Pedro Abad é eleito o novo presidente do Fluminense para o triênio 2017-2019

Candidato da Chapa 'Somos Fluminense' conquista vantagem no pleito eleitoral e será o sucessor de Peter Siemsen no cargo de presidente do clube

Pedro Abad é eleito o novo presidente do Fluminense para o triênio 2017-2019
(Foto: Hugo Alves/VAVEL)

O Fluminense terá um novo presidente para o triênio 2017-2019. No entanto, seguirá comandado pelo grupo que administra o clube há seis anos. Pedro Abad, da Chapa 'Somos Fluminense', foi o vencedor das eleições do clube, realizadas ao longo deste sábado (26), nas Laranjeiras. O candidato de situação obteve 2,126 votos e superou Mário Bittencourt, segundo colocado com 1,442 votos e Celso Barros, terceiro com 651.

+ Eleição Presidencial: VAVEL entrevista Pedro Abad

Pedro Abad é tido como o responsável por dar sequência ao trabalho feito por Peter Siemsen no Fluminense. Além do suporte do mandatário, o representante da Flusócio e ex-membro do Conselho Fiscal contou com o apoio de figuras importantes dentro do clube como Pedro Antônio, vice-presidente de projetos especiais e Cacá Cardoso, ex-candidato à presidência e atual vice de chapa.

A posse de Pedro Abad está, a princípio, prevista para o início de janeiro. No entanto, como faz parte da chapa da situação, há previsão para que o período de transição se inicie em dezembro, logo após o término do Campeonato Brasileiro. O presidente eleito governará durante o triênio 2017-2019, podendo concorrer à reeleição.

Candidatura de Pedro Abad à presidência

Pedro Abad oficializou sua candidatura no dia 4 de março, sendo o primeiro entre os concorrentes a confirmar presença no pleito. Auditor fiscal da Receita Federal, aos 45 anos, declarou que, caso seja eleito, vai pedir licença de três anos em seu emprego para assumir o desafio de ser presidente do Fluminense.

"É oficial. Nesta quinta-feira, a Flusócio vai soltar um post em seu blog explicando tudo. É uma candidatura que vem da necessidade de dar continuidade ao trabalho que foi realizado nos últimos seis anos. A Flusócio foi um dos grandes motores que colocaram o Peter na presidência. Agora queremos da sequência ao trabalho. Claro que com algumas diferenças, mas no mesmo sentido", explicou Abad. 

Com o passar do período eleitoral, Abad passou a ganhar apoio de membros importantes dentro do clube. Peter Siemsen, então presidente em exercício, era um dos principais mentores de sua campanha. Pedro Antônio, vice de projetos especiais e responsável pela construção do Centro de Treinamento, foi outro que se aliou.

Por fim, na reta final, Pedro Abad também contou com a união de Cacá Cardoso, que abriu mão de entrar no pleito e será o vice geral do candidato da situação. Cacá havia sido vice jurídico do clube, já tendo e unido a Pedro Trengouse, inicialmente um pré-candidato.