Após derrota no clássico contra Vila Nova, Marcelo Cabo explica discussão e reclama de arbitragem
Foto: SporTV / Reprodução

Perder um clássico é sempre algo dolorido. Não foi diferente no Derby do Cerrado 315. No Hailé Pinheiro,, o Goiás perdeu para o Vila Nova,, por 2 a 1, em jogo válido pela 26ª rodada da Série B 2021. Após a peleja, Marcelo Cabo, treinador dos mandantes, respondeu a perguntas que não está acostumado em entrevista coletiva.

Após discutir com Alef Manga na parada técnica do primeiro tempo, o treinador foi bastante evasivo. "Coisas do futebol e a substituição dele foi por uma questão tática. Nada mais do que isso", vaticinou.

O atacante voltou a ser tema da entrevista coletiva pouco depois, quando indagado sobre o sistema ofensivo titular da peleja. "Por que entrei com o Welliton no lugar do Manga? Ele fez gol, jogou bem e optei pelo 4–4– 2 pra ter mais mobilidade. Acho que até tivemos bons momentos, tanto que empatamos o jogo. Eu só tinha um homem de área no jogo, o Mezenga, e não poderia tirá-lo", pontuou o treinador do Esmeraldino.

No 4-2-3-1 de Marcelo Cabo, o Goiás teve mais posse de bola (57%) e finalizou mais vezes: treze a doze - sendo sete certas. No 4-2-3-1 de Higo Magalhães, o Vila Nova acertou cinco finalizações.

Pressão e arbitragem

Mesmo vice-líder da Série B, com 45 pontos, o GEC tem problemas recentes - que não foram escanteados pelo técnico. "A gente vive uma momento que ainda não tínhamos passado na competição, com duas derrotas seguidas. A torcida é o maior patrimônio do clube e tem o direito de questionar. Meu foco aqui dentro do trabalho pra reverter o que estamos vivendo", comentou.

Pela primeira vez após o começo da pandemia, a Serrinha recebeu público bem no clássico. Vaiado, Cabo entendeu a atitude da torcida. "Concordo que as duas últimas partidas formos muito abaixo. Estamos pegando pela sequência de jogos, foi o segundo em seis dias e isso também nos preocupa muito. Somos a única equipe que joga quatro jogos em nove dias, sentimos o desgaste físico", destacou.

Na grande polêmica da peleja, o profissional acredita que o Goiás foi prejudicado pela arbitragem - no fim do primeiro tempo, William Formiga atingiu Apodi na área. "Pênalti claro. O Apodi foi chutado no rosto dentro da área e não entendo porque não foi chamado no monitor", finalizou.

Na 27ª rodada da Série B 2021, o Goiás viaja para enfrentar o Vasco da Gama, na próxima segunda-feira (27), às 20h (Horário de Brasília).

VAVEL Logo