Luís Castro admite necessidade de melhora na criação após empate do Botafogo com Atlético-GO
Vitor Silva | Botafogo

Na noite deste sábado (13) o Botafogo entrou com todo gás, para fazer jus ao seu aniversário, não saiu no empate em 0 a 0 com o Atlético-GO pela 22ª rodada do Brasileirão 2022. O técnico Luís Castro concedeu entrevista coletiva e admitiu que sua equipe não foi bem no primeiro tempo.

"O Botafogo jogou melhor na segunda parte do que na primeira, dados estatísticos não deixam mentir, são fatos. Estivemos estáveis, não deixamos o Atlético criar quando estava com 11 contra 10 (Philippe Sampaio foi expulso aos 17 do segundo tempo). Tivemos muitas situações de bola parada, a do Matheus (Nascimento), estivemos perto do gol em situações com dez. Penso que estivemos bem na segunda parte e não estivemos tão bem no primeiro".

"Procuramos refrescar o ataque, o Victor Sá esteve parado por muito tempo. Lançar jogador novo no corredor era importante, assim como buscar novas dinâmicas no meio. Matheus liga mais, Erison procura mais a profundidade e contatos físicos. É forte quando consegue fazer. As 14 finalizações não são um número baixo, cinco no alvo contra duas do Atlético-GO também é um número bom. Faltou realmente finalizarmos mais e criamos mais do que criamos. Faltou mais qualidade nas nossas finalizações", acrescentou.

O treinador ainda explicou também que está em busca de um encaixa no ataque.

"Nossos pontas todos jogam melhor na esquerda que na direita. Temos que perceber isso. Victor, Luis Henrique, Jeffinho, mas o certo é que alguém tem que jogar na direita. Mudamos para causar desconforto, Jeffinho tem qualidade para jogar na direita, mas rende melhor na esquerda. Jeffinho é o que consegue aproximar mais os rendimentos," completou.

O Botafogo é o 11º colocado do Brasileirão, com 26 pontos, quatro acima do Z-4. O time volta a campo no próximo domingo (21), diante do lanterna Juventude, às 11h, no Alfredo Jaconi.

VAVEL Logo