Emocionado, Fred se despede após sete anos de Fluminense: ''Fica uma ferida''

Atacante diz que saída não foi por questão financeira e afirma comemorar gols contra Cruzeiro e Flu. Peter ressalta busca por reforços para a sequência da temporada

Emocionado, Fred se despede após sete anos de Fluminense: ''Fica uma ferida''
A data 10/06/2016 selou, de forma definitiva, o fim de Fred no Flu (Foto: Divulgação/Fluminense FC)

Nesta sexta-feira (10), no Salão Nobre das Laranjeiras, o atacante Fred concedeu entrevista coletiva na qual selou sua despedida do Fluminense após longos sete anos. O destino do centroavante será o Atlético-MG, com contrato até o fim de 2018. Ao lado do presidente Peter Siemsen, o atacante, visivelmente emocionado, agradeceu ao clube:

''Tantas vezes esse momento esteve perto e infelizmente hoje aconteceu. Já passei por momentos aqui que a saída parecia certa e eu permaneci. Achava que mais uma vez ia acontecer isso, mas não foi assim. Só tenho que agradecer todos que me deram apoio. A diretoria, ao Peter, ao Jorge, aos jogadores. Todos os funcionários, os torcedores que me abraçaram em momentos difíceis'', iniciou Fred, que continuou:

''Agradeço pelo apoio, principalmente em 2014, pelos momentos de confusão... Esse carinho, o abraço do clube me deu força e me fez um guerreiro. Quero sair da melhor forma possível. Quando falo família é o que realmente vou deixar aqui. Quero agradecer de coração, estarei na torcida sempre. Na renovação em 2015, estava o Peter, o Mário... Eu falei que meu sonho era encerrar a carreira aqui.  Mas os sonhos de Deus são maiores do que os nossos. Falei que o dia que eu sentisse que eu poderia me tornar um peso para o clube, adoraria coisa franca aberta. Hoje posso não ser um peso, mas as circunstâncias levam a isso... Questões financeiras, alguma coisa. Tivemos várias conversas, senti que a melhor alternativa seria uma saída minha. Chegou a hora de sair da minha casa.''

Fred fala sob olhares do presidente Peter Siemsen (Foto: Divulgação/Fluminense)
Fred fala sob olhares do presidente Peter Siemsen (Foto: Divulgação/Fluminense)

Perguntado se sua repentina saída teria a ver com o técnico Levir Culpi, com quem teve um desentendimento dois meses atrás, Fred negou: ''Já me acertei com o ele. Falei isso na época, fui claro. Pensei que era algo político para a minha saída e vi que não teve nada disso. Levir não teve peso algum nisso. Graças a Deus tive tempo de pedir desculpas ao Levir, a família, ao grupo. Reconheci meu erro. Tivemos uma conversa franca. Construir uma outra família e torcer de longe para o Fluminense.''

Revelado pelo América-MG, Fred fez história com a camisa do Cruzeiro, rival do seu futuro clube, o Atlético. O atacante afirmou que isso não irá interferir na sua nova passagem pelo Galo: ''Vou comemorar contra o Cruzeiro. Meu único pensamento hoje é conquistar a massa atleticana, demonstrar para aos poucos que a relação pelo Cruzeiro continua de respeito. Mas com a camisa do Galo vou fazer de tudo para fazer gols e espero que já seja domingo. Vou dar a vida para fazer gols, até no Flu''

O pensamento do atacante, a princípio, era de encerrar sua carreira no Fluminense. Recebeu, durante esses sete anos, diversas propostas para deixar o Tricolor. Uma delas, inclusive, milionária da China. Todas, porém, foram recusadas, com a promessa de ficar nas Laranjeiras até o fim da carreira. Hoje, o discurso foi diferente: ''Quando renovei ano passado, recebi uma proposta grande da China. O pensamento era, não vou aceitar porque vou encerrar no Flu. Não deu, circunstâncias que o futebol passa, coisas técnicas, visões, coisas normais. Não tenho mágoa, tristeza. É normal, são decisões que precisam ser tomadas. Voltar a jogar aqui no Flu? Não é tão simples. Fica complicado encerrar no Flu. Mas meu carinho, respeito e gratidão estará sempre aqui no Fluminense''

