Morínigo lamenta derrota do Coritiba e perda do título, mas celebra acesso: "Objetivo principal sempre foi subir"
Foto: Reprodução/Coritiba

Neste domingo (21), o Coritiba perdeu para o CSA, no Couto Pereira, por 1 a 0. Dessa maneira, a equipe do Paraná perdeu a chance de lutar pelo título da Série B, mas já tem o acesso garantido. O gol foi marcado por Wellignton. O treinador do Coxa, Gustavo Morínigo, falou sobre a derrota, confira algumas fala do técnico abaixo.

Sobre a entrevista

O comandante foi questionado sobre o que faltou para a vitória, já que os mandantes tiveram boas chances, e qual o significado da torcida, que marcou presença com 30 mil pessoas, comemorando o acesso:

Na verdade, foi um jogo de ida e volta. Acho que tivemos muitas boas situações, onde o goleiro deles teve uma tarde muito boa. Tivemos muito espaço, muitas oportunidades para fazer o gol, assim como eles também, em menor quantidade, mas aproveitaram em uma bola parada, que havíamos sofrido também nos últimos seis ou sete jogos. Foi um jogo de todos, tanto nós como eles tiveram possibilidades. Lamentosamente temos que sair com uma derrota daqui, com toda a nossa torcida que, hoje, foi, mais uma vez, fantástica, emocionante. E não posso negar que fico um pouco molesto pelo resultado, porque temos que nos pressionar pelos resultados, especialmente em Couto. Independentemente de jogarmos bem ou mal, sempre tem que ter esse respeito por Couto, tem que ser uma fortaleza. Hoje nós jogamos mais, mas não aproveitamos as chances que tivemos e a partir daí termina um jogo onde, não sei se fica como uma decepção, mas que falar sobre a festa da torcida, procuramos fazer todo o possível, mas não conseguimos”.

Morínigo foi perguntado sobre o futuro dele em 2022. Se permanece no Coritiba ou se sairá:

No planejamento do clube é fico. Se eu ficar ou não ficar, o planejamento para 2022 está pronto, isso não se altera nunca. Nós estamos negociando algumas coisas pessoais e, a partir daí, iremos voltar ao trabalho novamente ou terminar da melhor maneira”.

Teve de responder do por que o clube não saiu com a chance de título, sendo que jogou melhor:

Faltou caprichar na última bola, repito, o goleiro deles tapou quase quatro mano a mano, no primeiro tempo. Tivemos muitas chances e não aproveitamos. No segundo tempo também foi assim, da mesma maneira e não caprichamos para fazer esse gol. Eles tiveram uma bola aérea, que sempre nos complica bastante e temos que sair tristes. Não é o resultado que queríamos porque, não vou negar, estávamos olhando esperançosos para o título, não aproveitamos, aproveitou o Botafogo, aproveitou o CSA e lamentavelmente não podemos dar uma vitória, no último jogo da temporada, para a nossa torcida”.

Emocionalmente falando, o treinador respondeu sobre a emoção de Rafinha após o jogo e qual o sentimento do Coritiba, do elenco e da comissão técnica pela temporada:

Primeiro, antes de nada, ficamos muito contentes pelo carinho que a torcida tem conosco, todas as pessoas daqui do Coritiba, desde o primeiro dia, nunca foi diferente. Sempre houve o respeito, sempre houve o carinho. E por isso desfrutamos de nós, isso é inegável. Sobre o desfrute, somos muito responsáveis no trabalho, buscamos dar todo... E como hoje se viu, criamos bastantes, mas nunca desligados do que buscamos dia a dia. Vamos preparar a partir de amanhã o que teremos na última rodada, porque temos que ter uma boa apresentação, teremos um rival que é forte também, que ganhou o jogo anterior. É seguir trabalhando, seguir olhando o futuro. O que conseguimos foi na base do sacrifício, à base de todos. Desfrutamos, aproveitamos, mas não podemos ficar nisso”.

Morínigo também foi questionado se haverá impacto na temporada de 2022 o título da Série B não ser conquistado:

Sim, tem impacto porque nos tiraria da 3ª fase da Copa do Brasil, economicamente também seria bom. Tem um impacto, não vou negar, repito, nós, uma vez que acabou o jogo aqui, contra o Brasil de Pelotas, nós desfrutamos, porém não focamos em buscar o título, dependeria da última rodada. Lamentavelmente perdemos essa oportunidade aqui, em nosso campo, mas não podemos culpar, porque a força foi tremenda. Realmente foi a união, a força de um grupo de gente que ama muito o clube, ama muito o Coritiba. A diretoria até todos os empregados, todos trabalharam para ter os jogadores jogando ao máximo. Foi um ano muito complicado. Uma Série B, a mais dura de todos os tempos, acho que é essa sim. Primeiro tem que desfrutar, o objetivo principal sempre foi subir, porém tivemos a chance do título, mas lamentavelmente nós perdemos”.

Ainda falando em sentimento, o treinador respondeu sobre a sensação do Coxa perder o título após abrir uma boa vantagem na liderança:

O vestiário ficou calado, triste. A comissão técnica também. Todos sentimos porque todos queremos ganhar. Sobre esforço, não posso cobrar dos jogadores, todos fizeram um esforço terrível. Tem que seguir trabalhando, tem que evoluir, porque vem coisas muito mais importantes e mais difíceis”.

Ademais, como o treinador enxerga a competição tecnicamente e do elenco:

De elenco não posso falar porque conseguimos o objetivo. Não importa se foi pouco ou demais, não importa agora. Foi uma competição bem parelha, disputando todo ponto do início ao fim e acho que caímos um pouco, mais por cansaço físico, na última parte perdemos a oportunidade de ficarmos na primeira posição. E praticamente isso nos custou. Repito, não posso falar do elenco, fizeram um esforço tremendo, todos do clube fizeram um esforço tremendo. O que fica para nós lá dentro é a alegria do torcedor. De voltar ao Couto, de fazer uma festa e de ver o seu time na Série A”.

Morínigo respondeu sobre a maior dificuldade do time no setor ofensivo nessa partida, já que criou, mas não conseguiu criar marcar:

Acho que foi mais mérito do rival, do goleiro deles. Criamos muitas ações e nós tivemos dificuldade. A dificuldade do gol foi não caprichar, mérito do goleiro deles”.

Por fim, um torcedor perguntou qual são as medidas para se tomar para ficar na Série A no próximo ano:

A diretoria tem uma cabeça diferente, nós também. Tem que se preparar, com tudo que temos, temos que dar tudo para ter um time muito competitivo. Na Série A, a diferença de velocidade e técnica é muito mais. Temos que evoluir muito, desde o começo, trabalhar com todo plantel, na pré temporada. Não podemos enfraquecer. A Série A é muito competitiva, temos que fazer a diferença desde o começo”.

O último jogo é contra a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, neste domingo (28), às 16h (horário de Brasília).

VAVEL Logo