Bruno Silva se explica e pede desculpas por gesto à torcida do Botafogo: "Não sou ingrato"

Volante alvinegro falou sobre polêmica ao ser substituído no jogo contra o Atlético-GO

Bruno Silva se explica e pede desculpas por gesto à torcida do Botafogo: "Não sou ingrato"
Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Na noite de quinta-feira (16), o Botafogo enfrentou o lanterna Atlético-GO, no Nilton Santos e acabou perdendo por 2 a 1. Com a derrota, a equipe foi alvo de protestos e vaias da torcida após o apito final. Porém, o que chamou atenção e deixou a torcida enfurecida foi aos 25 minutos do segundo tempo, quando Bruno Silva, principal alvo da ira dos torcedores, saiu irritado do campo ao ser substituído, e, ao ser hostilizado quando estava chegando ao banco de reservas, sinalizou com as mãos para a torcida que estaria de saída do clube. O gesto elevou ainda mais o nível de irritação dos botafoguenses.

Durante a manhã desta sexta-feira (17), o jogador postou em seu Instagram uma mensagem a torcida se dizendo chateado e pedindo desculpas a torcida: "Quero, humildemente, pedir desculpas pelo que fiz na partida. Foi algo impensado, de cabeça quente. Logicamente, estou chateado com algumas críticas que venho recebendo, principalmente no que diz respeito à falta de comprometimento (...) Apesar das poucas horas de sono, levanto com sentimento de culpa pelo que fiz, mas também muito motivado para fechar esse ano com chave de ouro."

Mas a postagem não amenizou o clima pesado com a torcida. Ao chegar para o treino da tarde, no Nilton Santos, Bruno foi hostilizado pelos torcedores que estavam fazendo um protesto pela má fase da equipe. O jogador chegou a abaixar os vidros para tentar conversar, mas os seguranças, interviram e afastaram os torcedores do carro de Bruno. 

O presidente do clube, Carlos Eduardo Pereira, foi ao treino para conversar com o elenco e convocou uma entrevista coletiva, onde levou Nelson Mufarrej, vice geral, Anderson Simões, vice de estádios e Bruno Silva. O jogador aproveitou e, mais uma vez, pediu desculpas: "É o meu melhor momento na carreira e não sou ingrato, reconheço tudo o que o Botafogo fez por mim. Errei, mas não foi um desrespeito. Sinceras desculpas. Estou focado em colocar o Botafogo na Libertadores. Acho que não foi maldade. Quem me conhece sabe que não sou do mal. Isso não vai acontecer mais. Espero que todos aceitem minhas desculpas.", disse.

Logo após, o mandatário alvinegro tomou a palavra e comentou sobre a situação do clube no campeonato e sobre conversa com Bruno Silva: "Sem dúvida ontem foi uma noite bastante dificil para todos nós, seja para o elenco, comissão e diretoria. Decepcionamos nossa torcida e dói muito quando você vê a torcida vaiando, decepcionada e demonstrando uma insatisfação grande. Mas também vem nossa responsabilidade. Estamos na reta final, com chances concretas de alcançar um grande objetivo, e essa é nossa prioridade. A conversa (com Bruno Silva) foi boa. É um momento de vaias... Agora nós entendemos que era possível acontecer. Desde essa manhã ele vem pedindo desculpas para a torcida. Essa explicação foi plausivel e não podemos abrir mão do Bruno, que teve um ano muito bom. O objetivo é ir com força máxima", completou.

Em meio a tanta confusão, o Botafogo voltará aos gramados no próximo domingo (19), quando irá visitar o São Paulo, às 17h (Horário de Verão de Brasília), em partida válida pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.