A entrevista do atacante estava marcada para a quinta-feira (9). Porém, como o contrato com o Atlético ainda não estava assinado, Fred não poderia aparecer para se despedir:  ''Eu não poderia falar nada antes, só depois de assinar. Não tinha como dar satisfação antes. Uma coisa clara para mim: quando um jogador saia aqui do Flu, eu ficava chateado porque amo o Fluminense. Imagina o torcedor? Ele não vai entender a diretoria e nem a mim. Só vamos ter dimensão do que foi construído juntos, de todas as dificuldades, com o tempo. Agora fica uma ferida''

Em relação a negociação com o Galo, o centroavante afirmou: ''Foi normal, tranquila. Mas a certeza da minha saída eu já tinha há muito tempo'', afirmou Fred, que continuou:

''Desconforto nenhum, só tenho gratidão por tudo que fizeram por mim. Não estava tão simples. Foi uma coisa clara, vamos ver alguma coisa, tá tudo ok? Vamos embora. Caminhou bem, aceitação normal. Uma hora ia chegar.  ''Vou ter um pedacinho na história. Mas falar onde fico é ruim. No meu coração é o clube que mais representa para mim. O que mais me deu as mãos, me acolheu no momento mais marcante, onde fui mais vitorioso...''

''Todas as palavras que tento usar para expressar o que estou sentindo é quase impossível. Hoje em dia é difícil criar um vínculo, ter uma ligação tão forte. Tentar passar minha gratidão a todos do clube. Quero me despedir do elenco. Tudo foi muito rápido. Tive cuidado pois sei como é a paixão do torcedor.''

Perguntado se a questão financeira influenciou na sua saída, Fred disse que não. Como justificativa, a proposta milionária recusada da China: ''Não tem a ver com dinheiro nisso. Estou saindo porque não estava dando para ficar. Comecei a sentir que não estava ficando fácil, simples as coisas. Não comigo. Eu estava bem, podia sentar no meu contrato de mais dois anos e ficar tranquilo. Mas não é meu perfil. Se o problema fosse dinheiro, tive outra proposta milionária há dois meses. O melhor mundo para o todos seria eu ir pra China.''

''Se fosse uma decisão só minha, eu ficaria. Quando chega uma ideia de que é aceitável, de que é bom uma saída, vamos trabalhar em cima do que é bom para todo mundo. Relação é de carinho, gratidão. Ninguém vai sentar em cima de um contrato'', afirmou

Além disso, Fred elegeu os melhores momentos nesses seus sete anos de Fluminense: ''Foram muitos... O gol contra o Flamengo em 2012, a arrancada em 2009, minha volta em 2014... Foram muitos momentos bons, principalmente os internos. Muita coisa boa.''

''Tivemos uma conversa sempre aberta e era bom avaliar uma saída. Foi uma coisa boa para todo mundo. O Fluminense tem o Richarlison, de grande potencial, joga muito, vai deitar de fazer gol. É isso'', encerrou Fred, que agora parte para um novo recomeço. Desta vez, no Atlético-MG.

LEIA MAIS: Fred é confirmado como novo atacante do Atlético-MG

Fred acerta sua transferência para o Atlético-MG

Conforme divulgado a tarde pelo site Netflu, Fred se transferiu para o Atlético-MG por empréstimo até o final do ano, com possibilidade de compra do passe do atleta ao término do contrato. O salário de Fred seria bancado por inteiro pelo Galo, além de envolver jogadores atleticanos na transação, entre eles, Dátolo e Carlos. 

No entanto, no final da noite, o repórter Cláudio Rezende, da Rádio Itatiaia noticiou que Fred viria para o Atlético-MG em definitivo com contrato até o final de 2018, e sem qualquer envolvimento de algum jogador do elenco alvinegro na transação.

O jogador deve chegar a Belo Horizonte na sexta-feira e, segundo Daniel Nepomuceno, ainda em seu twitter, o centroavante estará no Independência para o clássico contra o Cruzeiro. Se o nome do atacante entrar no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF até lá, ele reunirá condições de jogo para encarar o time celeste.

