Pressão x invencibilidade: Flamengo e Botafogo duelam pela vaga na final da Taça Guanabara

Com o técnico Felipe Conceição na corda bamba, Alvinegro precisa da vitória para se classificar contra o Rubro-Negro que quer manter a invencibilidade na temporada

Pressão x invencibilidade: Flamengo e Botafogo duelam pela vaga na final da Taça Guanabara
(Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo)
Flamengo
Botafogo
Flamengo: César; Pará, Réver, Juan e Renê; Cuéllar, Lucas Paquetá e Diego; Éverton Ribeiro, Everton e Henrique Dourado. Técnico: Paulo César Carpegiani
Botafogo: Jefferson; Arnaldo, Marcelo, Igor Rabello e Gilson; João Paulo, Matheus Fernandes e Valencia; Rodrigo Pimpão, Luiz Fernando e Brenner. Técnico: Felipe Conceição
ÁRBITRO: Bruno Arleu de Araújo (RJ). Assistententes: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)

O primeiro clássico entre FlamengoBotafogo do ano será recheado de expectativa e tensão. As duas equipe entrarão em campo nesse sábado (10) às 16h30, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. A partida será válida pela semifinal da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. O vencedor enfrentará o Boavista na decisão, marcada para o próximo domingo (18) às 17h.

Pelo lado do Rubro-Negro, que se classificou como líder do Grupo B, invicto em 2018, e com a vantagem do empate logo mais, a partida servirá para buscar mostrar a superioridade financeira e técnica, no papel, em campo. A menos de três semanas para a estreia na Libertadores, o técnico Carpegiani, busca dar ritmo aos titulares e acabar com as últimas dúvidas na escalação para o duelo contra o River Plate-ARG.

Pelo lado do Alvinegro, a tensão é grande desde a surpreendente eliminação na Copa do Brasil para a Aparecidense, que disputa a série D do Brasileirão. Segundo colocado do Grupo C, a equipe precisará da vitória para se classificar, e somente um triunfo poderá manter o emprego do técnico Felipe Conceição, muito contestado por grande parte dos torcedores.

Com estreias, Carpegiani mantém o esquema utilizado contra o Nova Iguaçu

O segundo clássico do Flamengo no ano será marcado por duas estreias na equipe titular: o atacante Henrique Dourado, artilheiro do Brasil em 2017, fará sua primeira partida pelo Rubro-Negro, e o capitão Réver fará sua primeira partida na temporada. O zagueiro Juan comentou sobre a importância de um jogador como Dourado e, apesar de querer a vitória, destacou o equilíbrio de um clássico: 

"Centroavante né. Mas temos que fazer o melhor coletivamente. Independentemente de quem brilhar, temos que sair vencedores. Clássico não tem favorito, sempre vai ser jogo difícil, pela grandeza do Botafogo. O duelo nos últimos anos têm sido acirrado, com jogos difíceis e decididos nos detalhes, esse não será diferente".

Para o duelo em Volta Redonda, Carpegiani não poderá contar ainda com o volante Willian Arão, que se recupera de uma lesão, e o lateral-esquerdo Trauco, que aprimora a forma física. A expectativa é que até a estreia na Taça Rio, contra o Madureira, os dois estejam aptos para entrar em campo.

Muito pressionado, Felipe Conceição abandona esquema com três zagueiros

A semana de decisões no Botafogo começou da pior maneira possível. Na terça-feira, a equipe foi eliminada pela Aparecidense na primeira fase da Copa do Brasil, e desencadeou uma forte crise em General Severiano. Torcedores, conselheiros e até Felipe Neto, um dos patrocinadores do clube, se manifestaram pedindo a saída do técnico Felipe Conceição. Mas o pedido não será atendido, ao menos até o final do clássico desse sábado.

Na corda bamba, e necessitando da vitória para se manter no cargo, o treinador alvinegro abandonará o esquema com três zagueiros, utilizado na Copa do Brasil, e voltará ao esquema anterior, com três atacantes. Sairá o zagueiro Carli, e voltará o meia Valencia. O goleiro, e ídolo alvinegro, Jefferson saiu em defesa do técnico e pediu entrega total contra o Flamengo: 

"Precisa melhorar muito, isso é visível. Mas tivemos 10 dias de pré-temporada, com treinador novo, teve que passar toda filosofia em um mês, muitos jogadores ainda estão absorvendo. Para quem vê de fora não dá esse tempo, está muito corrido. É gradativo, está tudo praticamente atropelado, mas sabemos que é resultado. É jogo atrás de jogo. (Pressão) sempre vai existir, mas as coisas mudam muito rápido. O Felipe sabe da pressão, é novo mas já passou por diversas coisas. Perdeu a final da Copa do Brasil Sub-17, já viveu isso. Jogadores também. Vamos esfriar a cabeça. Só temos uma maneira agora, é vencer o Flamengo. Claro, respeitando o adversário. Não vamos vencer o Flamengo fácil, mas vamos suar sangue lá dentro para conseguir a classificação", analisou.