na Ressacada, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, com gols de Filipe Machado para a Raposa e de Valdívia, nos acréscimos, para o Leão da Ilha.

O empate manteve a invencibilidade de três partidas para a equipe do técnico Claudinei Oliveira. Questionado sobre o resultado, o comandante exaltou a entrega dos jogadores na partida.

“Isso se deve à entrega dos atletas, pois trabalhamos pouco. Eles estão comprando a ideia e acreditando no que falamos. Estão fazendo até muito acima do que eu esperava. Dos três jogos que tivemos, o melhor para empatar era o Cruzeiro. Se tivéssemos empatado contra o Sampaio Corrêa, ficaríamos mais longe do G-4. As coisas foram positivas nesses três jogos, mas ainda não está bom”.

Por ter criado mais oportunidades, o Avaí passou uma imagem positiva para o técnico de que poderia ter conseguido ainda a virada se tivesse mais tempo na partida.

“Procuramos jogar ao máximo. O Fábio fez quatro defesas e tivemos seis finalizações de dentro da área. Jogamos como tínhamos que jogar. Jogamos de igual para igual, em nenhum momento o Cruzeiro foi melhor. E no final, por buscarmos o empate, criamos mais chances, tivemos mais posse, enfim... Temos que ir encontrando situações”.

O gol do Cruzeiro levantou polêmica sobre a atuação do goleiro Frigeri no momento do lance. Questionado sobre isso, o técnico Claudinei minimizou alegando que a equipe precisa de mais treino para aperfeiçoar e diminuir falhas.

“Eu não vou falar (se o Frigeri falhou), pois preciso rever o lance. O cruzamento do Pottker, por ser de pé trocado, a tendência do goleiro é baixar para o gol esperando uma bola fechada. Não vou cravar se dava ou não para ele ter saído. Se foi falha, iremos corrigir nos treinos”.

O acesso é uma das preocupações das equipes na parte de cima da tabela, porém, Claudinei manteve os pés no chão ao alegar ainda a falta de pontos para alcançar o objetivo e ressaltou a importância de vencer as partidas.

“Temos que pontuar mais que os adversários, temos que ultrapassar os outros, pois não sabemos a pontuação de acesso. Temos uma base, mas às vezes não se confirma. Fizemos sete pontos nos nove que disputamos. Com 44 pontos, não olhamos mais para trás (rebaixamento). Jogar como se fosse uma decisão”.

Próxima partida

O Avaí está na sétima colocação com 44 pontos e volta ao campo no próximo sábado (26), para enfrentar o Figueirense, clássico de Floripa, no Orlando Scarpelli, pela 31ª rodada da Série B.

VAVEL Logo