Fred chegou a treinar nesta quarta-feira normalmente, inclusive, usando o colete de titular. Caso Fred atuasse contra o Grêmio, em Volta Redonda, no próximo sábado, ele completaria a sétima partida pelo Fluminense, o que inviabilizaria a negociação para qualquer time brasileiro. 

Relembre a trajetória de Fred no Fluminense

Fred acertou sua transferência para o Fluminense em 2009. Insatisfeito no antigo clube, o Lyon, declarou que queria sair do antes do término do contrato, em maio. O presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, dificultou sua ida para o clube carioca. Mesmo assim, a vontade do jogador falou mais alto, e ele então assinou contrato com o clube por cinco anos.

Marcou dois gols logo em sua estreia pelo Fluminense, no dia 15 de março, na vitória por 3 a 1, sobre o Macaé.  Foi considerado a peça principal no rendimento da equipe, ajudando esta a escapar do rebaixamento, que poucas rodadas antes parecia improvável, visto que o time tinha 98% de chances de ir para a Série B. 

Em 2010, a equipe deu sequência ao ótimo momento vivido em 2009. Apesar de ter participado de apenas 14 das 38 partidas do Fluminense no torneio, devido ao fato de ter sofrido novamente com seguidas lesões, Fred pôde se firmar como um dos principais jogadores na campanha rumo ao título do Campeonato Brasileiro.

Em 2011, marcou o gol de número 200 na carreira, de bicicleta, num jogo contra o Coritiba, no Engenhão. Um mês depois, contra o Grêmio, Fred fez quatro gols e o Fluminense venceu a partida por 5 a 4 em uma atuação de gala do atacante. Com os 22 gols marcados em 25 jogos do Campeonato Brasileiro de 2011 (média de 0,88 gols por partida), tornou-se o maior artilheiro do Fluminense em uma única edição do Campeonato Brasileiro.

Em 2012, entrou novamente para a história do Fluminense ao tornar-se também o maior artilheiro do clube em Campeonatos Brasileiros desde que a competição foi fundada, em 1959. Em setembro, fez um golaço de voleio contra o Flamengo, no Engenhão, vencido pelo Fluminense por 1 a 0. Em 21 de outubro, Fred marcou seu 100º gol com a camisa do Fluminense e o 55º em Campeonatos Brasileiros, contra o Atlético Mineiro. 

No dia 11 de novembro, marcou os dois gols que deram o título do Campeonato Brasileiro de 2012 para o Fluminense, na 35ª rodada, contra o Palmeiras, em vitória por 3 a 2. Fred ali, apagaria as dúvidas de sua importância de 2010 e entraria de fez no hall de grandes ídolos da história do clube.

Seu 2013 foi marcado por lesões e, em dezembro, em função de sua contusão, que o impediria de atuar pelo Tricolor até o final do Brasileirão, Fred chorou na vitória carioca sobre o Bahia por 2 a 1, na Arena Fonte Nova. A razão de tal foi que, apesar do resultado positivo, disputaria a Série B em 2014, porém após erros de Flamengo e Portuguesa, que escalaram jogadores suspensos para a última rodada, o seu clube se manteve na primeira divisão.

Em 2014, ao marcar na vitória sobre o Horizonte por 5 a 0, Fred alcançou Viola como o segundo maior artilheiro da história da Copa do Brasil. Em novembro, na vitória por 2 a 0 contra o Goiás, marcou seu 100º gol no Brasileirão na era dos pontos corridos, ficando atrás apenas de Paulo Baier, com 106 gols.

Em janeiro de 2015, recusou proposta de clube chinês, decidiu não seguir os passos de Dário Conca e renovou o seu contrato com o Fluminense até o fim de 2018. Em abril, de 2015, Fred marcou dois gols contra o Botafogo e chegou a 300 gols na sua carreira, se tornando também o maior artilheiro da história do Fluminense em jogos oficiais.

Em 2016, Fred envolveu-se em uma discussão com o técnico Levir Culpi, chegando a dizer que não jogaria mais no clube. O motivo da briga seria a repreensão do treinador a Fred pela maneira ríspida de cobrar o jogador Gustavo Scarpa durante o jogo contra o Madureira. O entrevero durou alguns dias e acabou revolvido depois de uma reunião da diretoria com o jogador e o treinador.