Autuori destaca profissionalismo no Fluminense e defende Pedro Abad: "Íntegro e transparente"

Dirigente falou sobre o momento do clube e saiu em defesa de Abel Braga e Pedro Abad

Autuori destaca profissionalismo no Fluminense e defende Pedro Abad: "Íntegro e transparente"
Foto: Marcello Neves/VAVEL Brasil

Na tarde desta sexta-feira, Paulo Autuori, diretor de futebol do Fluminense concedeu entrevista coletiva no Centro de Treinamentos Pedro Antônio sobre o início de 2018 conturbado do Flu. O dirigente avaliou prós e contras das atitudes dos bastidores e preferiu não criar perspectivas sobre o futuro. 

O início do ano no Tricolor Carioca vem sendo movimentado. Algumas contratações pontuais chamaram atenção - como a do goleiro uruguaio De Amores -, mas são as saídas conturbadas de jogadores que colocam o Fluminense nos holofotes até então em 2018. Após ser dispensado em uma lista que continha oito jogadores, Diego Cavalieri, em coletiva, criticou a gestão atual do Flu. Antes, Gustavo Scarpa havia colocado o clube na justiça por falta de pagamento e conseguiu sua rescisão de contrato. Recentemente, Henrique Dourado, artilheiro do Campeonato Brasileiro do último ano, na zona mista após partida da Flórida Cup, declarou que não queria atuar no Tricolor neste ano. O atacante fechou contrato com o arquirrival, Flamengo. 

"Temos que ter muito cuidado em relação a algumas atitudes que temos e que induzem a atos que nenhum de nós gostamos de ter. Dentro dessa ideia, gostaria de dizer que nada nem ninguém vai interferir, negativa ou positivamente, no que é o futebol hoje do Fluminense", declarou Paulo Autuori. 

"Queremos ter uma equipe competitiva para toda a temporada e isso tem que ser feito de modo coerente. Temos que definir, juntos, práticas atuais que devem permear o departamento de futebol. Temos que pensar de uma forma duradoura. Afrontar como devem ser as situações, diante das dificuldades que temos", completou o dirigente. 

Confira outros trechos da entrevista de Autuori

Relação com Pedro Abad: 

"Quero dizer ao Presidente que ponho em causa meus 43 anos de carreira, para afirmar que nesse tempo tive pouquíssimas pessoas como ele (Abad). Íntegro, transparente e de um caráter ímpar. Acho que o que se faz algumas vezes com pessoas do futebol é uma covardia". 

Importância de Abel Braga: 

"É bom destacar o quão importante é ter alguém como o Abel, que se propõe a trabalhar também em um momento de dificuldade. Tudo o que fizermos com relação a vinda de jogadores, será feito em conjunto. Sempre vou realçar a maneira como o Abel desenvolve seu trabalho, diante da realidade do clube hoje". 

Pressão por resultados e contratações: 

"Temos que diferenciar clube de time de futebol. Lógico que o time pertence ao clube, mas a instituição é muito mais abrangente do que isso. Posso assegurar aqui que temos ótimos profissionais trabalhando. Temos que tirar o chapéu, porque trabalhamos com dificuldades e conseguimos algumas coisas através dessas pessoas. O que tem muito no futebol são projetos pessoais. O presidente está trabalhando para termos um projeto institucional. Eu não trabalho com ameaças. Antes de vir para cá, construímos isso com muitas conversas. Ninguém vai comandar o futebol do Fluminense de fora para dentro. Não adianta plantar nomes de jogadores. Nós sabemos quem queremos". 

Futuro do Fluminense:

"Estive em Xerém hoje para conhecer melhor. Vou passar a ir com frequência e temos que dar continuidade nesse trabalho, pensando o futebol do Fluminense como um todo. Quando empenho a minha palavra, vou cumpri-la. Não há chance de não cumprir. Não adianta resolver uma situação e não ter condição de mantê-la. Se não tivesse confiança de que as coisas poderiam ser definidas a curto, médio e longo prazo, não estaria aqui. Infelizmente as coisas positivas ficam na sombra do que é ruim e repercutem muito mais o que é ruim"